Menu
Busca terça, 15 de junho de 2021
(67) 99257-3397

Estudantes acusam Coca-Cola de matar trabalhadores

26 abril 2006 - 18h10

Estudantes da Universidade da Califórnia (UCLA), na costa oeste dos Estados Unidos, decidiram protestar contra a Coca-Cola e banir produtos da marca do campus da universidade. Eles acusam a gigante dos refrigerantes de ter responsabilidade na morte de trabalhadores na Colômbia, vítimas das guerrilhas da região. A empresa já foi ré em dois processos de responsabilidade em mortes entre seus funcionários naquele país, mas foi absolvida em ambas. Mas os estudantes seguem com o protesto. Representantes da Coca-Cola estiveram no campus da UCLA para negociar com os estudantes, mas foram repelidos, de acordo com o Terra. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

INTERNACIONAL
Justiça argentina começa interrogatórios sobre morte de Maradona
Entidades acusam governo federal de perseguir pesquisadores
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Entidades acusam governo federal de perseguir pesquisadores
CAPITAL
Mulher é acusada de agredir e xingar policiais em bairro de Campo Grande
FUTEBOL
Copa América: seleção chega ao Rio de Janeiro para jogo contra Peru
Especialistas criticam ausência de programação de combate ao racismo na EBC
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Especialistas criticam ausência de programação de combate ao racismo na EBC
INTERNET
Pesquisa aponta inacessibilidade de sites culturais
LEGISLATIVO
Câmara aprova isenção de impostos para beneficiários do "Casa Verde Amarela"
IMUNIZAÇÃO
Covid-19: 82% dos indígenas receberam 1ª dose, diz Ministério da Saúde
COVID-19
Estado acolhe flexibilização de medidas em Dourados, mas mantém bandeira "cinza"
ESPORTES
Ministério da Saúde confirma 41 casos de covid-19 na Copa América

Mais Lidas

DOURADOS
Defron desarticula entreposto de cocaína no Campo Dourado
REGIÃO
Homem é executado a tiros na rodoviária de Nova Alvorada do Sul
DOURADOS
Guarda encerra mais uma festa clandestina regada a álcool em meio ao lockdown
DOURADOS
Jovem é encontrado caído em via na área central e estado de saúde é grave