Menu
Busca segunda, 13 de julho de 2020
(67) 99659-5905
Saúde e Bem-estar

Falando de Disgrafia!

18 fevereiro 2020 - 09h06Por LUCIANE SPERAFICO
Distúrbios da expressão escrita fazem parte de distúrbios de aprendizagem específicos e referem-se à presença de habilidades de escrita abaixo do esperado para a idade da criança, nível intelectual e ano letivo. É comum ver dificuldades em compreender textos escritos, erros gramaticais, erros de pontuação, má organização dos parágrafos, erros ortográficos e caligrafia ruim.
 
Muitas pessoas costumam achar que letra feia é normal, uma situação de quem não tem capricho ao escrever. Mas na verdade, o que algumas pessoas têm é a chamada Disgrafia.
 
A Disgrafia é um transtorno do Neurodesenvolvimento, que compromete o traço gráfico da caligrafia. Ou seja, a pessoa que tem este transtorno tem uma letra bastante difícil de ler, é ilegível. Em geral, como em outros transtornos de Aprendizagem, podemos considerar que existem fatores etiológicos, genéticos, neurobiológicos, perinatais e ambientais. É importante saber que o problema pode vir sozinho ou acompanhado por outros transtornos de aprendizagem como, por exemplo, Dislexia, transtorno não verbal, além de outros Neuro-comportamentais, como Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) e o Transtorno do Espectro Autista (TEA).
 
Ao contrario do que muitos pensam a Disgrafia não é apenas aquela letra feia, ilegível, além disso, é muito comum que os Disgráficos demorem muito para concluir tarefas que envolvam a escrita.
 
A identificação precoce e o início imediato do tratamento ajudam muito no prognóstico e reabilitação. Por isso saber identificar os principais sinais e sintomas é tão importante, pois permite que os especialistas sejam acionados o quanto antes.
 
Uma pessoa Disgráfica não é simplesmente alguém que tem a letra feia. É preciso diferenciar características isoladas de um conjunto delas, que é o que determina um Disgráfico. No quadro abaixo apresentamos algumas dessas características como sinais de alerta: 
 
Letra ilegível ou indecifrável;
Desorganização na escrita;
Traços irregulares: muito fracos ou tão fortes que até afundam o papel;
Inconstância na pressão do lápis ou caneta sobre o papel;
Folha bagunçada sem noções de espaço quanto a linhas e margem;
Tamanhos desproporcionais: letras muito pequenas ou muito grandes;
Espaçamento irregular;
Confusão com letras que são parecidas: errar o lado do S ou Z, L ou J para o lado errado...
Letra com hastes incompletas e retoques;
Falta de letras em palavras;
Escrever muito rápido ou muito devagar;
Letras inclinadas;
Postura incorreta na hora de escrever;
Dificuldade em segurar o instrumento de escrita;
Cansaço físico após escrever;
 
Reconhecer uma pessoa Disgráfica o quanto antes é essencial para trabalhar essa dificuldade e integrar os Disgráficos dentro da vida social para evitar que o problema atrapalhe em trabalhos importantes que envolvem a escrita. O uso excessivo de computadores na rotina das crianças e adolescentes é um dos principais fatores que dificultam a tarefa de identificar os Disgráficos logo cedo.
 
Tipos de Disgrafia
 
Esse déficit é comumente classificado em dois tipos:
 
Disgrafia Motora: também chamada de Discaligrafia, está relacionada à coordenação motora fina da criança. Ela não consegue reproduzir aquilo que vê. Ou seja, a criança consegue ler e falar bem, mas não consegue passar bem para o papel.
 
Disgrafia Disléxica: ou Disgrafia perceptiva. É o tipo de Disgrafia que a pessoa não consegue relacionar sistemas simbólicos e alfabetos com palavras, sons e frases. Mesmo assim, é importante não confundir com Dislexia, que está mais relacionada à leitura e atenção ao conteúdo.
 
 
Disgrafia tem cura?
 
A cura para a Disgrafia é relativa, dificilmente um indivíduo supera isso naturalmente até a idade adulta. É mais seguro dizer que esse distúrbio tem tratamento e o principal objetivo é conseguir uma letra legível que não prejudique a pessoa nas suas atividades cotidianas. Nesse caso, é muito importante ressaltar que uma letra legível é algo diferente de uma letra bonita. Uma pessoa Disgráfica dificilmente terá uma letra linda e redondinha, mas ela pode sim, conseguir uma letra compreensível por outros leitores.
 
O tratamento pode ser feito por um psicopedagogo que poderá mediar com sugestões de uma atividade individual à escola. Ainda assim, é de extrema importância que os educadores sejam conscientes desse tipo de problema para não repreender a criança quanto a isso e até considerar a expressão oral em avaliações escolares como forma de valorizar isso na criança.
Além do acompanhamento psicopedagógico existem comportamentos e estímulos que ajudam no tratamento da Disgrafia. São eles:
 
Evitar broncas e repreensões;
Conscientizar a pessoa desse problema;
Estímulos positivos a cada melhora;
Evitar canetas vermelhas na correção;
Cuidar da autoestima;
Incentivar a escrita no dia-a-dia com anotações e listas, por exemplo;
Estimular a escrita em cadernos de caligrafia ou folhas pautadas;
Usar o caderno de caligrafia para além da escrita: fazer bolinhas, ondinhas e risquinhos que devem seguir sempre o mesmo padrão;
Exercícios e atividades que estimulem a coordenação motora, etc;
Em suma, quanto mais cedo qualquer problema de Aprendizagem for percebido, procure verificar as causas e consulte um profissional especializado, (Psicopedagogo/Neuropedagogo) que é preparado para atender crianças ou adolescentes com problema de Aprendizagem.
 
Portanto, o terapeuta pode ajudá-lo a determinar em que você precisa trabalhar e orientá-lo no tratamento do transtorno.
Agende sua Avaliação e Tratamento no CENAIPP

CENTRO DE ATENDIMENTO E INTERVENÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA, PSICODIAGNÓSTICO/ PSICOLOGIA/ NEUROPSICOLOGIA/ COACH VOCACIONAL & CARREIRA.

 Os contatos: 

(67)9.9954-8716 ou (67) 3421-0550

Rua Ciro Melo, 2280 Centro- Dourados/MS

Facebook-Cenaipp

Sobre a Profissional - LUCIANE SPERAFICO”

* Mestre em Psicologia

* Psicanalista

* Psicopedagoga

* Pedagoga e Neuropedagoga

* Especialista Em Neuropsicologia

* Atualização Em Reabilitação Neuropsicológica

* Especialista Em Educação Especial com ênfase em Autismo

* Especialista Em Psicoterapia Cognitivo Comportamental

Screener da Síndrome de Irlen

*Analista Comportamental DISC pela SLAC

* Coach de Carreira &Coach Vocacional

*Facilitadora da metodologia LEGO SERIOUS PLAY e POINTS OF YOU

*Tutora Cogmed- Treinamento de Memória Operacional &Treino Cognitivo (Atenção)

*Formação em Psicologia Positiva e Terapia do Esquema

*Atualização em Mindfulness 

 
 
 
 
 

Leia Também

DOURADOS
Tiroteio no Estrela Porã deixa dois homens feridos
FAMOSOS
Morris, par de Naya Rivera em 'Glee', quer conduzir grupo de buscas pela atriz
BRASIL
Leila Barros confirma que contraiu covid-19
BRASIL
Embrapa coleta bactérias e fungos com potencial econômico na Amazônia
OPORTUNIDADE
IFMS tem inscrições abertas para 120 vagas em cursos de especialização
ESPORTES
Semana será marcada pelo 1º Camping Virtual de Parataekwond
TRÊS LAGOAS
Mulher é sequestrado pelo ex na frente de familiares
BRASIL
Habilidades socioemocionais poderão ajudar na reabertura das escolas
MS
Traficantes fogem e polícia apreende 600 kg de maconha em Bonito
CORUMBÁ
Carro de dona de restaurante assassinada é encontrado pela polícia

Mais Lidas

BARBÁRIE
Homem assassina ex, atira em crianças e se mata no altar de igreja em Dourados
DOURADOS
‘Deus no comando amem’: antes de crimes, atirador postou pregação religiosa
DOURADOS
Atirador baleou criança de quatro anos na cabeça ao abrir fogo para matar ex-mulher
PANDEMIA
Em dia com quase 100 novos casos, Dourados tem mais uma morte por coronavírus