Menu
Busca sexta, 10 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Funai ainda aguarda ida de indigenista para Amambai

05 janeiro 2004 - 10h53

A Funai (Fundação Nacional do Índio) em Brasília ainda não confirmou o envio a Mato Grosso do Sul do indigenista Cláudio Romero e uma equipe de técnicos para negociar a saída dos índios guarani, que desde o dia 23 de dezembro ocupam fazendas na região de Amambai, a 390 quilômetros de Campo Grande. O administrador da Funai em Amambai, Wilian Rodrigues, disse que a presença de Romero foi um pedido dos próprios indígenas. A solicitação foi encaminhada à sede nacional do órgão na semana passada, mas, até agora, não houve resposta. Rodrigues explica que Romero é uma pessoa conhecida entre a comunidade guarani e pode conseguir dar fim ao conflito envolvendo índios e fazendeiros na região sul de Mato Grosso do Sul. A confirmação da vinda dele ao Estado pode ser confirmada ainda nesta manhã.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Mulher foi atacada com facão pelo filho sem motivo após ele beber
AGLOMERAÇÃO
Bolsonaro abraça pessoas e posa para fotos em padaria de Brasília
CAMPO GRANDE
Condenado a 13 anos, homem é preso sete anos depois do crime
UFGD
Inscrições para contratação de professor visitante vão até o dia 17
RIBAS DO RIO PARDO
Caseiro atira contra ‘invasores’ e descobre que eram parentes do patrão
SOLIDARIEDADE
Campanha do Agasalho Abevê espere arrecadar 38 mil peças de roupa
DOURADOS
Inova Unigran desenvolve protótipos de protetores faciais para doação
ESTALIONATO
Produtor rural perde cerca de R$ 123 mil em golpe de venda de gado
RURAL
MS deve registrar safra de 11 milhões de toneladas, maios da história
TRÊS LAGOAS
Motorista é preso após digirir bêbado por mais de 30 quilômetros

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher tenta desviar de buraco, é atropelada por carreta e morre
DOURADOS
Assassinos de homem no Parque das Nações roubaram celular de testemunha
DOURADOS
Na volta ao atendimento, populares formam filas longas em frente a agências bancárias
DOURADOS
Mulher morta em acidente cursava pedagogia e terá corpo levado a Naviraí