Menu
Busca segunda, 18 de outubro de 2021
(67) 99257-3397

Governo propõe renegociar dívidas dos produtores rurais

26 março 2008 - 05h16

As medidas propostas pelo governo para renegociar a dívida dos produtores rurais com a União envolvem praticamente dois terços do total. Dos R$ 87,5 bilhões dos débitos vencidos e a vencer estimados pela equipe econômica, o governo pretende repactuar até R$ 56,3 bilhões, que abrangem cerca de 2,1 milhões de contratos.

A proposta foi apresentada a parlamentares da Comissão de Agricultura e Pecuária da Câmara dos Deputados por três ministros: Guido Mantega (Fazenda), Reinhold Stephanes (Agricultura) e Guilherme Cassel (Desenvolvimento Agrário).

Segundo o governo, o objetivo é facilitar a quitação das operações efetuadas com recursos da União nas décadas de 80 e 90, e incentivar os devedores a recuperarem a capacidade de pagamento. Em nota conjunta, os quatro ministérios detalharam as diretrizes da negociação, que abrangerá apenas as operações realizadas até 30 de junho de 2006.

O documento informa que as principais ações serão a redução das taxas de juros das operações com encargos mais elevados, a prorrogação do prazo para o pagamento de algumas dívidas e a concessão de desconto para os produtores interessados em liquidar débitos antigos.

Para estimular a renegociação com os produtores inadimplentes, o governo propõe a substituição do indexador da dívida de quem está com parcelas em atraso. A quitação seria corrigida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) mais 6% – e não pela taxa média Selic mais 1% ao ano. O saldo devedor seria diluído nas futuras parcelas.

A proposta separou a dívida rural em dois grupos: a referente à agricultura empresarial e aos contratos fechados antes da criação do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) soma R$ 74,5 bilhões; os R$ 13 bilhões restantes se aplicam aos pequenos produtores, atendidos pelo Pronaf, pelo Programa de Crédito Especial para a Reforma Agrária (Procera) e pelo Crédito Fundiário.

Segundo o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, a proposta ainda não é definitiva. Haverá pelo menos mais duas reuniões com representantes dos produtores rurais e a versão final do documento sairá até o dia 31. "Vamos analisar as sugestões e esperamos chegar a um consenso", disse o ministro ao sair da reunião.

Pela proposta, o prazo de adesão à renegociação ainda precisa ser definido pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), mas o governo sugeriu datas para o início da repactuação. A princípio, os produtores terão até 30 de setembro para manifestar o interesse em reavaliar os contratos e deverão pagar o valor mínimo para a adesão até 30 de dezembro.

Após a reunião, um grupo de produtores rurais que acompanhou o encontro em frente ao Ministério da Fazenda aplaudiu a proposta do governo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Escola Joaquim Gonçalves Ledo terá reforma geral
EDUCAÇÃO
Escola Joaquim Gonçalves Ledo terá reforma geral
REGIÃO
Homem é preso suspeito de furtar televisores e notebooks de colégio
Gestante é esfaqueada por atual mulher de ex-marido na fronteira
REGIÃO
Gestante é esfaqueada por atual mulher de ex-marido na fronteira
Soldados da PM recebem treinamento de defesa pessoal
DOURADOS
Soldados da PM recebem treinamento de defesa pessoal
7ª edição da Semana Espírita de Dourados começa nesta terça-feira
EVENTO
7ª edição da Semana Espírita de Dourados começa nesta terça-feira
REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
Dois Ceims suspendem atividades por falta de energia em Dourados
CORUMBÁ
Polícia intervém em briga generalizada que envolvia até menor
IBGE
Quase 80 mil vivem em áreas indígenas ou quilombolas no Estado
OPERAÇÃO OURO BRANCO
Polícia cumpre 80 mandados contra o tráfico na capital
NOVA ANDRADINA
Menos de uma hora após furto de moto, dois são presos pelo crime

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Bombeiros encontram mais três corpos e número de mortos em naufrágio chega a seis
ROMA I
Acusados de estupro, mãe de menor e jovem responderão processo em liberdade
DOURADOS
PMA prende e autua dois pescadores em R$ 2,6 mil
DOURADOS 
Cidade não tem desabrigados, mas tempestade afetou dezenas de casas na periferia