Menu
Busca sábado, 27 de fevereiro de 2021
(67) 99257-3397

Faça as malas: só os ricos vão pro céu!

21 agosto 2009 - 11h26

São milhares as revistas e os jornais católicos do mundo que, todos os meses, oferecem a seus leitores uma meditação que os ajude a penetrar no coração do Evangelho e torná-lo fonte de renovação pessoal e social. É a assim denominada “Palavra de Vida”, escrita por Chiara Lubich, fundadora do Movimento dos Focolares.
No mês de julho, a frase bíblica aprofundada por Chiara foi do Evangelho de Lucas: «Vendei vossos bens e dai o dinheiro em esmola. Fazei para vós bolsas que não se estraguem, um tesouro no céu, que não se perde; ali o ladrão não chega nem a traça corrói. Pois onde está o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração» (Lc 12,33-34).
Em seu comentário, Chiara lembra que o amor de Deus por nós é infinito. Por isso, nos pede tudo! Não nos quer escravos de nada e de ninguém, para que sejamos livres para amar. Ele sabe que, o que guardamos para nós, apodrece e nos faz mal. Quanto mais nos apegamos a coisas e pessoas, mais escravos delas nos tornamos. Foi o que Jesus quis dizer ao falar: «Dificilmente um rico entrará no reino de Deus» (Mt 19,23). Rico é o que tem como Deus e céu de sua vida os bens deste mundo, sejam eles materiais, culturais ou até mesmo religiosos. Para nos preencher com o tudo que é sua graça, Deus precisa encontrar em nós um “vazio” que seja fruto de um amor gratuito e totalitário.
Em sua meditação, Chiara nos ilumina com uma das verdades mais profundas e descorcertantes: «Você só tem realmente aquilo que dá». É quanto consegue dar e se doar que torna a pessoa adulta e madura. Jesus sintetizou tudo isso nas palavras que foram colhidas por São Paulo: «Há mais felicidade em dar do que em receber» (At 20,35). O apego às riquezas obstacula a prática da solidariedade. O que enriquece é o amor. E, se o que vale e conta é ser rico diante de Deus (Cf. Lc 12, 21), nada mais acertado do que transformar a vida numa série interminável de atos de amor verdadeiro.
Como se sabe, são uma multidão as pessoas que procuram a religião apenas para sair de um conflito ou crise e obter uma vida boa e tranqüila, sem preocupação ou sofrimento de espécie alguma. É o que parecem incentivar a fazer as assim denominadas “Igrejas da prosperidade”. O que vale é ter saúde e dinheiro, esquecendo a admoestação de São Paulo: «Quando as pessoas pensarem ter paz e segurança, então, de repente, a ruína cairá sobre elas, e não conseguirão escapar» (1Tes 5,3).
Em certo sentido, pode-se dizer que a própria Bíblia precisou rever a sua posição a esse respeito. Uma leitura superficial e literal do Primeiro Testamento favorecia a interpreta-ção de “saúde e prosperidade” para os amigos e Deus, e aflição e castigo para quantos faziam o mal. Só que, na prática, o que se via acontecer no dia-a-dia nem sempre correspondia a esse sonho. Havia pessoas santas, como Jó, que, apesar de terem procurado agir corretamente, passavam por grandes dificuldades. Talvez tenha sido por isso que o Eclesiástico precisou reconhecer e avisar: «Se te decides servir a Deus, prepara a tua alma para a pro-vação» (Eclo 2,1).
Os bens deste mundo só têm sentido se colocados a serviço dos valores éticos e morais. Caso contrário, são um grande mal, pois ocupam o lugar de Deus no coração humano, tornando-o insensível ante as necessidades dos irmãos. É o que afirma Chiara Lubich, com seu jeito carinhoso e perspicaz: «É isso que você deve fazer: preparar as malas. Nos tempos de Jesus, talvez as malas se chamassem de bolsas. Prepare-as dia após dia. Procure enchê-las com aquilo que pode ser útil para os outros. Você só tem realmente aquilo que dá. Lembre-se de quanta fome existe no mundo. Quanto sofrimento. Quantas necessidades. Ponha nessas malas também todo gesto de amor, toda obra em favor dos irmãos. Faça essas ações por ele. Diga-lhe, do fundo do coração: “Por ti!” E faça-as bem, com perfeição. Elas estão destinadas ao céu, permanecerão para a eternidade».
Assim sendo, poderemos sem medo inverter as palavras de Jesus – «Dificilmente um rico entrará no reino dos céus» – e afirmar que só os ricos entrarão no reino de Deus... Você levará para o além somente – e tudo – aquilo que doou durante a vida. E o que guardou egoisticamente para si, deixará para outros. Com efeito, a eternidade – qualquer que seja ela, céu ou inferno – é uma casa que se habita depois da morte, mas se constrói aqui na terra, passo a passo, gesto por gesto, durante a longa ou curta peregrinação terrena...




Dom Redovino Rizzardo, cs
domredovino@terra.com.br


Deixe seu Comentário

Leia Também

Chance de ganhar no Nota MS Premiada é 28 vezes maior do que na Mega-Sena
MS
Chance de ganhar no Nota MS Premiada é 28 vezes maior do que na Mega-Sena
Mega-Sena sorteia hoje prêmio acumulado de R$ 50 milhões
PRÊMIO
Mega-Sena sorteia hoje prêmio acumulado de R$ 50 milhões
48 horas com promoções imperdíveis na Relax Life, confira as ofertas
INFORME PUBLICITÁRIO
48 horas com promoções imperdíveis na Relax Life, confira as ofertas
Câmara debate em audiência pública nesta terça a intervenção na UFGD
TV DOURADOS NEWS
Câmara debate em audiência pública nesta terça a intervenção na UFGD
Adolescente que teve 90% do corpo queimado por chapa morre em hospital
ECONOMIA
Aneel mantém bandeira amarela na tarifa de energia elétrica em março
MEIO AMBIENTE
Douradense é multado em R$ 55 mil por desmatamento de vegetação nativa
POLÍTICA
Senadora Soraya indica emendas no valor de quase R$ 1 bilhão ao Agro
Garoto de 14 anos morre ao ser lançado de carro durante capotagem
TJ/MS
Selo Justiça pela Paz em Casa começa a ser entregue nas comarcas

Mais Lidas

DOURADOS 
Operação desarticula quadrilha especializada em furtos de máquinas agrícolas
DOURADOS 
Mulher é esfaqueada na região central e encaminhada ao HV em estado grave
PARAGUAI
Quadrilha é presa com 1,4 tonelada de cocaína e até avião na fazenda de Pavão
DOURADOS 
Mulher que esfaqueou rival é autuada em flagrante por tentativa de homicídio