Menu
Busca segunda, 17 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Índice de Preços ao Consumidor de MS tem alta de 0,12%

03 setembro 2004 - 10h10

Em agosto, o Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande (IPC/CG), que serve de referência para todo o Mato Grosso do Sul, apresentou uma pequena variação de 0,12%, com relação ao mês de julho.Segundo o coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais (Nepes) da Uniderp, professor Celso Correia de Souza, o grupo com maior variação positiva de preços foi o de Transportes, com 1,36%, emfunção do aumento dos combustíveis; e o grupo onde foi observada maior diminuição dos preços o de Alimentação, com ?0,71%. "Os demais grupos mantiveram-se estáveis, com pequenas variações", afirma Celso. O IPC/CG é um indicador da evolução do custo de vida das famílias, com renda de 1 a 40 salários mínimos, buscando medir o nível de variação de preços mensais do consumo de bens e serviços, a partir da comparação dasituação de consumo do mês atual em relação ao mês anterior. O Índice é calculado por meio de parceria entre Uniderp, Unaes, Fipe e Seplanct/MS. Celso Correia explica que a variação de 1,36% no grupo de Transportes, refletiu o aumento dos combustíveis (álcool, gasolina e diesel), justificado pela nova pauta de tributação. O álcool apresentou variação de 11,47%, a gasolina 1,45% e o diesel 0,20%. Já o grupo Alimentação registrou pequena variação negativa nos preços, -0,71%. Os itens que registraram as maiores quedas foram: cheiro-verde, -29,52%; pão de centeio moreno, -22,15%; alface, -19,55%; manga, -18,33%; pão de forma da casa, -17,53%; salsa, -15,20%; laranja pêra, -14,88; pão integral, -12,60%; e pescado fresco, -12,22%. Porém houve um aumento significativo nos preços do limão, 112,59%; chuchu, 71,69%; beterraba, 43,33%; e cebola, 30,78%. No grupo Habitação, observou-se uma tendência a estabilidade. "A variação ficou em 0,23%. Não foram registradas alterações nos preços administrados como telefone, energia elétrica e taxas públicas. "Nos grupos Educação e Saúde também não verificamos variação considerável. Houve apenas uma redução pequena nos preços de artigos de papelaria, em torno de -0,03%", acrescenta o pesquisador. E no grupo Saúde, -0,08%, em conseqüência a pequenas variações dos preços de medicamentos", acrescenta o pesquisador. O grupo de Despesas Pessoais também apresentou uma ligeira estabilidade, registrando uma variação de 0,38%. No Vestuário, a variação também não foi significativa, 0,41%. Inflação acumulada - A inflação acumulada nos últimos 12 meses na cidade de Campo Grande é de 6,47%, e neste ano já atinge 4,21%. O Grupo Educação lidera, com índices mais elevados tanto nos últimos doze meses quanto no ano de 2004, em decorrência da grande variação de preços ocorridas no mês de janeiro. Ainda, destacam-se as variações acumuladas dos grupos Transportes, Saúde, Despesas Pessoais e Habitação. As variações nos outros Grupos não foram tão significativas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UEMS
Mestrado em Educação Científica e Matemática prorroga inscrições até junho
CORUMBÁ
Após assaltar papelaria, ladrão tenta fugir para mata e invade residência
Diretora do Conselho de Farmácia alerta para uso irracional de medicamentos
SAÚDE
Diretora do Conselho de Farmácia alerta para uso irracional de medicamentos
Polícia do Paraguai apreende cocaína escondida em chifre ornamental
GOVERNO BOLSONARO
Ocupação irregular na Amazônia cresceu 56% em dois anos, diz instituto
ANTÔNIO JOÃO
Homem é preso por tentar matar adolescente de 17 anos a tiros
REGIÃO
Inscrições para processo seletivo de estágio em Angélica são prorrogadas
BATAGUASSU
Mulher pediu medida protetiva quatro dias antes de ser morta pelo ex
EMPREGO
Exército Brasileiro abre concursos para 170 vagas de nível superior
CORUMBÁ
Com veículo de locadora, homem tenta ir para a Bolívia visitar o irmão

Mais Lidas

CAMPO GRANDE
Após discussão, jovem bate veículo em poste e namorada que estava no capô morre
POLÍCIA
'Apaixonado', rapaz furta objetos na PED para ser preso e reencontrar marido
FEMINICÍDIO
Mulher baleada na cabeça pelo ex-marido morre no hospital
REGIÃO
Mulher mata o marido a facadas após discussão em MS