Menu
Busca quinta, 13 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Funai comemora amanhã Dia dos Povos Indígenas

08 agosto 2004 - 21h10

O tempo dos grandes massacres indígenas no Brasil, período da construção da rodovia transamazônica nos anos 70, já passou, mas a situação dos cerca de 350 mil índios que vivem no país ainda é bastante precária, segundo a Fundação Nacional do Índio (Funai), que nesta segunda-feira comemora junto à ONU o 10º Dia Nacional dos Povos Indígenas do Mundo. "Hoje em dia assistimos a pequenos massacres devido à indiferença com relação a seus direitos fundamentais à terra, a educação e à saúde", declarou Sidney Possuelo, da Funai. A 504 anos do descobrimento do Brasil, a situação dos índios é muito precária. No Brasil, os 350 mil índios (apenas 0,2% dos brasileiros) estão divididos em 215 etnias, com 20 grupos indígenas que nunca tiveram contato com os ocidentais. "Os índios são minoria desprezada pelo resto da sociedade brasileira e continuam esperando o novo "Estatuto dos Povos Indígenas", que dará aos membros de suas comunidades os mesmos direitos de qualquer cidadão comum", disse Possuelo. A lei atual brasileira considera os povos indígenas da mesma forma que um menor de idade e os coloca sob tutela da Funai. Além disso, a Constituição de 1988 não foi respeitada, pois decretava que as 739 reservas indígenas existentes fossem demarcadas em 1993 e até agora isto só foi feito em metade das áreas tribais. Freqüentemente as terras indígenas são invadidas por garimpeiros ilegais, gerando enfrentamentos, muitas vezes sangrentos. Quando os portugueses chegaram no Brasil, a população indígena era de entre três e cinco milhões de pessoas, segundo historiadores. Hoje restam apenas 350.000, e seus dialetos, mitos e conhecimentos medicinais são objeto de estudo, embora estejam morrendo por causas relacionadas à desnutrição ou novas doenças. Possuelo mudou há 16 anos a forma de entrar em contato com os índios isolados (sem contato com os ocidentais) e convenceu as autoridades de não tentar falar com eles. "Estes índios conhecem o homem branco e decidiram não se aproximar. É preciso respeitar esta decisão, proteger a ecologia da região onde vivem até o dia em que, inevitavelmente, este isolamento seja rompido devido a um interesse da sociedade nacional, como por exemplo a construção de uma represa", afirmou. "Há uma necessidade urgente de se fazer algo pelos índios no Brasil, porque o tempo corre contra seus interesses e seu destino está nas nossas mãos", reconheceu. "Os índios nos obrigam a refletir sobre outro tipo de sociedade, uma sociedade que não precisa de consumo desenfreado, nem da tecnologia de ponta, nem da concorrência sem sentido: uma vida sem os interesses multinacionais de uma sociedade angustiada", diz Possuelo. Ao final da entrevista, o defensor dos índios da Funai citou um exemplo da experiência dos índios Waimiri-atroari da Amazônia, que acabam de festejar o nascimento do membro número 1.000 de sua tribo: um bebê que recebeu o nome de Iawyraky, que quer dizer "lutador, no sentido de homem com grande capacidade de sobreviver".

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASILÂNDIA
Jovem de 23 anos destrói recepção de hospital durante surto
BRASÍLIA
Secretário Mario Frias é submetido a cateterismo de emergência
TRÊS LAGOAS
Homem que matou cantor a tiros em tabacaria é condenado a 46 anos
BRASIL
Câmara aprova projeto que pode restringir atuação da oposição
Homem contrai dívida de R$ 32 mil ao fazer portabilidade de empréstimo
BENEFÍCIO
Cultura prorroga prazo para entrega de documentação do FIC
POLÍCIA
Condutor de lancha envolvida em acidente com morte presta depoimento
EDUCAÇÃO
Metas do Inep para o ano não incluem aplicação do Enem 2021
IVINHEMA
Três dias depois de ser envenenada pela mãe, criança recebe alta
FERIADO
Comarca de Angélica não terá expediente amanhã e sexta-feira

Mais Lidas

INDÁPOLIS
'Frio' e com roupa ainda suja de sangue, assassino de tio não mostrou arrependimento ao ser preso
PANDEMIA
Novo decreto mantém toque de recolher às 21h e autoriza abertura de cinema em Dourados
DOURADOS
Descontrolado, pastor xinga policiais por ser orientado a diminuir som de igreja
CLIMA
Inmet alerta Dourados para perigo de chuvas intensas e declínio de temperatura