Menu
Busca sábado, 16 de janeiro de 2021
(67) 99659-5905

Governo estadual negocia vôos a Corumbá e Assunção

06 setembro 2003 - 14h29

O governo do Estado, através da Gerência Aeroviária da Agência de Gestão e Integração de Transportes (Agitrams), está trabalhando para viabilizar linhas áreas regulares de Campo Grande para Corumbá, e de Campo Grande para Assunção, no Paraguai, passando por Ponta Porã.Segundo gerente aeroviário da Agitrams, Fabrício Alves Corrêa, no caso do vôo para Assunção, com escala em Ponta Porá, que seria a primeira linha área internacional saindo do Estado, já houve uma conversa do Executivo estadual com representantes da Infraero, e da empresa TAM Mercosul, onde ficou definido que o trajeto poderia ser feito de duas a três vezes pela companhia aérea, e que a passagem de ida e volta entre Campo Grande e Assunção seria comercializada a uma média de US$ 150, enquanto que o passageiro que fosse fazer somente o trecho entre capital sul-mato-grossense e Ponta Porá pagaria entre US$ 50 e US$ 60. Corrêa lembra, entretanto, que para viabilizar essa linha aérea internacional o governo do Estado está tentando assegurar com o Ministério da Defesa, por meio do Departamento de Aviação Civil (DAC), o cumprimento do chamado Acordo de Fortaleza que estipula que entre os vôos a países do Mercado Comum do Cone do Sul (Mercosul) - Brasil, Paraguai, Uruguai, Argentina -, Bolívia e Chile, a taxa de embarque seja a mesma de um vôo doméstico, que é de R$ 7,20 e não a de um vôo internacional, que é de US$ 38. “A empresa já sinalizou que tem interesse. Agora falta resolver essa questão para viabilizar o vôo”, comentou.Em relação à linha aérea para Corumbá, o gerente aeroviário da Agitrams revelou que ele já esteve reunindo em São Paulo, com representantes de duas companhias que mostraram interesse em explorar o serviço, a Vasp e a GOL. “A Vasp foi a que demonstrou maior interesse. Pelas conversas iniciais poderia ser mantida uma linha que sairia de Campo Grande para Corumbá umas duas ou três vezes por semana, e poderia ser aproveitada a aeronave que vem de São Paulo, e chega à Capital às 13 horas. Desse horário até às 15h30 quando essa aeronave volta para São Paulo ela poderia percorrer o trecho entre Campo Grande e Corumbá”, explicou. Assim como no caso da rota até Assunção, a viabilização da linha aérea até Corumbá, depende segundo Corrêa, do acerto de mais alguns detalhes, o que deverá ser feito em uma audiência, sem data definida, do presidente da Vasp, Vagner Canhedo, com o governador Zeca do PT. A partir da definição das duas linhas aéreas, o gerente aeroviário da Agitrams acredita que poderá haver impulso ainda maior no turismo do Estado. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

SISTEMA DE SAÚDE
Pacientes de Manaus continuam sendo transferidos para hospitais universitários federais
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Projeto altera requisitos exigidos para o cargo de diretor de presídio
SAÚDE
Lesão de continuidade na pele pode ser porta de entrada para bactérias
EDUCAÇÃO
Fapec seleciona profissionais para atuarem em projetos coordenados pela fundação
FUTEBOL
Com eleição adiada, Barcelona não deve ir ao mercado em janeiro
BRASIL
Ciclistas protestam contra morte de colega por motorista bêbado no Rio de Janeiro
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Projeto concede incentivo fiscal para quem patrocinar cirurgias no SUS
ESPORTES
Australian Open: tenistas são isolados após contatos com infectados
SAÚDE
Covid-19: entidade orienta sobre vacinação em pacientes reumáticos
FRONTEIRA
Homem é preso portando arma de fogo e munições em Ponta Porã

Mais Lidas

BR-163
Homem morre após colidir carro de passeio contra caminhão
OPERAÇÃO
Polícia fecha "boca de fumo" comandada por família no Canaã IV
SIDROLÂNDIA
Flagrada invadindo residência, mulher é amarrada em árvore por populares
PANDEMIA 
Dourados tem oito mortes por Covid em 24 horas