Menu
Busca segunda, 01 de junho de 2020
(67) 99659-5905

Habitantes de MS são 3º em maior dívida com os bancos

18 janeiro 2010 - 12h12

Habitantes de Mato Grosso do Sul estão entre os mais endividados do País, ocupando a terceira posição, com média de dívida per capta de R$ 4.301. Os brasilienses lideram o ranking do endividamento no Brasil e, na média, devem R$ 7.538 aos bancos. O valor é sete vezes maior que o visto entre os cearenses, os menos endividados, com R$ 1.035. Dados do Banco Central mostram que cada brasileiro tem, atualmente, média de R$ 2.732 em dívidas com os bancos. Estados do Nordeste e Norte têm desempenho inferior a esse valor, o que abre frente de novas oportunidades para a expansão do crédito.

Dados regionais do Sistema de Informações de Crédito (SCR), banco de dados sobre empréstimos superiores a R$ 5 mil de famílias e empresas, mostram que os maiores endividados do Brasil moram no Centro-Oeste. Depois de Brasília, habitantes do Mato Grosso (com R$ 5.396) e Mato Grosso do Sul (R$ 4.301) têm os maiores compromissos com os bancos.

Na capital federal, o valor elevado é explicado pelos altos salários do serviço público, o que permite maior exposição às dívidas. Nos outros dois Estados, muitas famílias tomam crédito nos bancos para atividades rurais sem usar operações para pessoas jurídicas, o que acaba inflando os números. Na maior economia brasileira, o Estado de São Paulo, a dívida média é de R$ 3.661, acima do patamar nacional.

Mas o que mais chama atenção no ranking do BC é o baixo endividamento das famílias nordestinas. No final da lista, estão Estados importantes, como o Ceará - o último da lista, Bahia (R$ 1.259) e Pernambuco (R$ 1.327). "O número mostra que, apesar do crescimento recente dos empréstimos nessas regiões, os bancos ainda têm um grande mercado a explorar", diz o professor de finanças do Insper, Ricardo José de Almeida. Segundo ele, o principal problema para a chamada "bancarização", que é o acesso aos serviços bancários, é a falta de formalização da economia nordestina.

Dados da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) mostram que há uma agência bancária para cada 18,3 mil habitantes no Norte e 18,5 mil moradores no Nordeste. No Sudeste, a média é de uma agência a cada 6,7 mil habitantes e no Sul, 6,9 mil. O professor de finanças é otimista e acredita que o recente desenvolvimento econômico da região vai alavancar o emprego formal, o que abrirá novas frentes para os bancos na região.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Pesquisa da UFGD pretende auxiliar em novos planejamentos de teletrabalho
ACIDENTE
Homem morre após cair do telhado de casa enquanto fazia reparos
APOSENTADORIA
INSS: último balanço mostra 1,8 milhão de benefícios represados
POLÍCIA
Foragido há dois anos acusado de matar idoso estrangulado é preso
CONVERSA COM BIAL
'O presidente esqueceu de combinar comigo', diz Aras sobre nota de Bolsonaro
JUSTIÇA
TJ/MS manda Delegado acusado de furtar droga de volta para a prisão
GERAL
Cartórios de notas realizam serviços por videoconferência em todo país
CAPITAL
Seis meses de namoro terminam com jovem agredida a capacetadas
UEMS
Convênio seleciona bolsistas em Campo Grande e em Dourados
CAMPO GRANDE
Homem encontrado morto em cachoeira é de SP e tinha 58 anos

Mais Lidas

PANDEMIA
Estado alerta que Dourados deve ser cidade com mais casos de Covid-19 na próxima semana
POLÍCIA
Homem encontrado morto sob a ponte do Calarge tinha 38 anos
DOURADOS
HU emite nota de esclarecimento sobre atendimento de mulher que morreu com Covid-19
DOURADOS
Homem é encontrado morto embaixo de ponte no córrego Laranja Doce