Menu
Busca segunda, 02 de agosto de 2021
(67) 99257-3397

Estudo mostra dieta que pode prolongar a vida por mais 6 anos

17 dezembro 2004 - 18h34

O peixe, o vinho, o chocolate preto, as frutas, as hortaliças, o alho e as amêndoas são os ingredientes de uma dieta capaz de prolongar a vida dos homens em quase seis anos e das mulheres em quase cinco.
Segundo uma pesquisa da Universidade Erasmus, de Roterdã (Holanda), divulgada hoje, a combinação na medida certa de todos estes ingredientes reduz o risco de sofrer doenças cardiovasculares em 76%.
Os cientistas pesquisaram alimentos de comprovada capacidade de reduzir o risco de doenças cardiovasculares e elaboraram o menu da longevidade.
Para reduzir as probabilidades de sofrer de doenças cardíacas, segundo os pesquisadores, é preciso consumir por dia 150 ml de vinho (que diminui o risco em 32%), 100 gramas de chocolate preto, 2,7 gramas de alho e 68 gramas de amêndoas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAL
Jardineiro preso em aeroporto com maconha que iria para o Maranhão
POTÁVEL
Bolsonaro lança programa que levará água a escolas do Nordeste
Cinco são presos com produtos químicos que seriam levados para Bolívia
Cinco são presos com produtos químicos que seriam levados para Bolívia
UEMS
Últimos dias de inscrição para Especialização em Direito Difusos e Coletivos
PARANAÍBA
Dono de ferro velho é preso por receptação com 80 metros de trilhos
POLÍTICA
Câmara de Dourados aprova 22 projetos de lei em sessão ordinária 
BONITO
Polícia prende traficante e batedor com 380 quilos de maconha e skunk
TJ/MS
Provas do concurso para cartórios extrajudiciais serão realizadas no dia 22
Criança com crises convulsivas no Pantanal é socorrida por avião
NÚMEROS DA PANDEMIA
Média móvel de mortes por Covid no Brasil fica abaixo de mil pelo 3º dia

Mais Lidas

SP
Homem leva menina de 15 anos ao hospital e diz que ela morreu após sexo; polícia investiga
POLÍCIA
Jovem é agredida durante assalto em Dourados
PANDEMIA
Homem e mulher são mais recentes vítimas da Covid-19 em Dourados
PANDEMIA
Jovem de 21 anos e sem comorbidades é vítima do coronavírus em MS