Menu
Busca quinta, 24 de junho de 2021
(67) 99257-3397

IPC/MS registra deflação no mês de maio

05 junho 2006 - 09h30

O Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande (IPC/CG) que serve de parâmetro para todo o Mato Grosso do Sul, apresentou, no mês de maio, índice de -0,36%. O cálculo do Índice é realizado mensalmente pela Uniderp  e Unaes, em convênio com a FIPE. Mensalmente, são medidos os preços de bens e serviços, a partir da comparação da situação de consumo do mês atual em relação ao mês anterior, de famílias com renda mensal entre 1 e 40 salários mínimos.Segundo o coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais (Nepes), professor Celso Correia de Souza, o grupo que apresentou maior queda foi Alimentação com índice médio de -1,44%. Outros grupos que registraram queda foram Habitação (-0,21%) e Educação (-0,01%).No grupo Alimentação, os produtos que registraram as maiores baixas nos preços foram: melancia (-36,17%), couve-flor (-33,04%), alface (-29,24%), manga (-23,96%), batata (-22,24%) e maracujá (-22,07%). Por outro lado, o melão e o repolho registraram aumento de preços de 24,65% e 22,03%, respectivamente. No subgrupo de carnes, houve uma queda acentuada nos preços dos cortes de carne suína, como pernil (-9,89%), bisteca (-7,30%) e costeleta (-6,50%). "Os outros tipos de carne, como bovina e de frango, registraram uma pequena reação nos preços. Podemos destacar o aumento nos valores dos cortes: contrafilé (6,05%), paleta (5,22%), alcatra (4,51%) e filé-mignon (4,48%)", ressalta Celso Correia.O produto que registrou a maior queda de preço no grupo Habitação foi o aparelho de DVD, em torno de -18,21%.  Em seguida aparecem freezer (-9,93%), condicionador de ar (-8,05%), ventilador (-7,08%) e televisor (-6,93%).  No grupo Educação, o índice negativo foi provocado pela queda nos preços de artigos de papelaria.Os demais grupos que compõem o IPC/CG apresentaram índices positivos: Vestuário (0,49%), Despesas Pessoais (0,31%), Transportes (0,16%) e Saúde (0,03%).No grupo Vestuário, os itens que apresentaram as maiores elevações foram sapato feminino (5,13%), tênis (4,16%) e short e bermuda masculina (2,77%). Já no grupo Despesas Pessoais, os maiores aumentos foram registrados nos preços do filme fotográfico (2,63%), xampu (2,60%) e revelação fotográfica (2,12%). No grupo Transportes, as maiores altas foram verificadas nos preços do diesel (2,39%) e pneu (2,23%).Finalmente, no grupo Saúde, os produtos que registraram as maiores altas foram: hipotensor e hipocolesterínico (1,08%) e antidiabéticos (1,03%).

Deixe seu Comentário

Leia Também

Barroso mantém decretos estaduais sobre medidas contra covid-19
BRASIL
Barroso mantém decretos estaduais sobre medidas contra covid-19
Caminhonete furtada em fazenda de MS é recuperada na linha internacional
DOURADOS
Caminhonete furtada em fazenda de MS é recuperada na linha internacional
Motorista receberia R$ 30 mil para levar carga de drogas para São Paulo
FRONTEIRA
Motorista receberia R$ 30 mil para levar carga de drogas para São Paulo
Com mais 39 mortes, MS se aproxima de 8 mil óbitos por coronavírus
PANDEMIA
Com mais 39 mortes, MS se aproxima de 8 mil óbitos por coronavírus
ORDEM DO DIA
Aprovada prorrogação de calamidade pública em São Gabriel do Oeste
NARCO BRASIL
Operação contra o tráfico termina com seis pessoas conduzidas à delegacia
VEÍCULOS MS
Os 10 carros eletrificados mais baratos do Brasil
COVID-19
Com doses da Janssen, MS vai fazer estudo de vacinação em massa na fronteira
ARQUITETURA E DESIGN
Estilo industrial: inspirações bem modernas para repaginar o lar
DEODÁPOLIS
Morto em confronto com a polícia durante operação tinha 18 anos

Mais Lidas

DOURADOS
Marido de mulher executada em emboscada é encaminhado para prestar depoimento
EXECUÇÃO
Bilhete ajuda SIG a prender suspeita de atrair detetive e atirador é localizado no MT
CAMPO GRANDE
Homem é espancado e confundido com serial killer depois de ser abandonado em rodovia
DOURADOS
Relacionamento conturbado e bens patrimoniais teriam motivado execução de Zuleide