Menu
Busca sábado, 30 de maio de 2020
(67) 99659-5905
Saúde e Bem-estar

Falando de Transtorno Bipolar

19 maio 2020 - 06h00Por LUCIANE SPERAFICO
Ter mudança de humor é normal em qualquer pessoa. Mas quando se trata de oscilações de humor frequentes e com intensidades maiores podem significar um transtorno de humor, como, por exemplo, o transtorno bipolar.
 
Primeiro, faz-se necessário entender o que é esse transtorno. A psicoterapeuta mestre em Psicologia e especialista em terapia cognitiva comportamental explica sobre os sintomas do transtorno bipolar e suas principais implicações.
 
O transtorno bipolar, também conhecido como doença maníaco-depressiva, é um transtorno cerebral que causa mudanças incomuns no humor, na energia, nos níveis de atividade e na capacidade de realizar as tarefas do dia-a-dia.
 
Afeta cerca de 1,6% da população geral. A frequência entre homens e mulheres é semelhante, a idade de início é de 20 a 40 anos. 
 
Existem quatro tipos básicos de transtorno bipolar.  Todos eles envolvem mudanças claras no humor, na energia e nos níveis de atividade. Esses estados de humor variam de períodos de comportamento extremamente “ascendente”, exaltado e energizado (conhecido como episódios maníacos) a períodos muito tristes, “baixos” ou sem esperança (conhecidos como episódios depressivos). Os períodos maníacos menos severos são conhecidos como episódios hipomaníacos.
 
 
Tipos de Transtorno Bipolar
 
*Transtorno Bipolar I – definido por episódios maníacos que duram pelo menos 7 dias, ou por sintomas maníacos que são tão graves que a pessoa precisa de cuidados hospitalares imediatos. Geralmente, episódios depressivos ocorrem também, tipicamente durando pelo menos 2 semanas. Episódios de depressão com características mistas (com depressão e sintomas maníacos ao mesmo tempo) também são possíveis.
 
*Transtorno Bipolar II – definido por um padrão de episódios depressivos e episódios hipomaníacos, mas não os episódios maníacos desenvolvidos acima.
Desordem ciclotímica (também chamada ciclotimia) – definida por numerosos períodos de sintomas hipomaníacos, bem como inúmeros períodos de sintomas depressivos de pelo menos 2 anos, no entanto, os sintomas não atendem aos requisitos diagnósticos para um episódio hipomaníaco e um episódio depressivo.
 
Outros Transtornos Bipolares e Relacionados Especificados e Não Especificados – definidos por sintomas de transtorno bipolar que não correspondem às três categorias listadas acima.
 
*Sintomas
 
Depressão: humor deprimido, tristeza profunda, apatia, desinteresse pelas atividades que antes davam prazer, isolamento social, alterações do sono e do apetite, redução significativa da libido, dificuldade de concentração, cansaço, sentimentos recorrentes de inutilidade, culpa excessiva, frustração e falta de sentido para a vida, esquecimentos, ideias suicidas.
 
Mania: estado de euforia exuberante, com valorização da autoestima e da autoconfiança, pouca necessidade de sono, agitação psicomotora, descontrole ao coordenar as ideias, desvio da atenção, compulsão para falar, aumento da libido, irritabilidade e impaciência crescentes, comportamento agressivo, mania de grandeza. Nessa fase, o paciente pode tomar atitudes que reverterão em danos a si próprio e às pessoas próximas, como demissão do emprego, gastos descontrolados de dinheiro, envolvimentos afetivos apressados, atividade sexual aumentada e, em casos mais graves, delírios e alucinações.
 
Hipomania: os sintomas são semelhantes aos da mania, porém bem mais leves e com menor repercussão sobre as atividades e relacionamentos do paciente, que se mostra mais eufórico, mais falante, sociável e ativo do que o habitual. Em geral, a crise é breve, dura apenas uns poucos dias. Para efeito de diagnóstico, é preciso assegurar que a reação não foi induzida pelo uso de antidepressivos.
 
*Causas
 
Não se sabe ainda a causa exata do transtorno bipolar, mas alguns fatores podem contribuir para este problema, como as peculiaridades biológicas, por exemplo. Elas mostram que pessoas com transtorno bipolar apresentam diferenças físicas em seus cérebros, com atividade anormal dos neurônios. No caso dos hormônios, o desequilíbrio hormonal também está entre as possíveis causas, além da hereditariedade.
 
*Diagnóstico
 
Um bom diagnóstico e tratamento ajudam as pessoas com transtorno bipolar a levar vidas saudáveis e produtivas. Falar com um psiquiatra ou um psicólogo é o primeiro passo para qualquer pessoa que desconfie de um quadro de transtorno bipolar. Um psiquiatra pode completar um exame físico para descartar outras condições. Se os problemas não são causados por outras doenças, o médico pode realizar uma avaliação de saúde mental ou fornecer uma referência a um psiquiatra ou psicólogo, que tenham experiência em diagnosticar e tratar o transtorno bipolar.
 
*Tratamentos e Terapias
 
O tratamento adequado pode ajudar muitas pessoas, mesmo aquelas com as formas mais graves de bipolaridade, a obter um melhor controle de suas mudanças de humor e outros sintomas bipolares. 
 
Um plano de tratamento eficaz geralmente inclui uma combinação de medicação e psicoterapia. O transtorno bipolar é uma doença vitalícia. Episódios de mania e depressão costumam voltar ao longo do tempo. Entre os episódios, muitas pessoas com transtorno bipolar podem se ver livres de mudanças de humor, mas algumas pessoas podem ter sintomas persistentes. A longo prazo, o tratamento contínuo ajuda a controlar estes sintomas.
 
*A Psicoterapia
 
Quando feito em combinação com medicação, psicoterapia pode ser um tratamento muito eficaz para o transtorno bipolar. Ela pode fornecer apoio, educação e orientação para pessoas com o transtorno e suas famílias.
 
Alguns tratamentos de psicoterapia utilizados incluem:
 
Terapia cognitivo-comportamental (TCC)
 
Terapia focada na família
 
Terapia de ritmos interpessoais e sociais
 
Psicoeducação
 
Portadores de transtorno bipolar e seus familiares precisam estar cientes de que seguir o tratamento à risca é a melhor forma de prevenir a instabilidade emocional e a recorrência das crises, o que assegura a possibilidade de levar vida praticamente normal.
 
Por fim, espera-se que este texto possa ser útil a um maior conhecimento acerca dos sintomas do transtorno bipolar e suas principais implicações.
 
Agende sua consulta e Tratamento no CENAIPP

CENTRO DE ATENDIMENTO E INTERVENÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA, PSICODIAGNÓSTICO/ PSICOLOGIA/ NEUROPSICOLOGIA/ COACH VOCACIONAL & CARREIRA.

 Os contatos: 

(67)9.9954-8716 ou (67) 3421-0550

Rua Ciro Melo, 2280 Centro- Dourados/MS

Facebook-Cenaipp

Sobre a Profissional - LUCIANE SPERAFICO”

* Mestre em Psicologia

* Psicanalista

* Psicopedagoga

* Pedagoga e Neuropedagoga

* Especialista Em Neuropsicologia

* Atualização Em Reabilitação Neuropsicológica

* Especialista Em Educação Especial com ênfase em Autismo

* Especialista Em Psicoterapia Cognitivo Comportamental

Screener da Síndrome de Irlen

*Analista Comportamental DISC pela SLAC

*Coach de Carreira &Coach Vocacional

*Facilitadora da metodologia LEGO SERIOUS PLAY e POINTS OF YOU

*Tutora Cogmed- Treinamento de Memória Operacional &Treino Cognitivo (Atenção)

*Formação em Psicologia Positiva e Terapia do Esquema

*Atualização em Mindfulness 

 
 
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

DELITO
Celso de Mello envia à PGR comunicação de crime contra Eduardo Bolsonaro
ATÉ ÀS 12 HORAS
Caixa abre três agências neste sábado em Dourados para saque de auxílio
MUNDO NOVO
Homem é preso com 317 quilos de maconha que iriam para Santa Catarina
TEMPO
Sábado de sol com algumas nuvens em Dourados; não chove
ALCINÓPOLIS
Pai recebe vídeo de bebê sendo forçado a beber pimenta e denuncia
INFLUENZA
Campanha de vacinação contra a gripe é prorrogada até 30 de junho
SAÚDE
Cartilha na língua terena informa sobre cuidados com a Covid-19
PAGAMENTO
Salário dos servidores estaduais estará dispinívels no dia 05 de junho
TRÊS LAGOAS
Polícia investiga morte de bebê de seis meses após queda de carrinho
ECONOMIA
Saque aniversário do FGTS poderá ser usado para garantir empréstimos

Mais Lidas

DOURADOS
Protocolo é seguido e mulher vítima do coronavírus é enterrada sem despedida de familiares
MAIORIA JOVENS
Vítima fatal da Covid-19 faz parte da faixa etária com mais casos da doença em Dourados
COVID-19
Curva segue ascendente e Dourados ultrapassa 200 casos de coronavírus
PANDEMIA
Comitê diz que Dourados não é epicentro do novo coronavírus e descarta lockdown