Menu
Busca sexta, 03 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Estudo americano aponta que obesidade pode ser culpa de genes

11 janeiro 2013 - 15h25

Os genes são os grandes culpados pela saliência na região da cintura, diz um novo estudo. Enquanto as dietas desempenham um papel importante na questão da obesidade, algumas pessoas já nascem programadas para ficarem gordas facilmente, indicam pesquisadores americanos. As informações são do jornal britânico Daily Mail.

Embora o trabalho tenha sido feito com ratos, acredita-se que também pode ser relevante com humanos. Brian Parks, líder da pesquisa realizada na University of California at Los Angeles (UCLA), disse que o estudo demonstra os responsáveis pela gordura e pelo alto teor de açúcar têm um forte componente genético, acrescentando que foram identificados muitos fatores genéticos potenciais. “Nós descobrimos que a obesidade tem assinaturas genéticas similares em ratos e seres humanos, o que indica que os ratos são um modelo altamente relevante para o estudo da obesidade”, afirmou.

O aumento da obesidade ao longo das décadas sempre foi associado a dietas ricas em gordura e açúcar, associados a um estilo de vida sedentário. Já nos dois anos do estudo, os pesquisadores observaram o efeito de dietas altamente calóricas em mais de 100 linhagens de ratos de laboratório. Os cientistas localizaram 11 regiões do código genético associados com a obesidade e com o ganho de gordura devido à dieta. Muitos destes dados foram sobrepostos a estudos com humanos.

O aumento da gordura corporal variou de 0 a 600%. “Medimos a mudança da gordura em cinco diferentes pontos”, disse o especialista, acrescentando que o fato de usarem linhagens puras de ratos permitiu a análise da relação entre traços de obesidade, expressão genética, flora intestinal e dieta.

A maioria dos ratos responderam durante as quatro primeiras semanas à dieta de alta caloria e não acumularam mais gordura durante o estudo. “Observamos alta hereditariedade em cerca de 80% da porcentagem de gordura ao longo do estudo”. Os pesquisadores acreditam que o estudo abre portas para novas investigações comportamentais e neurológicas e como elas se relacionam com as características de obesidade.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOF
Comboio de seis veículos é apreendido com cigarros contrabandeados
SEGURANÇA
Sejusp divulga lista das entidades aptas a participarem da eleição do Conesp
CAMPO GRANDE
Motociclista morre após ser arrastado por ambulância em alta velocidade
JUDICIÁRIO
Abordagem abusiva de segurança de supermercado gera dano moral
SAPUCAIA
Polícia apreende mais de uma tonelada de maconha na região de fronteira
CAMPO GRANDE
Pesquisadores de MS desenvolvem estudos contra o coronavírus
DECRETO 2.480
Policia Militar vai aumentar fiscalização do toque de recolher em Dourados
SUMIÇO
Família procura por jovem que está desaparecida desde a última quarta-feira
DOURADOS
Ex-secretária e suplente de Braz na Câmara troca PL pelo PSDB
CORONAVÍRUS
Durante fiscalização, Guarda prende nove pessoas e notifica 60 comércios em Dourados

Mais Lidas

NOVA ANDRADINA
Hospital confirma três profissionais com coronavírus em unidade que atendeu idosa
CRIME AMBIENTAL
Pescador é flagrado com barco, motor de popa e petrecho de pesca
COVID-19
Familiares de casal que testou positivo para coronavírus em Dourados são monitorados
BOLETIM DA SES
Dourados registra mais um caso de coronavírus e MS tem 51 confirmações