Menu
Busca segunda, 25 de maio de 2020
(67) 99659-5905

Fiel acusa padre de revelar confissão e seduzir namorada

13 dezembro 2009 - 08h18

Uma polêmica envolvendo fé, poder e traição quebrou a habitual tranquilidade da comunidade de Pedra de Guaratiba, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Um fiel da Paróquia de São Pedro Apóstolo — principal templo católico do bairro — apresentou denúncia à Arquidiocese do Rio de Janeiro contra o padre Marcus Vinicius Antunes Trindade, 39 anos, por quebra do sigilo no sacramento da confissão. O pároco também é acusado de seduzir uma fiel. O caso está sendo investigado pelo Tribunal Eclesiástico Interdiocesano do Rio de Janeiro e gerou registro policial na 43ª DP (Pedra de Guaratiba).

Católico fervoroso, o professor Frank Omenuko Omenka, 55 anos, conta que sempre incentivou a namorada, Beatriz Silva de Araújo, 26 anos, a frequentar a igreja. “Namoramos durante seis anos. Eu sempre insistia para que ela fosse à missa. Insisti para que a Bia fizesse primeira comunhão, crisma. Ela ia à igreja, mas criticava o padre. Dizia que ele era um safado. Eu sempre a repreendia, afinal os padres são homens de Deus”, conta Frank, que nasceu na Nigéria e mora em Pedra de Guaratiba há sete anos. “Eu era amigo do padre Marcus, tocava gaita na igreja”, lembra.

Frank diz que começou a desconfiar que havia algo errado quando a namorada parou de ofender o padre e passou a se confessar com mais frequência. “Ela começou a visitar a igreja sempre. Dizia que ia se confessar e ficava mais de uma hora com o padre. Senti algo diferente. O padre me enviou vários e-mails pedindo o telefone e o MSN (programa utilizado para bate-papo) da Bia”.

Frank diz ter confirmado suas suspeitas em 29 de abril deste ano. “A Bia me pediu o carro emprestado para ir à casa da avó. Mas quando passei em frente à igreja o carro estava lá. Fui até a casa paroquial e as portas estavam trancadas. Comecei a bater, até que o padre abriu. Ele estava sozinho com a Beatriz”.

Em carta dirigida a Frank, Beatriz confirmou que havia se envolvido com o padre. A estudante afirmou ainda que o pároco revelava segredos de confissão do professor. “Ela me perguntou se padre podia contar segredos de confissão. Depois me disse que o padre Marcus contava minhas confissões. Isso me revoltou muito, abalou minha fé”, indigna-se Frank, que elaborou um dossiê contra o padre e o denunciou à Arquidiocese.

Apesar de negar ter mantido relações sexuais com o padre Marcus, Beatriz confirma o envolvimento afetivo com o sacerdote: “Eu estava um pouco decepcionada com o Frank. O padre Marcus ficava me atiçando. Contava segredos de confissão do Frank e depois me perguntava por que eu ainda estava com ele. Com o tempo, ele começou a se mostrar carinhoso. Segurava na minha mão, me pedia abraços e beijos”.

Beatriz revela que no dia em que Frank a encontrou trancada com o padre na casa paroquial as ‘coisas ficaram quentes’. “Sabe como é, ele é padre, mas é homem, e eu, mulher. Quando ele pegou na minha mão, as coisas esquentaram. Talvez, se o Frank não tivesse chegado, nós teríamos feito sexo”, disse.

Procurado, padre Marcus negou as denúncias. Ele classifica o caso como ‘conspiração motivada por ciúme doentio’. “Nada disso tem fundamento. É uma conspiração motivada por ciúme. O tribunal canônico está apurando tudo. Estou nesta paróquia há 12 anos e nunca tive qualquer problema”.

Segundo o padre, Frank interpretou mal os fatos. “O Frank chegou um dia aqui e achou que estava acontecendo algo, mas isso não procede. A namorada dele estava se confessando. Outros paroquianos estavam na igreja e viram. Nunca revelei segredos de confissão de qualquer fiel. O Frank levantou suspeitas sem provas, agora as coisas estão se voltando contra ele”, diz o padre, que registrou ocorrência na 43ª DP (Guaratiba) por difamação e move uma ação cível por danos morais contra Frank. “A paróquia quer que eu dê uma resposta. Mas estou aguardando a posição da diocese para falar”, concluiu o padre.

A Arquidiocese do Rio de Janeiro informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que as denúncias não procedem. Segundo a Mitra, o caso está sendo investigado pelo Tribunal Eclesiástico. A arquidiocese informou ainda que o padre Marcus já tomou as devidas providências judiciais em relação ao caso.


Deixe seu Comentário

Leia Também

STJ
Quinta Turma dará mais publicidade aos processos levados em mesa para julgamento
BRASIL
Câmara pode votar Lei de Emergência Cultural na próxima terça-feira
BRASIL
Firjan Senai oferece cursos de aperfeiçoamento para todo o país
STJ
Juiz deverá aplicar medidas coercitivas a familiares que se recusam a fazer DNA, sejam ou não parte na investigação de paternidade
STF
Empresas optantes pelo Simples têm direito a imunidades em receitas decorrentes de exportação
MINISTRO
Weintraub: “tentam deturpar minha fala para desestabilizar a nação”
DIA MUNDIAL
Situação de stress social pode ser gatilho para quem tem esquizofrenia
ESTADO
Canil do Corpo de Bombeiros participa de ocorrências no interior e na capital
ESPORTE
Beach Handebol brasileiro busca alternativas para se manter no topo
INTERIOR
Com peças de Lego, alunas da UEMS criam robô que ajuda na prevenção do coronavírus

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Homem morre atropelado por rolo compactador
PANDEMIA
Dourados ultrapassa marca de 100 casos confirmados de coronavírus
MARACAJU
Homem morre após tentativa de fuga e troca de tiros com a polícia
MS-145
Motorista disse não ter visto momento que atropelou e matou ciclista