Menu
Busca quinta, 02 de dezembro de 2021
Dourados
33°max
20°min
Campo Grande
30°max
22°min
Três Lagoas
35°max
22°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Índios invadem mais duas fazendas em Iguatemi

29 dezembro 2003 - 14h55

Índios brasileiros e paraguaios estão invadindo fazendas no Mato Grosso do Sul desde a semana passada. Mais duas propriedades rurais foram tomadas por quase de 3 mil guaranis-kaiowás, segundo a Polícia Militar da cidade de Iguatemi, na divisa com o Paraguai. De caras pintadas, armados principalmente com arcos, flechas e tacapes, gritando palavras em idioma nativo, eles obrigaram os ocupantes dos imóveis rurais a saírem correndo com a roupa do corpo, deixando tudo para trás. A primeira invasão aconteceu no dia 22 na Fazenda São Jorge, antiga Agrolak. As últimas ocorreram ontem na Fazenda Paloma e hoje de madrugada na Fazenda Mato Sujo, todas situadas em Iguatemi.Outros cerca de 2 mil índios do Paraguai montaram acampamentos nas principais entradas das fazendas São Pedro, Chaparrol, Remanso, Indianópolis e Princesa do Sul, todas em Iguatemi, onde realizam rituais de guerra, antes das invasões marcadas para esta semana. Os imóveis estão em uma área de 9.400 hectares, que segundo levantamento feito pelo antropólogo da Funai (Fundação Nacional do Índio) Fábio Moura é terra indígena. A única fazenda ocupada por índios brasileiros é a Agrolac. São mais de mil membros da Aldeia Porto Lindo, que faz divisa com o imóvel.O advogado da fazenda Agrolak, Osmar Silva, disse que a Justiça Federal ainda não concedeu a reintegração de posse. No sábado vencia o ultimato dado pelos índios para que o dono da área desocupasse a fazenda, com a retirada de objetos, funcionários e gado. Os índios prometiam soltar as cerca de 2 mil cabeças de gado na estrada, caso o dono não atendesse o ultimato. Nada acabou sendo feito, segundo informam o advogado e o administrador da Funai (Fundação Nacional do Índio) em Amambai, Wiliam Rodrigues. Um funcionário do órgão está desde sábado na fazenda. Os funcionários foram obrigados a deixar a sede e os índios invadiram a sede, destruindo inclusive a residência do capataz da fazenda. O proprietário da fazenda, Pedro Fernandes Souza, contou que o caso foi registrado na Polícia Civil, e a Polícia Federal de Naviraí foi acionada para negociar a saída dos indígenas. A fazenda Agrolak foi comprada há dois anos e meio pele fazendeiro, que disse criar 2,6 mil cabeças de gado, numa área de 1.698 hectares.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

JUDICIÁRIO
Nomeação de André Mendonça para o STF é publicada no Diário Oficial
AQUIDAUANA
Pastor é detido após ser flagrado por câmera furtando celular em lotérica
INSS: veja calendário de pagamento de benefícios em 2022
BRASIL
INSS: veja calendário de pagamento de benefícios em 2022
BAIRRO AMAMBAÍ
Homem é morto a facadas ao pedir dinheiro para usuário de drogas
NÚMEROS DA PANDEMIA
Brasil registra mais 205 mortes por Covid; media móvel é de 218 por dia
FUTEBOL
Atlético-MG vira sobre o Bahia e conquista o Brasileirão após 50 anos
CAPITAL
Perícia não identificou tiro em PRF morto após tentar assassinar ex em motel
RECURSOS
Nova Caravana da Saúde tem R$ 120 milhões para exames e cirurgias
AQUIDAUANA
Policiais civis recuperam celular furtado por pastor em casa lotérica
GERAL
Tribunal de Justiça abre leilão de veículos apreendidos em ações penais

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Caminhoneiro que morreu em acidente na Serra de Maracaju era douradense
PONTA PORÃ
Morre agente de saúde alvo de atentado a tiros na fronteira
DARK CARD
Operação que apura desvios de recursos públicos feitos por servidores mira oficina em Dourados
DOURADOS
Homem persegue trio que invadiu o comércio dele e consegue recuperar celulares