domingo, 07 de agosto de 2022
Dourados
29°max
18°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Guarani e Paysandu ficam no empate em Campinas

08 agosto 2004 - 18h06

O objetivo de Guarani e Paysandu neste domingo, em Campinas, era o mesmo para as duas equipes. Ambas queriam a vitória para fugir do rebaixamento. Mas se o empate era o pior resultado para os times, foi exatamente com isso que eles tiveram de se contentar: um 0 a 0. Com o placar inalterado, o Paysandu chegou aos 22 pontos na tabela, deixando o Guarani com 21. Com os demais resultados da rodada, nenhuma das duas equipes conseguiu mudar sua posição no torneio. O Papão continua em 20º, enquanto o Bugre, ainda na zona de rebaixamento, segue em 21º. O Jogo: O início da partida foi marcado por um grande equilíbrio entre os dois times, que se estudavam dentro de campo. Nenhuma das equipes se arriscava no ataque. Tanto que a primeira boa oportunidade só aconteceu aos 13 minutos, quando Sandro Hiroshi não soube aproveitar a bobeada do zagueiro João Leonardo para abrir o placar. A partir daí, o Guarani passou a impor-se na partida, embora a defesa do Papão estivesse bem armada. Todas as jogadas de ataque culminavam com uma finalização de Sandro Hiroshi, mas o atacante não conseguiu aproveitar nenhuma delas. O Paysandu tentou adiantar a marcação para conter os ataques bugrinos, mas a equipe campineira continuou crescendo com boas jogadas pela esquerda, comandadas pelo lateral Adílio. Os paraenses só acordaram aos 17 minutos, quando Maurinho carimbou a trave do goleiro Jean. Foi o suficiente para o Papão reverter a situação da partida e assumir uma postura mais ofensiva, deixando o Guarani preso em sua defesa durante todo o restante da primeira etapa.Logo no início do segundo tempo, o técnico do Guarani, Lori Sandri, tentou arrumar o que não estava dando certo na partida: o ataque. Sacou Sandro Hiroshi e colocou Marcão, atacante de 31 anos recém-contratado pelo Bugre. O jogo também foi a estréia do zagueiro João Carlos. A substituição, porém, não pareceu surtir muito efeito, já que os campineiros continuaram encurralados em sua defesa pelo Paysandu. Com todas as jogadas passando pelos pés de Jóbson, o Paysandu dominou completamente a partida. Aos 19 minutos, foi a vez de Cláudio carimbar a trave do Bugre. O Guarani só conseguiu chegar ao gol paraense no segundo tempo aos 21 minutos, quando um forte chute de Marcão parou nas mãos do goleiro Paulo Musse. Desesperado, o técnico Lori Sandri partiu para o tudo ou nada e colocou o atacante Simão, que deu um pouco mais de movimentação à equipe campineira. O Bugre adotou uma tática perigosa: sair para o ataque sem restrições e deixar muitos espaços para o Papão. Os paraenses tentaram aproveitar o desespero bugrino, armando as jogadas principalmente pela direita com Maurinho. Mas as duas equipes seguiram muito mal nas definições e o placar permaneceu inalterado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE

Varíola dos macacos: entidades criticam estigma a homossexuais

Homem é espancado em construção abandonada na Capital
POLÍCIA

Homem é espancado em construção abandonada na Capital

GERAL

Justiça nega 'habeas corpus' pedido pela defesa do cônsul alemão

Ladrões invadem empresa e furtam óleo diesel
REGIÃO

Ladrões invadem empresa e furtam óleo diesel

CULTURA

Academia Brasileira de Letras reabre bibliotecas para o público

CAPITAL

Mulher capota veículo e é socorrida pelo Corpo de Bombeiros

DIREITOS HUMANOS

Lei Maria da Penha completa 16 anos neste domingo

POLÍCIA

Foragido da justiça é preso em abordagem na fronteira

POLÍTICA

Eleições 2022 mantém maioria do eleitorado feminina, com 53%

POLÍCIA

Boca de fumo é fechada e traficante preso na fronteira

Mais Lidas

TRAGÉDIA

Mulher que morreu em acidente na BR-463 era agrônoma de Dourados

TRAGÉDIAS

Agosto começa com quatro mortes por acidentes de trânsito em Dourados 

LUTO

Conselho de Agronomia lamenta morte de jovem agrônoma em acidente

TENTAVIVA DE HOMICÍDIO

Susto provocado por cachorro e discussão terminam com ciclista baleado