Menu
Busca sábado, 08 de agosto de 2020
(67) 99659-5905

Governo avalia reação a "ficha" de americanos

03 janeiro 2004 - 15h35

O governo federal estuda a possibilidade de recorrer da decisão que obriga todo cidadão norte-americano que desembarcar no Brasil a ser fotografado e ter as impressões digitais recolhidas pela Polícia Federal. A iniciativa é avaliada nos ministérios da Justiça e das Relações Exteriores, em conjunto com a Advocacia Geral da União. A decisão será política.A identificação dos norte-americanos já é feita em São Paulo desde anteontem. Em Salvador, desde ontem a PF está preparada para identificar visitantes dos EUA. Nos demais portos e aeroportos do país, a identificação depende apenas de as superintendências locais da PF se prepararem para executar a tarefa.Ao comentar as medidas no Brasil, Adam Ereli, porta-voz-adjunto do Departamento de Estado dos EUA, disse que "os países têm o direito soberano de determinar os requerimentos de entrada para estrangeiros".A Coordenação Geral de Imigração da PF já comunicou a decisão do juiz federal Julier Sebastião da Silva a todas as unidades do país. Por meio de nota divulgada ontem à tarde, a PF informou que as informações colhidas sobre os estrangeiros serão guardadas em banco de dados."O papel da polícia será apenas o de cumprir a decisão judicial, de caráter liminar, de maneira eficiente e cordial. Enquanto não for questionada na Justiça e não houver decisão de mérito sobre o caso, os estrangeiros de nacionalidade norte-americana serão identificados conforme ordenado pela sentença", diz a nota.A decisão de identificar os cidadãos norte-americanos a partir de 1º de janeiro partiu de pedido do procurador José Pedro Taques, do Ministério Público Federal. Trata-se de uma reação contra a medida anunciada pelo Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos, que obriga turistas brasileiros, entre outros, a deixar foto e digitais ao ingressar em território norte-americano.A embaixada dos EUA em Brasília não quis se manifestar. Em nota, limitou-se a dizer que o processo de identificação dos estrangeiros que entrarem nos EUA não deverá durar mais do que "alguns segundos". O novo sistema entrará em vigor na segunda-feira."Depois de apresentar passaporte e outros documentos ao agente de alfândega e imigração e responder a perguntas rotineiras sobre a estadia nos EUA, o viajante será solicitado a deixar duas impressões digitais usando equipamento eletrônico que não utiliza tinta, e uma foto digital será tirada", diz a nota da embaixada.No Brasil, a PF não dispõe de equipamentos eletrônicos para recolhimento das impressões digitais. O sistema de identificação ficará por conta de cada superintendência regional da PF, mas, segundo a direção da polícia, a determinação do juiz será cumprida "o mais rápido possível".

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAL
Polícia flagra trio descarregando fardos de maconha em galpão
TECNOLOGIA
Detran digitaliza documentos antigos, limpa arquivos e ajuda famílias
LUTO
Vice-presidente do BB, Walter Malieni, morre aos 50 anos
TRÊS LAGOAS
Vinte pessoas vão parar na delegacia após festa em meio a mata
TJMS
Julgamentos do 2º grau do Judiciário de MS crescem 7% em julho
BRASIL
Prefeitos querem flexibilizar pagamento mínimo da educação em 2020
CAÇA-ILEGAL
Fazendeiro é flagrado com jacaré e multado pelo abate do animal
PANDEMIA
MS tem mais 11 mortes e casos confirmados de coronavírus ultrapassam 30 mil
FUTEBOL
Brasileirão começa hoje com protocolo especial contra a Covid-19
PANDEMIA
Paciente internado em Dourados morre de coronavírus

Mais Lidas

INVESTIGAÇÕES
Polícia desarticula quadrilha responsável por furtos e tentativa de homicídio em Dourados
DOURADOS
Mãe e marido de adolescente de 12 anos são autuados por estupro de vulnerável
PANDEMIA
Com mais dois óbitos confirmados, Dourados chega a 61 mortes por coronavírus
DOURADOS
Equipe do Samu se desloca para atender vítima de facadas em bairro