Menu
Busca quinta, 05 de agosto de 2021
(67) 99257-3397

Estados estudam movimento contra alta do insumo agrícola

22 novembro 2004 - 17h37

 Federações da Agricultura de vários Estados estudam um movimento contra a alta nos preços dos insumos e máquinas agrícolas, informou hoje o presidente da entidade gaúcha Farsul, Carlos Sperotto, que também preside a Comissão Nacional de Crédito Rural. Uma das alternativas, sugerida por representantes do Mato Grosso e bem recebida por outros Estados, é a suspensão das compras destes produtos, por um período ainda indeterminado, como forma de abrir a negociação com os fabricantes.Sperotto disse que houve um aumento "indiscriminado" nos preços dos insumos e máquinas, que está esgotando a margem de renda dos produtores. O dirigente afirmou que esta "compra zero", como batizou a proposta, será discutida em reunião das federações que deverá ser agendada para a próxima semana, em Brasília. Antes disso, haverá um encontro das entidades hoje em Campo Grande.A alta dos insumos chega a 100% no período de um ano, disse Sperotto. Ele deu o exemplo de um equipamento de irrigação, cujo preço equivalia a R$ 1,6 mil por hectare para o produtor em 2002. No ano seguinte, o valor subiu para R$ 3,3 mil e agora custa R$ 6,8 mil. Por causa dos aumentos, na prática os produtores já estão postergando ou mesmo cancelando a compra de insumos, analisou o dirigente. Para ele, a redução de investimentos em tecnologia irá afetar a produtividade da lavoura.Antes de deliberar pela suspensão das compras, contudo, Sperotto defendeu que as negociações sejam esgotadas com os setores envolvidos. Além dos fabricantes, o governo também tem responsabilidade na alta dos custos para a agricultura, avaliou ele, ao reduzir o crédito rural e limitar a parcela de financiamentos com juros fixos.Embora o plantio da safra de verão já esteja adiantado, a possível suspensão da compra de insumos e máquinas teria efeito em operações de financiamento que estão em andamento e também na safrinha, projetou Sperotto. Outra opção discutida pelas entidades rurais é a de encaminhar um processo ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), disse Sperotto, sem detalhar esta hipótese.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

SISTEMA ELEITORAL
Empresários divulgam manifesto em defesa da urna eletrônica e da democracia
Homem armado com faca invade posto de saúde e acaba preso
NÚMEROS DA PANDEMIA
Média móvel de mortes por Covid fica abaixo de 900 após mais de 200 dias
REGIÃO
Por ajuda com comida, avós deixavam menina de 13 anos ser estuprada
BRASIL
Bolsonaro escolhe Bruno Bianco para o lugar de Mendonça na AGU
SONORA
Homem suspeito de matar a esposa e enterrar corpo tem preventiva decretada
COMÉRCIO EXTERIOR
Exportações de MS sobem 16,5% com destaque para soja, celulose e açúcar
VIOLÊNCIA
Motociclista morre ao ser atingido por caminhão em avenida da Capital
FUTEBOL
Barcelona anuncia que não renovará contrato de Lionel Messi
VOTAÇÃO
Maioria dos deputados de MS vota contra privatização dos Correios

Mais Lidas

DOURADOS
Assessora vai à polícia e diz que foi ameaçada de morte por vereadora
DOURADOS
Flagrado com pistola, jovem é preso no Parque do Lago II
AMEAÇA
Mulher não aceita relacionamento do ex e ameaça a atual companheira dele de morte
DOURADOS
Casal é preso após transformar casa de homem que morreu por overdose em 'boca de fumo'