quarta, 22 de maio de 2024
Dourados
32ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Governo sofre primeira derrota na reforma tributária

17 setembro 2003 - 06h42

O governo foi derrotado ontem pela primeira vez desde o início da votação das reformas do governo Lula no Congresso. Durante a votação dos destaques à reforma tributária na noite de ontem, a base aliada não conseguiu rejeitar o destaque do PFL que retira da reforma tributária dispositivo que trata da progressividade do Imposto de Transmissão de Causa Mortes e Doação, o chamado imposto da herança. A votação das emendas à reforma será realizada amanhã. Os governistas só conseguiram 280 votos e precisavam de 308 para rejeitar a proposta do PFL. Votaram favoravelmente ao destaque 137 deputados e um se absteve. Com isso, está fora do texto da reforma tributária o dispositivo que estabelecia a progressividade do Imposto de Transmissão de Causa Mortes e Doação com a definição de seu limite máximo em 15%. Dessa forma, permance a cobrança de Imposto sobre Herança, com a alíquota de 4%. Mas o governo também obteve uma vitória importante na votação dos destaques. O destaque do Prona, que pedia a retirada do texto do trecho da emenda constitucional que prevê a prorrogação da desvinculação das receitas da União (DRU) até 2007, um dos pontos chaves da reforma para o Palácio do Planalto, foi derrubado por 345 votos a 98. Esta era considerada a votação mais importante da noite para os líderes do governo. O primeiro destaque votado, de autoria do PT, foi aprovado no início da noite. Ele serviu para melhorar a redação do artigo que aumenta o prazo de vigência da Lei de Informática até 2019. Um segundo destaque derrubado foi do PSDB. Com 332 votos a favor e 88 contra, o governo conseguiu manter a incidência da cobrança de Cofins sobre produtos e serviços importados. O PFL também teve um destaque rejeitado. Os deputados derrubaram o destaque que pretendia excluir do texto da reforma a incidência das contribuições sociais sobre a importação de bens ou serviços. O último destaque à reforma tributária votado, e rejeitado, foi do PSDB. A proposta atribuía aos estados, Distrito Federal e municípios que tenham instituído fundo para o custeio da aposentadoria de seus servidores a arrecadação do PIS/Pasep devida pelos entes federados, suas autarquias e fundações.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

Escritora Sylvia Cesco toma posse na Academia Sul-Mato-Grossense de Letras nesta quarta-feira
RECONHECIMENTO

Escritora Sylvia Cesco toma posse na Academia Sul-Mato-Grossense de Letras nesta quarta-feira

Empresários são detidos por desvio de energia elétrica após operação do SIG
REGIÃO 

Empresários são detidos por desvio de energia elétrica após operação do SIG

DEBATE

Projeto proíbe tomada de energia elétrica nas celas dos presídios

Geraldo Resende apresenta denúncia ao MP para investigar vereador por suposto crime de homofobia
POLÍTICA

Geraldo Resende apresenta denúncia ao MP para investigar vereador por suposto crime de homofobia

Programa de passagens aéreas acessíveis deve ser lançado em junho
BRASIL

Programa de passagens aéreas acessíveis deve ser lançado em junho

NOVA ANDRADINA

Homem é baleado após tentar atacar esposa e policiais com faca

INFORME PUBLICITÁRIO

Cresol realiza ações da 11ª Semana Nacional de Educação Financeira

MEGA-SENA

Prêmio principal acumula e sortudo de MS leva R$ 47 mil na 'quina'

MINISTÉRIO PÚBLICO

Prefeitura de Bandeirantes é multada em R$ 1 milhão por destinação inadequada de lixo e esgoto

INFORME PUBLICITÁRIO

Coleção Boiadeira, novidades de frio e mais na Herança do Rei com foco no público infantil e juvenil

Mais Lidas

DOURADOS 

Funcionário e irmão são presos por furto em supermercado

BRASIL

Adolescente mata os pais e a irmã após ficar sem celular

CARTÃO VERMELHO

Em Dourados, Gaeco cumpre mandados em empresa que fornece uniformes à Federação

R$ 37 MILHÕES

Empresa é contratada para prolongar avenida do Centro até parque público de Dourados