Menu
Busca quinta, 13 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Filas e atraso prorrogam horário de votação na Venezuela

15 agosto 2004 - 14h48

Diante das grandes filas que se formaram em diversos postos de votação do país, o CNE (Conselho Nacional Eleitoral) decidiu prorrogar o horário da votação do referendo revogatório do presidente Hugo Chávez para as 20h (21h em Brasília). O presidente do CNE, Francisco Carrasquero, já havia sinalizado para um prolongamento do horário das votações para atender todos os eleitores que participam do primeiro referendo que pode retirar um presidente na história da Venezuela. Segundo o vice-presidente do CNE, Ezequiel Zamora, "enquanto existam eleitores, a qualquer hora da noite, a mesa estará aberta". Os venezuelanos comparecem em massa ao primeiro processo eleitoral eletrônico. Até o momento não foram registradas ocorrências violentas. A oposição classificou como "castigo" e "penitência" a espera que alguns eleitores enfrentam para votar --em alguns postos, a demora chega a oito horas. Voto livre Na Venezuela o voto não é obrigatório e, para retirar o presidente, a oposição tem de conseguir ao menos 3,757 milhões de votos [total conquistado por Chávez quando foi reeleito em 2000] e um comparecimento de 25% de eleitores às urnas. Segundo o CNE, 14.037.900 eleitores estão cadastrados para votar. Os trabalhos nas mesas eleitorais começaram às 6h (7h em Brasília) e deveriam terminar às 16h (17h em Brasília). O dirigente da oposição venezuelana Henrique Salas Romer chamou de "abuso" as seis ou oito horas que as pessoas estão tendo de esperar para votar neste domingo no referendo que vai decidir o futuro do presidente Hugo Chávez Em cerca de 90% dos centros eleitorais venezuelanos está sendo adotado o sistema eletrônico. O eleitor vota tem um minuto para apertar "sim" ou "não". Depois disso, ele pega a impressão do voto e deposita em uma urna. Segundo o CNE, o processo tem o objetivo de impedir fraudes. Somente locais de difícil acesso, onde não há energia elétrica ou linhas telefônicas, o sistema permanecerá com cédulas em papel. O ineditismo do referendo para presidente da República é obra do próprio Chávez que, em 1999, aprovou o dispositivo na nova Constituição do país.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASILÂNDIA
Jovem de 23 anos destrói recepção de hospital durante surto
BRASÍLIA
Secretário Mario Frias é submetido a cateterismo de emergência
TRÊS LAGOAS
Homem que matou cantor a tiros em tabacaria é condenado a 46 anos
BRASIL
Câmara aprova projeto que pode restringir atuação da oposição
Homem contrai dívida de R$ 32 mil ao fazer portabilidade de empréstimo
BENEFÍCIO
Cultura prorroga prazo para entrega de documentação do FIC
POLÍCIA
Condutor de lancha envolvida em acidente com morte presta depoimento
EDUCAÇÃO
Metas do Inep para o ano não incluem aplicação do Enem 2021
IVINHEMA
Três dias depois de ser envenenada pela mãe, criança recebe alta
FERIADO
Comarca de Angélica não terá expediente amanhã e sexta-feira

Mais Lidas

PANDEMIA
Levado pela Covid-19, "João da União" deixa legado para família e em Dourados
INDÁPOLIS
'Frio' e com roupa ainda suja de sangue, assassino de tio não mostrou arrependimento ao ser preso
DOURADOS
Homem morre no HV após acidente com condutor que empinava moto
PANDEMIA
Novo decreto mantém toque de recolher às 21h e autoriza abertura de cinema em Dourados