Menu
Busca segunda, 28 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
POLÍTICA

Ex-conselheiro do Carf flagrado com mais de R$ 1 milhão em casa alega inocência

18 junho 2015 - 14h00

Agência Brasil

Ex-membro do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), Leonardo Siade Manzan disse hoje (18) à comissão parlamentar de inquérito (CPI) do Senado que investiga fraudes no órgão que foi incluído entre os investigados pela operação Zelotes por um “erro lamentável”. Apesar de negar participação no esquema, Manzan compareceu à CPI com um habeas corpus do Supremo Tribunal Federal (STF) que lhe assegurava o direito de ficar em silêncio.

Sem entrar em detalhes, o advogado tributarista disse aos membros da CPI que o valor de R$ 1,5 milhão, em espécie, apreendido na casa dele por agentes da Polícia Federal foram oriundos de honorários advocatícios, declarados à Receita Federal.

“Esse dinheiro está declarado, com imposto pago. Vossas Excelências terão acesso à declaração que me dispus, inclusive, a trazer”, disse Manzan. Genro do ex-secretário da Receita Federal e ex-presidente do Carf, Otacílio Dantas Cartaxo, Manzan negou qualquer participação no esquema investigado pela Operação Zelotes, deflagrada pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal.

“Não tenho a menor participação nos fatos narrados. Estou incluído por um equívoco, que me trouxe prejuízos incomensuráveis nos aspectos pessoal, profissional e familiares. Isso abalou minha família. Por um erro estou sofrendo uma condenação e uma pena antecipada.”

A relatora da CPI, senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), disse que a Polícia Federal e o Ministério Público continuam investigando a possível participação do ex-conselheiro em fraudes no Carf e a origem da quantia apreendida na casa dele. “A informação que nós temos aqui é que o senhor continua sendo um dos principais investigados do inquérito”, afirmou.

À CPI, Manzan informou ainda ter participação em várias empresas que atuam no ramo tributário, mas alegou sigilo profissional para não declarar os nomes das empresas. Manzan é casado com a filha do ex-presidente do Carf, um dos principais investigados pela PF. O advogado disse que chegou ao órgão devido ao seu currículo e à experiência profissional na área tributária.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NÚMEROS DA TRAGÉDIA
Brasil ultrapassa 142 mil mortos por Covid; curva sobe em 3 estados
LAGUNA CARAPÃ
Polícia apreende caminhão tanque carregado de maconha na MS-156
JUDICIÁRIO
MPF recorre ao TRF-1 para afastar ministro Ricardo Salles do cargo
CORUMBÁ
Bombeiros encontram corpo do menino de 2 anos que se afogou no rio Paraguai
REGIÃO
Homem que disse ter encontrado mulher morta volta atrás e confessa feminicídio
IMPOSTO
Termina quarta-feira prazo para licenciamento para placas final 9
REGIÃO
Jovem é levado para delegacia, após agredir pai e atirar martelo em policiais
ÁGUA CLARA
Jovem é agredida com mordidas e choque ao tentar terminar relacionamento
AVE SILVESTRE
Mulher é multada em R$ 5,5 mil por maltratar papagaio
LEVANTAMENTO
Em uma semana, MS tem quase 500 novos casos notificados de Síndrome Respiratória Grave

Mais Lidas

ATO DE FÉ
Após vigílias em frente a hospital, família celebra 'milagre' por homem que caiu do telhado
CAMPO GRANDE
Gêmeos são executados dentro de quitinete
POLÍCIA
Comerciante morre em acidente na MS-276
DEODÁPOLIS
Homem morre ao bater moto de frente com caminhonete da patroa