Menu
Busca quinta, 21 de outubro de 2021
(67) 99257-3397

Fazendeiro é preso por suspeita de escravidão em MT

26 março 2008 - 11h35

Uma suspeita de escravidão por dívida e de trabalho degradante em uma propriedade rural de Alta Floresta (MT) levou à prisão em flagrante do dono da fazenda --o que nunca havia ocorrido até então no Estado.
O MPT (Ministério Público do Trabalho) só teve conhecimento da situação na fazenda depois que um dos trabalhadores resolveu abandonar seu alojamento e andar --sem água ou comida-- cerca de 40 km em um atalho aberto na meio da mata fechada para fazer a denúncia ao órgão na cidade.

De acordo com seu relato, ele e dois colegas só poderiam ir embora depois de pagar, com trabalho, alimentos comprados pelo proprietário. O procurador do Trabalho Rafael de Araújo Gomes afirmou que, ainda assim, a travessia não pode ser considerada uma fuga, já que o fazendeiro Altair Vezentin não o impediu fisicamente de ir embora, apenas o obrigou a andar pela floresta para fazê-lo.

"[Vezentin] Disse que ele [trabalhador] poderia ir, mas os outros dois deveriam ficar para garantir o pagamento do que ele havia comprado para eles comerem, uns R$ 400 em arroz, café, açúcar e óleo", afirmou o procurador. Antes uma das principais modalidades de trabalho análogo à escravidão, a ligação por dívida é, hoje, uma prática raramente encontrada pela fiscalização. Normalmente, as péssimas condições de alojamento e alimentação é que acabam por configurar o crime.

A discórdia entre os três e o empregador começou quando eles perceberam que o trabalho combinado --preparar o campo para a pecuária-- seria muito mais complicado do que parecia inicialmente. Eles tentaram então negociar um pagamento mais alto, o que foi negado pelo fazendeiro, segundo o MPT.

A denúncia foi feita na segunda-feira da semana passada, e o procurador chegou ao alojamento na última quinta-feira, quando, com dois policiais militares, prendeu Vezentin --que já foi liberado. Gomes afirmou que os trabalhadores banhavam-se e bebiam a água de um riacho. Como banheiro, usavam a floresta. Ficavam em uma barraca cujo teto era de plástico.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FRONTEIRA
Apreendidos 226 quilos de cocaína nos destroços do helicóptero que caiu
INVESTIMENTO
Dourados recebe quase R$ 4 milhões em obras voltadas para o esporte
DETRAN
MS vai ter CNH Social para beneficiar cinco mil pessoas por ano
IMUNIZAÇÂO
Dourados segue com imunização contra Covid-19 nesta quinta-feira
MS
Preso na Bolívia, "gerente" do bando que roubou aviões é extraditado
TEMPO
Quinta-feira de sol com algumas nuvens em Dourados; não chove
OPERAÇÃO OURO BRANCO
Decretada preventiva de policiais que abasteciam presídio com drogas
BRASIL
Bolsonaro sanciona lei que proíbe eutanásia de cães e gatos de rua
CRIME AMBIENTAL
Homem sofre acidente, perde memória e tenta descobrir a causa
POLÍTICA
Senado aprova projeto que proíbe divulgação de infrações de trânsito

Mais Lidas

CAPTURA
Cobra é capturada em para-choque de carro na região central de Dourados
JARDIM MÁRCIA
Bandidos fazem "limpa" em motel de Dourados e levam até carro
REGIÃO
Duas pessoas morrem carbonizadas após queda de helicóptero carregado com cocaína
DOURADOS
Entreposto que tinha até pé de maconha é fechado e trio preso pela polícia