segunda, 17 de janeiro de 2022
Dourados
37°max
26°min
Campo Grande
34°max
23°min
Três Lagoas
38°max
26°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Fórum do Pantanal comemora retirada de projeto das usinas

11 dezembro 2003 - 15h43

O Fórum de Defesa do Pantanal considerou uma vitória a retirada do projeto do deputado Paulo Corrêa (PL), que autoriza a implantação de usinas de álcool na bacia do Rio Paraguai, da pauta de votação da Assembléia Legislativa. A entidade, formada por 15 organizações não governamentais, pretende, no entanto, continuar vigilante e trabalhando para que essa ameaça seja totalmente dissipada, ou seja, que o projeto não retorne à AL  ou, se voltar, que seja rejeitado. A informação é do empresário Astúrio Ferreira dos Santos, presidente do fórum, que está desenvolvendo um trabalho junto à opinião pública, para conscientiza-la da importância de somar forças contra essa e qualquer outra ameaça semelhante ao Pantanal. O presidente da ONG Rios Vivos, Alcides Faria, informou que “o momento não é de comemorar, e sim de continuar o trabalho pela preservação da região pantaneira”, comentou. Segundo ele, estão sendo coletadas assinaturas de pessoas da comunidade em várias cidades do Estado contrárias à implantação do projeto do deputado Paulo Corrêa, ou qualquer outro que implique na implantação de usinas de álcool no Pantanal. Na próxima semana, segundo ele, o fórum deverá se reunir para traçar metas a respeito da coleta e número de assinaturas que deverão ser, posteriormente, entregues às autoridades constituídas, inclusive ao governador Zeca do PT.Alcides Faria comentou sobre o perigo das usinas em contaminar o ‘Aquífero Guarani’, (maior reservatório de água potável subterrânea do mundo), que abrange boa parte dos municípios de Mato Grosso do Sul. Segundo ele, não se pode instalar usinas de álcool na região do alto Pantanal, sem antes se identificar as zonas de recargas desse potencial de água.O presidente da ‘Rios Vivos’ e membro do Fórum comentou também sobre os 300 metros acima do nível do mar, como regiões aptas, de acordo com o projeto de Paulo Corrêa, para a exploração com usinas de álcool. Alcides Faria citou que o município de Bonito, com seus 315 metros, “poderia tornar-se um grande canavial, de acordo com o projeto do parlamentar”, informou. Segundo ele, se isso viesse a ocorrer, seria o fim do turismo na região e, conseqüentemente, dos rios ali existentes.Os membros do Fórum de Defesa do Pantanal esperam que o deputado use do bom senso e retire de vez o projeto do legislativo. Eles acreditam também que não só os parlamentares da oposição ao governo, como da própria situação e das bancadas aliadas, estão se conscientizando do perigo que representa a instalação de usinas naquela região, que é considerada Patrimônio Ecológico da Humanidade. Porisso, se a matéria voltar, poderá ser rejeitada.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

Morre no Rio, aos 64 anos, a atriz Françoise Forton
LUTO

Morre no Rio, aos 64 anos, a atriz Françoise Forton

INTERNACIONAL

No Vaticano, papa Francisco diz rezar por vítimas das chuvas no Brasil

PANDEMIA

Presidente: autoteste pode conter transmissão de vírus mais rápido

Veículos colidem frontalmente na MS-450 e vítimas são encaminhadas para hospital
ACIDENTE

Veículos colidem frontalmente na MS-450 e vítimas são encaminhadas para hospital

ESPORTE

Rayssa Leal fatura STU de Criciúma, 1ª etapa do circuito brasileiro

REGIÃO

Menor sofre acidente ao colidir bicicleta contra veículos em via pública

SAÚDE

Síndrome de Burnout é reconhecida como fenômeno ocupacional pela OMS

EDUCAÇÃO

Prefeitura abre processo seletivo para estagiários de Ensino Médio e Superior

INTERNACIONAL

EUA: ocupação de sinagoga termina com sequestrador morto

DOURADOS

Apartamento é invadido e placa de vídeo de computador furtada

Mais Lidas

REGIÃO

Carro pega fogo e motorista morre em colisão entre Dourados e Fátima do Sul

DOURADOS

Confusão próxima à região conhecida como 'cracolândia' deixa homem ferido

TRAGÉDIA

Motorista carbonizado em acidente na BR-376 morava em Dourados

DOURADOS

Detento é levado para a UPA após 'surtar' e bater cabeça várias vezes em grades de cela