Menu
Busca sábado, 31 de julho de 2021
(67) 99257-3397

Greve dos bancários é suspensa em todo o país

15 outubro 2004 - 18h08

A greve nacional dos bancários foi suspensa temporariamente em todas as 24 capitais em que o movimento foi realizado. A última capital a encerrar a paralisação foi Florianópolis (SC), onde a greve continuava nesta sexta-feira.Segundo a CNB-CUT (Confederação Nacional dos Bancários) da CUT, os bancários de Florianópolis aprovaram hoje em assembléia a suspensão do movimento e o retorno ao trabalho a partir de segunda-feira. Nas demais capitais, os bancários retornaram hoje ao trabalho. Esse é o caso de São Paulo e Rio, por exemplo. "Esta decisão é mais uma tentativa dos trabalhadores de quebrar a intransigência dos banqueiros e reabrir as negociações", disse Vagner Freitas, presidente da CNB-CUT. Com a volta ao trabalho, a greve dos bancários --que completou 30 dias ontem-- será suspensa até quarta-feira da próxima semana (20). Neste dia, a categoria realiza uma nova assembléia para definir o rumo do movimento.A expectativa dos bancários é negociar até lá um acordo com a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos). O objetivo é retomar a negociação e evitar o julgamento da greve no TST (Tribunal Superior do Trabalho), marcado para quinta-feira (21).Os bancários também agendaram um Dia Nacional de Luta para quinta-feira (21), com paralisações e manifestações. A sugestão de encerrar a paralisação foi tomada pela Executiva Nacional dos Bancários, que se reuniu após as audiências de conciliação no TST. Como não houve acordo, o TST marcou para o dia 21 o julgamento da greve.A Executiva Nacional dos Bancários teme perder benefícios já adquiridos com o julgamento da greve. "Entendemos que a solução negociada é sempre melhor que o julgamento", disse o negociador dos funcionários do BB e integrante da Executiva, Marcel Barros.Dias paradosA Fenaban ofereceu para os bancários um reajuste de 8,5% e abono de R$ 30 para quem ganha até R$ 1.500. Os bancários --que inicialmente pediam 25% de aumento-- reivindicam 19%.Além do índice de reposição, as duas partes precisam chegar a um acordo sobre o pagamento dos dias parados. "Queremos negociar o pagamento dos dias parados e a não punição dos grevistas", disse o diretor do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Edson Carneiro.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Prefeitura informa novo recorde de vacinação com 7,6 mil doses em 24 horas
COVID-19
Prefeitura informa novo recorde de vacinação com 7,6 mil doses em 24 horas
PANDEMIA
Covid-19: Espanha libera entrada de voos do Brasil
STF
Ministro Alexandre de Moraes mantém prisão de denunciado por golpes milionários na internet
Anvisa recebe pedido para testes de vacina desenvolvida pela UFMG
COVID-19
Anvisa recebe pedido para testes de vacina desenvolvida pela UFMG
JUSTIÇA DO TRABALHO
Carreteiro não será indenizado por dano existencial por jornada exaustiva
FALTOU CHUVA
Julho de 2021 chega ao fim entre os mais secos da história de Dourados
Museu da Língua Portuguesa é reaberto com presença de autoridades
STF
Ministro determina retomada de inquérito que apura suposta interferência de Bolsonaro na PF
ENERGIA ELÉTRICA
Bandeira tarifária de agosto se manterá vermelha
PANDEMIA
Homem e mulher são mais recentes vítimas da Covid-19 em Dourados

Mais Lidas

ACIDENTE DOMÉSTICO
Após discussão com entregador jovem acaba ferido
PARAGUAI
Militares executados na fronteira eram sargentos da FTC
PONTA PORÃ
Bilhete ao lado de corpo esquartejado indica próximos "alvos" de criminosos
CLIMA
Dourados bate recorde de frio no ano com geada forte