Menu
Busca domingo, 18 de abril de 2021
(67) 99257-3397

Genes que regulam tamanho do cérebro estão evoluindo

13 setembro 2005 - 12h11

A evolução continua no mais importante dos órgãos do homem, o cérebro. Em dois artigos publicados na edição de 9 de setembro da Science, cientistas dos Estados Unidos, Austrália e Nova Zelândia relatam a descoberta de que dois genes ligados ao tamanho do cérebro continuam a evoluir rapidamente. “Os resultados obtidos indicam que as principais características que definem a evolução humana, o tamanho e a complexidade do cérebro, ainda não estão completamente definidas”, disse Bruce Lahn, líder da pesquisa que resultou nos artigos, em comunicado da Universidade de Chicago. “Nosso ambiente e as habilidades de que necessitamos para nele sobreviver estão mudando mais rapidamente do que imaginávamos e podemos esperar que o cérebro continue a se adaptar a tais mudanças.” Indivíduos Segundo Lahn, a evolução não ocorre no nível da espécie. Em vez disso, alguns indivíduos primeiro adquirem uma mutação genética específica e, como tal variante confere aos que a adquiriram uma maior chance de sobrevivência, essa acaba se espalhando pela população. “Estamos vendo dois exemplos desse processo em plena ação. Em cada caso, trata-se da transmissão de uma nova variante genética num gene que controla o tamanho do cérebro, variante claramente favorecida pela seleção natural”, afirma Lahn. O novo estudo investigou variações em dois genes, ASPM e microcefalina, associados à microcefalia, distúrbio neurológico em que o tamanho do cérebro da criança é menor do que o normal. Os pesquisadores descobriram evidências de que os dois continuam evoluindo. Pode diminuir Para cada um dos genes, uma classe de variantes surgiu recentemente - em relação à história do homem moderno, que tem cerca de 200 mil anos - e tem se espalhado rapidamente, uma vez que é favorecida pela seleção natural. Ou seja, o tamanho do principal órgão humano pode diminuir, apesar de os cientistas afirmarem que mais estudos são necessários para chegar a algum tipo de conclusão nesse sentido. Para a microcefalina, a nova variante apareceu há cerca de 37 mil anos e os cientistas calcularam que ela está presente hoje em cerca de 70% da humanidade. Para a ASPM, a nova classe surgiu há 5,8 mil anos e já está em 30% dos humanos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS tem previsão de domingo com sol entre nuvens e máxima de 34°C
CLIMA
MS tem previsão de domingo com sol entre nuvens e máxima de 34°C
Mega-Sena premia uma aposta com R$ 40 milhões e 11 douradenses acertam a Quadra
LOTERIAS
Mega-Sena premia uma aposta com R$ 40 milhões e 11 douradenses acertam a Quadra
Brasil terá em maio 4 milhões de doses do Covax Facility
COVID-19
Brasil terá em maio 4 milhões de doses do Covax Facility
Beneficiário do Mais Social terá que participar de cursos profissionalizantes
ESTADO
Beneficiário do Mais Social terá que participar de cursos profissionalizantes
Bolsonaro visita cidade de Goiás com Pazuello e causa aglomeração
COLAPSO
Bolsonaro visita cidade de Goiás com Pazuello e causa aglomeração
CAMPO GRANDE
Jovem com problemas emocionais se despede de familiares e desaparece
PANDEMIA SEM CONTROLE
Brasil ultrapassa 371 mil mortos por Covid; 2.865 mortes em 24 horas
APLICATIVO
Celulares podem ajudar no combate a fraudes em bombas de combustíveis
COXIM
'Descontrolado', adolescente é apreendido por pilotar moto e dar tiros
MOEDA FORTE
Paraguaios aproveitam valorização do guarani para compras no Brasil

Mais Lidas

DOURADOS
Motociclista é preso após passar 'fumando um baseado' ao lado de viatura
DOURADOS
Interno morre após briga com companheiro de cela da PED
PED
Arma de fabricação caseira é encontra em cela de interno morto
RONDAS
Bicicleta roubada há 14 anos é recuperada em Dourados