Menu
Busca quarta, 14 de abril de 2021
(67) 99257-3397

Fiscais do Estado retém caminhão com notas falsas

14 julho 2005 - 12h34

Escoltada pela fiscalização móvel da SERC (Secretaria Estadual de Receita e Controle) e por uma viatura da PRF (Polícia Rodoviária Federal), chegou ontem por volta das 21 horas em Campo Grande uma carreta apreendida em Coxim na noite do dia 12. O caminhão, contendo uma carga de 45 toneladas de batentes e guarnições de madeira, teria saído de Juara (no norte de Mato Grosso) com destino ao Rio de Janeiro, mas foi abordado por agentes tributários estaduais no posto da PRF em Coxim. Eles descobriram que os carimbos dos postos fiscais de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul aplicados na nota fiscal eram falsos e, com a ajuda da Polícia, retiveram a carreta com a carga.
O caminhão encontra-se estacionado no pátio da COFIMT (Coordenadoria de Fiscalização de Mercadorias em Trânsito), na saída para São Paulo, e deve passar hoje por minuciosa vistoria. Ontem à noite os agentes tributários José Henrique Paes de Barros e José Aparecido de Moura, responsáveis pela descoberta da fraude, apresentaram os fatos ao delegado Nilson Tobias, titular da Delegacia Especializada de Crimes Fazendários.
Os policiais rodoviários que efetuaram a prisão do caminhoneiro também encontraram 14 notas fiscais e quatro carimbos falsificados, dois da Secretaria de Fazenda de Mato Grosso e dois da SERC, de Mato Grosso do Sul. Para José Henrique, esse número de notas fiscais pode ser indício de que elas seriam usadas em outras viagens, também com o objetivo de sonegar impostos. O próximo passo será a apresentação dos fatos pelo delegado ao Ministério Público, que pode ou não oferecer denúncia junto ao Judiciário. De qualquer forma, a mercadoria somente poderá ser liberada quando houver o pagamento do imposto e da multa aplicada pela Secretaria de Receita do Estado.
Para José Felisberto dos Reis Filho, gestor de processos da COFIMT/SERC, a falsificação de carimbos não deixa de ser uma sofisticação no processo de sonegação. “Com o carimbo, fica mais difícil identificar a fraude, porque as pessoas, ao enxergarem o carimbo do Estado aplicado no documento, dificilmente vão questionar sua autenticidade. Isso só pode ser feito pelo agente do Fisco, que é quem tem condições de identificar a falsificação, como aconteceu”, concluiu.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA SEM CONTROLE
Brasil passa de 362 mil mortes por Covid, com 3.462 registradas em 24 horas
SONORA
Acusado de matar a ex-mulher com 10 facadas é preso se escondendo em cemitério
JUDICIÁRIO
Plenário do STF mantém decisão que determinou instalação da CPI da Covid
PEDRO JUAN
Atingido a tiros por pistoleiros, homem dirige caminhonete até hospital
Saúde de MS recebe 45.416 medicamentos do kit intubação
COVID-19
Saúde de MS recebe 45.416 medicamentos do kit intubação
OPERAÇÃO HÓRUS
Veículos carregados com contrabando são apreendidos
CORONAVÍRUS
Com estoque em situação crítica de 'kit intubação', Dourados segue com UTIs lotadas
INFRAESTRUTURA
Governo de MS renova corredores de ônibus em Dourados
Motorista atropela e mata atual marido da ex e deixa bebê em estado grave
UEMS
Divulgado resultado preliminar para seleção de tutores e professores 

Mais Lidas

RIO BRILHANTE
Soldado da Polícia Militar é encontrado morto no interior de residência
IZIDRO PEDROSO
Estado doará terrenos e busca parceria para construir casas populares em Dourados
DOURADOS
Homem encontrado morto pode ter envolvimento em esquema de agiotagem internacional
CASA PRÓPRIA
Prefeitura abre recadastramento habitacional em Dourados