Menu
Busca domingo, 16 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Governo e CEE alertam sobre propaganda enganosa de cursos

21 setembro 2004 - 16h43

Escolas dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Ceará e Paraná estão divulgando, por meio de panfletos e em jornais impressos de Mato Grosso do Sul, a ilusória propaganda de que em apenas três meses as pessoas podem concluir o ensino fundamental ou o ensino médio, com a garantia de certificado aqui em Mato Grosso do Sul.A Secretaria de Estado de Educação (SED) e o Conselho Estadual de Educação (CEE-MS) recomendam ao cidadão e à cidadã que se informem sobre as propostas para não ser lesados. A oferta de diploma em curto período de tempo é irregular, pois essas escolas não têm autorização do CEE-MS para atuar no Estado. “Não existe nenhum curso autorizado pelo Conselho de Educação para que escolas ofereçam educação a distância em Mato Grosso do Sul. Para que qualquer curso tenha reconhecimento dentro do nosso território, é fundamental a autorização”, afirma a presidente do CEE-MS, Vera de Fátima Paula Antunes. Ela explica também que as universidades do Estado não aceitam os certificados de conclusão de cursos não-autorizados. Para funcionar no Estado, todo curso de educação de jovens e adultos (EJA) deve obedecer à Deliberação 6.220 do CEE, regulamentada em 2001. Ela estabelece que as aulas do ensino fundamental (que possui quatro fases), para as pessoas acima de 15 anos, e do ensino médio (com duas fases), que atende maiores de 18 anos, devem ser presenciais e ter, no mínimo, 600 horas de duração. Para a gestora da Coordenadoria de Normatização das Políticas Educacionais da Secretaria de Estado de Educação (SED), Ana Mércia Businaro Barroso, as escolas que anunciam os cursos em tempo muito curto não seguem a regulamentação e estão agindo de má-fé com os cidadãos e cidadãs de Mato Grosso do Sul. “As pessoas responsáveis por essas escolas sabem quais são os procedimentos necessários para conseguir a autorização do conselho para atuar aqui”, revela.As pessoas interessadas em freqüentar a EJA, antes de se inscreverem em qualquer escola, devem procurar o CEE ou a SED para confirmar a legalidade da escola e do curso que está sendo vendido. “As pessoas precisam estar alerta para não cair em nenhuma fraude”, ressalta Ana.Atualmente, nos 78 municípios do Estado, estão autorizadas para oferecer cursos de educação de jovens e adultos 208 escolas estaduais, 48 municipais e 51 particulares.Acordo- Desde 2002, foi selado um acordo entre os conselhos de educação do Brasil estabelecendo que as autorizações de um conselho só são válidas dentro do território onde o órgão atua.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Menina registrada pelo pai com nome de anticoncepcional usado pela mãe poderá mudar de nome
Veículo carregado com duas mil doses de vacina da gripe se envolve em batida
BR-163
Veículo carregado com duas mil doses de vacina da gripe se envolve em batida
POLÍCIA
Bebê de um ano e avó ficam reféns de sequestradores por seis horas
EDUCAÇÃO
Curso gratuito de desenvolvimento de aplicativos tem 40 vagas para jovens de sete municípios
JUSTIÇA
Retomada de implantação de sistema de apoio ao consumidor começa nesta segunda-feira
ESTADO
Por intermédio da Agepen, primeira certidão de nascimento digital de preso indígena é emitida
COVID-19
Botucatu inicia neste domingo vacinação em massa da população adulta
REGIÃO
Homem é encontrado morto com sinais de atropelamento
REGIÃO
Mulher mata o marido a facadas após discussão em MS
MINISTRO
Queiroga diz que ministério estuda campanha de testagem contra covid

Mais Lidas

CAMPO GRANDE
Após discussão, jovem bate veículo em poste e namorada que estava no capô morre
TRÁFICO DE DROGAS
Chefe do 'Comando Vermelho' e foragido há seis meses é preso em Dourados
FEMINICÍDIO
Mulher baleada na cabeça pelo ex-marido morre no hospital
CAPITAL
Jovem sai para comprar narguilé e morre após colidir moto contra poste