quinta, 25 de abril de 2024
Dourados
22ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

INSS quer recuperar R$ 15 bilhões de devedores

14 setembro 2003 - 07h32

A Previdência Social quer recuperar R$ 15 bilhões neste ano em contribuições que deixaram de ser recolhidas ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). De janeiro a agosto já foram recuperados R$ 7 bilhões, segundo a AgPrev (Agência de Notícias da Previdência Social). A fiscalização será ampliada até o final do ano para obter os R$ 8 bilhões restantes.Para o secretário-executivo do Ministério da Previdência Social, Álvaro Sólon de França, "o país amadureceu muito nas duas últimas décadas e, no Brasil de hoje, não há espaço para sonegadores, corruptos e fraudadores".A sonegação ocorre porque muitas empresas deixam de recolher as contribuições (tanto a descontada dos empregados como a da própria empresa) devidas mensalmente ao INSS. Em julho, a dívida total dos contribuintes (empresas e pessoas físicas) com o INSS estava em R$ 176,6 bilhões.Sólon diz que "a sonegação compromete os programas sociais, além de atrasar o crescimento econômico do país". Hoje, 21,4 milhões de pessoas recebem benefícios do INSS.As empresas que têm dívidas com o INSS mas não aderiram ao Refis 2 (parcelamento especial encerrado em 31 de agosto) serão as primeiras a serem fiscalizadas. Mas isso não quer dizer que as demais empresas estarão livres de serem fiscalizadas, diz Sólon.A fiscalização é dividida por segmentos de atividade econômica e pelo porte das empresas. "Concentramos forças no monitoramento dos grandes contribuintes que, juntos, respondem por 80% da arrecadação."Estão sendo desenvolvidas ações especiais de fiscalização nas empresas que expõem seus trabalhadores a agentes nocivos à saúde, nas da construção civil e nas de prestação de serviços.Na Procuradoria do INSS existem R$ 80,3 bilhões em créditos constituídos. Desse total, R$ 78,7 bilhões estão inscritos na dívida ativa para execução, diz Sólon.Boa parte desses créditos, contudo, pertence a empresas que aderiram ao Refis 2. Há ainda R$ 19,53 bilhões em créditos à espera de decisão nas gerências executivas e outros R$ 4,49 bilhões estão aguardando julgamento de recursos no CRPS (Conselho de Recursos da Previdência Social).A Procuradoria arrecadou R$ 429 milhões no primeiro semestre do ano, 126% a mais do que no mesmo período de 2002. Os procuradores adotaram uma estratégia bem-sucedida: pedir à Justiça que determine a penhora do faturamento das devedoras. A iniciativa tem dado certo, especialmente com prestadoras de serviços, instituições financeiras, telefônicas e empresas de transporte.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA

Vacina tetravalente contra a gripe do Butantan terá verbas do BNDES

SAÚDE

Unidade Móvel do Hospital de Amor está em Coronel Sapucaia nesta semana

PESQUISA

A cada 8 minutos, uma mulher é vítima de estupro no país

Marcio Pudim pede obras de asfalto, tubulação e quebra-molas em distritos
CÂMARA DE DOURADOS

Marcio Pudim pede obras de asfalto, tubulação e quebra-molas em distritos

COMUNICAÇÃO

EBC passará a ter Comitê Editorial e de Programação

UEMS

Reclassificados em seleção por histórico escolar são convocados para matrícula

LEVANTAMENTO

Brasil registra déficit habitacional de 6 milhões de domicílios

UNIVERSIDADE

Sustentabilidade é foco da 15ª Jornada Acadêmica de Arquitetura e Urbanismo

REPRESENTATIVIDADE

Cresce número de pré-candidatos LGBTI+ nas eleições municipais

LEGISLATIVO

Abril Verde: Câmara promove palestra sobre assédio moral e sexual no trabalho

Mais Lidas

COLISÃO

Mãe e criança morrem após colisão de caminhonete e carro na BR-163

SENAR

Do Japão para Mato Grosso do Sul: filha assume legado do pai e se tornou pecuarista

DOURADOS 

Jovem é encontrado morto no Parque Antenor Martins

DOURADOS

Concurso "Miss e Mister Indígena" acontece no próximo sábado na Jaguapiru