Menu
Busca quinta, 28 de maio de 2020
(67) 99659-5905

Gato que pegava ônibus sozinho morre atropelado na Inglaterra

19 janeiro 2010 - 14h39


Foto: Reprodução/Daily Mail
Casper sentava no mesmo banco dentro do ônibus Número 3. (Foto: Reprodução/Daily Mail)
O gato Casper, de 12 anos, era conhecido em Plymouth, na Inglaterra, por pegar diariamente o mesmo ônibus, no mesmo horário, ao longo de quatro anos. Segundo reportagem do britânico "Daily Mail", o animal morreu atropelado por um carro enquanto tentava entrar no ônibus da linha Número 3.

Casper embarcava sozinho todos os dias às 10h55, em um ponto em frente à casa em que vivia. Durante uma hora, ele ficava sentado em uma das poltronas enquanto o ônibus percorria o itinerário de cerca de 17 quilômetros.

A dona de Casper, Susan Finden, lamentou a morte trágica do animalzinho. "Muitas pessoas conheciam o Casper, que amava todo mundo. Ele vai fazer muita falta", disse.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA
Novo coronavírus ainda não chegou aos distritos de Dourados
DOURADOS
Primeiro dia de barreira sanitária flagrou três suspeitos de coronavírus
ARTIGO
Home Office
COVID-19
MPE pede multa diária de R$ 30 mil ao município por falta de estudo epidemiológico de casal
COVID-19
Curva segue ascendente e Dourados ultrapassa 200 casos de coronavírus
APARECIDA DO TABOADO
Proprietário de fazenda é autuado em quase R$ 13 mil por exploração ilegal de madeira
DOURADOS
Na reta final, vacinação contra Influenza só atingiu meta em dois grupos até agora
SAÚDE PÚBLICA
Segundo do país em incidência, MS se aproxima de 60 mil notificações por dengue
ARQUITETURA & DESIGN
O sonho de toda mulher: o closet por Juliana Saraiva
PANDEMIA
Mesmo com o aumento diário de casos de coronavírus, douradenses mantêm isolamento baixo

Mais Lidas

DOURADOS
Paciente com suspeita de coronavírus afasta mais de 20 profissionais da saúde no HV e UPA
PANDEMIA
Dourados é "campeã" de casos de coronavírus em MS pelo 3º dia consecutivo
PANDEMIA
Dourados investiga morte com suspeita do novo coronavírus
DOURADOS
Empresários cobram de Délia prova científica para justificar toque de recolher