Menu
Busca sexta, 22 de janeiro de 2021
(67) 99257-3397

Governo sofre primeira derrota na reforma tributária

17 setembro 2003 - 06h42

O governo foi derrotado ontem pela primeira vez desde o início da votação das reformas do governo Lula no Congresso. Durante a votação dos destaques à reforma tributária na noite de ontem, a base aliada não conseguiu rejeitar o destaque do PFL que retira da reforma tributária dispositivo que trata da progressividade do Imposto de Transmissão de Causa Mortes e Doação, o chamado imposto da herança. A votação das emendas à reforma será realizada amanhã. Os governistas só conseguiram 280 votos e precisavam de 308 para rejeitar a proposta do PFL. Votaram favoravelmente ao destaque 137 deputados e um se absteve. Com isso, está fora do texto da reforma tributária o dispositivo que estabelecia a progressividade do Imposto de Transmissão de Causa Mortes e Doação com a definição de seu limite máximo em 15%. Dessa forma, permance a cobrança de Imposto sobre Herança, com a alíquota de 4%. Mas o governo também obteve uma vitória importante na votação dos destaques. O destaque do Prona, que pedia a retirada do texto do trecho da emenda constitucional que prevê a prorrogação da desvinculação das receitas da União (DRU) até 2007, um dos pontos chaves da reforma para o Palácio do Planalto, foi derrubado por 345 votos a 98. Esta era considerada a votação mais importante da noite para os líderes do governo. O primeiro destaque votado, de autoria do PT, foi aprovado no início da noite. Ele serviu para melhorar a redação do artigo que aumenta o prazo de vigência da Lei de Informática até 2019. Um segundo destaque derrubado foi do PSDB. Com 332 votos a favor e 88 contra, o governo conseguiu manter a incidência da cobrança de Cofins sobre produtos e serviços importados. O PFL também teve um destaque rejeitado. Os deputados derrubaram o destaque que pretendia excluir do texto da reforma a incidência das contribuições sociais sobre a importação de bens ou serviços. O último destaque à reforma tributária votado, e rejeitado, foi do PSDB. A proposta atribuía aos estados, Distrito Federal e municípios que tenham instituído fundo para o custeio da aposentadoria de seus servidores a arrecadação do PIS/Pasep devida pelos entes federados, suas autarquias e fundações.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

Técnicos da Iagro monitoram focos de raiva em bovinos na região de Cassilândia
MS
Técnicos da Iagro monitoram focos de raiva em bovinos na região de Cassilândia
Assaltantes roubam tablet de vítima e tentam levar veículo
DOURADOS
Assaltantes roubam tablet de vítima e tentam levar veículo
Inscrições para o Encceja são prorrogadas até 25 de janeiro
BRASIL
Inscrições para o Encceja são prorrogadas até 25 de janeiro
"Boca de fumo" é fechada no Jardim Itália e três são detidos
DOURADOS
"Boca de fumo" é fechada no Jardim Itália e três são detidos
Salariômetro: reajuste salarial ficou abaixo da inflação em dezembro
BRASIL
Salariômetro: reajuste salarial ficou abaixo da inflação em dezembro
EDUCAÇÃO
O Ensino Fundamental do Seu filho para 2021
MS-274
Empresa deve projetar asfalto entre distritos de Dourados por R$ 257 mil
DOURADOS
Prefeito isenta imposto para construção de indústria com investimento bilionário
SAÚDE & BEM - ESTAR
Unimed Dourados lança novo site para beneficiários e cooperados
REGIÃO
Traficante é flagrado com 1 tonelada de maconha em picape guinchada

Mais Lidas

DOURADOS
Segundo corpo encontrado às margens da BR-163 é identificado
VIAGEM SANTA
PF deflagra operação contra tráfico de drogas em empresas de turismo religioso de Dourados
DOURADOS
Um dos corpos encontrados às margens da BR-163 foi quase decapitado
DOURADOS
Alvo da PF, empresário foi preso com armas e fortuna ao sofrer atentado em 2019