Menu
Busca terça, 27 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
MEDIDA

Instituições de saúde podem ser obrigadas a ofertar intérprete de Libras

Instituições de saúde podem ser obrigadas a ofertar intérprete de Libras

23 dezembro 2017 - 10h30Por Agência Senado

Hospitais públicos ou instituições concessionárias de serviços públicos de assistência à saúde deverão obrigatoriamente ofertar intérpretes de Libras às pessoas com deficiência auditiva, para garantir-lhes atendimento adequado quando procurarem as unidades. É o que determina o Projeto de Lei do Senado (PLS) 465/2017, da senadora Kátia Abreu (sem partido-TO).

A proposição amplia a eficácia da Lei de Libras (Lei 10.436/2002), que já impõe aos estabelecimentos de saúde garantia de tratamento e atendimento adequados às pessoas com deficiência auditiva, mas não traz detalhes. A falta de previsão expressa, na lei, de que os serviços de saúde devem oferecer intérpretes de Libras dá margem à negligência, acredita a senadora. Hoje, essa obrigatoriedade é prevista por meio de decreto, mas Kátia defende a inclusão da medida em lei.

"Apenas o Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005, que regulamenta a lei, prevê essa obrigatoriedade,
mas entendemos que, por tratar de direitos e deveres, esse conteúdo deve ser veiculado em lei ordinária", afirma.

Segundo a senadora, o uso da Língua Brasileira de Sinais é fundamental para que pessoas com deficiência auditiva ou da fala, ou ambas, possam se comunicar eficazmente, inclusive ao buscar serviços públicos de saúde. Barreiras na comunicação resultante da falta de intérprete nas instituições que prestam serviços de saúde podem colocar em risco a vida e o bem-estar dos usuários que dependam dessa forma de comunicação, o que resulta em uma forma de exclusão social, na opinião de Kátia Abreu.

“É imperativo que preenchamos essa lacuna, garantindo simultaneamente a comunicabilidade e o atendimento das pessoas que dependem da Libras, promovendo sua inclusão”, defendeu Kátia Abreu.

O projeto aguarda análise da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) e depois segue para a de Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), onde receberá decisão terminativa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA
Mato Grosso do Sul registra onze óbitos por coronavírus em 24 horas
BRASIL
Incêndio atinge Hospital Federal de Bonsucesso no Rio de Janeiro
DOURADOS
Motorista é preso após abandonar carro com maconha e tentar fugir a pé
MATO GROSSO DO SUL
Aprosoja instrui agricultores sobre o manejo de pragas na safra 2020/21
OPERAÇÃO HÓRUS
Utilitário apresenta defeito e polícia encontra 580 quilos de maconha em mata
COXIM
Empresário é multado por desmatar área para construir pousada em rancho
DOURADOS
Juiz nega pedido de coligação para entrar em empresa e conferir dados de pesquisa eleitoral
DOURADOS
Enquanto filma chuva, interno mostra ‘plantação’ de maconha em cela da PED
MATO GROSSO DO SUL
Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo abre edital para entidades
ELEIÇÕES 2020
Decisiva em Dourados, 18ª Zona Eleitoral tem 18 mil eleitores a mais que a 43ª

Mais Lidas

GRANDE DOURADOS
Cobertura de barracão de cerealista ‘voa’ com o vento; veja vídeo
DOURADOS
Guarda encerra festa organizada por adolescente em plena pandemia, apreende droga e até arma artesanal
DOURADOS
Délia decreta emergência por causa de danos provocados pela tempestade
TEMPESTADE
Chuva e ventos de 46km/h derrubam árvores e levam sujeira às ruas de Dourados