Menu
Busca terça, 11 de agosto de 2020
(67) 99659-5905

Falta de estrutura atrapalha ecoturismo em Bataguassu

13 dezembro 2003 - 08h04

A falta de estradas em boas condições de trafego e rede de energia elétrica para atender a demanda crescente de pousadas, hotéis fazendas e condomínios rurais às margens da represa formada pelas obras de construção da Usina Sérgio Mota, estão inviabilizando os investimentos em turismo em Bataguassu na divisa com o Estado de São Paulo.  As estradas que dão acesso a alguns pesqueiros na região de Bataguassu estão intransitáveis em decorrência das fortes chuvas  que estão caindo na região. O problema se agrava por não haver um reparo constante nessas estradas. A estrada que dá acesso ao Pesqueiro Favaretto é uma delas. Com um investimento de cerca de R$ 100 mil, seu proprietário Antonio Favaretto já lamenta a queda na procura pelo local. “São dezenas de turistas que estão vindo pra cá e quando vêem a estrada pensam em desistir e voltar pra trás”, argumentou. Outro problema é a falta de uma rede trifásica de energia elétrica que possibilitaria a ampliação do investimento. Faveretto diz que nem todos os apartamentos do pesqueiro podem ser ligados pois o aporte de energia para região não é suficiente para a demanda. No Hotel Fazenda Toca do Peixe as obras também estão paralisadas aguardando que as autoridades locais e estaduais tomem providência para solucionar os problemas. Pelo menos três condomínios ás margens do lago também estão com suas obras paralisadas. Os proprietários têm autorização apenas para fazer a ligação elétrica considera essencial para uma moradia comum. Aparelhos de ar condicionado e bombas para poços artesianos não são permitidos.  Os turistas que freqüentam os pesqueiros de Bataguassu e os pescadores da região praticam três modalidades de pesca  a de subsistência, integrada na cultura regional, que constitui importante fonte de proteína para as populações ribeirinhas; pesca esportiva, que se tornou o principal atrativo do turismo regional, especialmente no Estado; e pesca profissional, atividade tradicional, onde atuam centenas de pescadores em toda a região.  Mesmo com todas dificuldades os turistas continuam lotando os pesqueiros da região onde a pesca de algumas espécies está permitida principalmente a de tucunaré que é o peixe que mais atrai os pescadores do Mato Grosso do Sul e de São Paulo. As belezas naturais da região também são outro atrativo para quem gosta de apreciar a das aves da região ou do pôr do sol às margens do grande lago.(Antonio Coca)

Deixe seu Comentário

Leia Também

MATO GROSSO DO SUL
Decreto autoriza doação de bens móveis para combate ao coronavírus
COVID-19
Defensoria Pública se explica sobre atuação durante pandemia em Dourados
PANDEMIA
MS tem 26 mil recuperados da Covid-19, mas há 5,2 mil casos ativos e 544 morreram
RURAL
Safra deste ano deve ser 3,8% superior à de 2019, prevê IBGE
PANDEMIA
Dourados confirma mais dois óbitos por coronavírus; um deles de município vizinho
POLÍTICA PÚBLICO PRIVADA
Modelo de negócio da PPP será apresentado pela Sanesul nesta terça
ASSEMBLEIA DE MS
CCJR é favorável a tramitação da proposta que cria adicional de risco de vida
DOURADOS
Vereador quer reabertura de parques e volta das atividades esportivas
ECONOMIA
Produção industrial cresce em 14 locais em junho, diz IBGE
INCONSTITUCIONALIDADE
Defensores públicos e procuradores de MS têm foro questionado no STF

Mais Lidas

REGIÃO
Professora morre ao ter moto atingida por carro
DOURADOS
Suspeito de atropelar motociclista durante racha na BR-163 se apresenta à polícia
DOURADOS
Acidente entre carro e moto deixa homem em estado gravíssimo
FRONTEIRA
Ex-lutador de MMA é executado a tiros em confraternização