domingo, 25 de fevereiro de 2024
Dourados
22ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
DOURADOS

Comissão da OEA encerra visita nas aldeias da região

07 novembro 2018 - 18h05Por Gizele Almeida e Adriano Moretto
A comissária da CIDH (Comissão Interamericana de Direitos Humanos) da OEA (Organização dos Estados Americanos), Antonia Urrejola e a chefe de gabinete da comissão, Marisol Blanchard, encerraram a visita ao Mato Grosso do Sul.
 
Elas passaram toda a quarta-feira (7/11) na região visitando aldeias indígenas. Pela manhã o encontro ocorreu em Caarapó, onde o clima tenso entre produtores rurais e índios permanece há pelo menos dois anos.
 
No período da tarde, Antonia cumpriu agenda em Dourados e se reuniu na Escola Municipal Indígena Agustinho, localizada na Aldeia Bororó e depois seguiu para audiência ampliada na Faculdade de Direito da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), na qual Marisol já participava.
 
Após a visita, um relatório com os problemas encontrados nesses locais será montado e apresentado ao governo brasileiro.
 
Durante audiência na Universidade, as representantes da Comissão acompanharam reivindicações e denúncias de várias entidades e movimentos sociais do município e receberam também cartas e documentos. 
 
Antonia Urrejola e Marisol Blanchard não falaram com a imprensa e conforme a assessoria da CIDH, uma coletiva será realizada no Rio de Janeiro (RJ) no dia 12 de novembro, quando se encerra a missão do grupo no país.
 
Além de Mato Grosso do Sul, a delegação da Comissão Interamericana visita os Estados da Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Roraima e São Paulo, além de Brasília (DF).
A força-tarefa começou na segunda-feira e o objetivo é observar em campo a situação dos direitos humanos no Brasil.
 
Entre as áreas que serão analisadas estão discriminação, desigualdade, pobreza, institucionalidade democrática e políticas públicas em direitos humanos. A situação das pessoas afrodescendentes e quilombolas, comunidades e povos indígenas, camponeses e trabalhadores rurais, além da população urbana em situação de pobreza, defensoras e defensores de direitos humanos; pessoas privadas da liberdade; migrantes, entre outros, receberão atenção particular da delegação.
 
A CIDH não visitava o Brasil desde 1995 e as ações ocorrem após convite do governo brasileiro.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL

Projeto regulamenta a atividade de procurador dos direitos das vítimas de acidentes de trânsito

Investimento de R$ 674 milhões reforça sistema de energia em MS
CRESCIMENTO

Investimento de R$ 674 milhões reforça sistema de energia em MS

CE discute projeto que cria marco legal para jogos eletrônicos
DEBATE

CE discute projeto que cria marco legal para jogos eletrônicos

Filme rodado em MS: Juliana Rojas vence prêmio de Melhor Direção em mostra paralela em 'Berlim'
HAPPY HOUR

Filme rodado em MS: Juliana Rojas vence prêmio de Melhor Direção em mostra paralela em 'Berlim'

Lula participa de cúpulas regionais na Guiana e em ilha do Caribe
AGENDA

Lula participa de cúpulas regionais na Guiana e em ilha do Caribe

CASO CHOCOU O BRASIL

Alexandre Nardoni, condenado pela morte da filha, deve ir para regime aberto em 6 de abril

OPORTUNIDADE

UEMS publica editais para seleção de docentes em Paranaíba, Cassilândia e Jardim

ESPORTES

Brasil enfrenta Colômbia no segundo duelo da Copa Ouro Concacaf

BRASIL

Mulher é estuprada dentro de delegacia no Guarujá

TRÊS LAGOAS

Polícia recupera itens furtados e três vão presos

Mais Lidas

VILA SÃO BRAZ

Após ameaçar esposa, homem é morto pelo cunhado em Dourados

DOURADOS

Trio é preso durante investigação contra grupo suspeito de aplicar R$ 130 mi em golpes a produtores

DOURADOS

"Gostei do que vi": mulher denuncia vizinho após flagra-lo olhando pelo muro

JARDIM NOVO HORIZONTE

Bebedeira entre irmãos termina em tentativa de feminicídio em Dourados