Menu
Busca sábado, 11 de julho de 2020
(67) 99659-5905
ESPORTE

Evento esportivo do Ministério da Defesa reuniu mais de 600 atletas do Estado

13 dezembro 2019 - 10h57Por Da Redação

O Colégio Militar de Campo Grande (CMCG) sediou a sétima edição dos Jogos Desportivos do Programa Forças no Esporte (Profesp), de segunda-feira (9) até esta quinta-feira (12.12). A competição é realizada nacionalmente pelo Ministério da Defesa, por meio do Comando de Operações Terrestres (Coter). Especialmente no Estado, teve organização do Comando Militar do Oeste (CMO) e apoio da Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte).

No complexo esportivo do CMCG, os atletas buscaram medalhas em sete modalidades: atletismo (redução de distâncias e medidas), futebol society, futsal, voleibol, judô, orientação e cabo de guerra. De acordo com o CMO, o evento teve participação de aproximadamente 600 atletas de diversos municípios sul-mato-grossenses, principalmente os localizados na fronteira com o Paraguai.

Segundo o coronel do CMO, José Roberto de Melo Queiroz, organizador dos Jogos, a finalidade do Profesp é dar oportunidade a crianças e jovens por meio do acesso à prática de atividades esportivas e físicas saudáveis e de iniciativas socialmente inclusivas. Em Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás, o Programa atende cerca de 1,2 mil crianças e adolescentes, de seis a 18 anos de idade. O Forças no Esporte também está em todas as unidades federativas do país, em mais de 90 organizações militares.

“Completamos 16 anos em 2019 e sempre procuramos identificar jovens em situação de vulnerabilidade social e econômica em diversas cidades de Mato Grosso do Sul, para realizarem atividades no contraturno escolar. Queremos que essas crianças realizem seus sonhos e acreditamos que através do esporte isso é possível”, afirmou o coronel.

Matheus Espíndola, de 12 anos, participou pela primeira vez de uma competição. O atleta, de Porto Murtinho, teve de viajar 440 quilômetros ou cerca de seis horas e meia para competir na modalidade cabo de guerra. “Eu comecei no Profesp em agosto deste ano e é muito legal, estou melhorando mais minhas habilidades. Fiquei muito emocionado porque nunca participei de um projeto e também nunca viajei para disputar um torneio”.

“Sei que minha mãe está muito orgulhosa de mim”, relatou o jovem, que treina duas vezes na semana na 2ª Companhia de Fronteira de Porto Murtinho. “Os treinos são bem duros, mas valem a pena, porque assim eu aprimoro o meu desempenho e tenho a chance de participar dos Jogos, que foram inesquecíveis”, finalizou Matheus.

Léa Patrícia Machado é professora de educação física na Escola Estadual Doutor Fernando Correa da Costa, de Amambai, e trouxe 24 atletas a Campo Grande, para disputarem o atletismo, voleibol, futsal, futebol society e judô. “O evento é espetacular, por envolver disciplina, respeito, comprometimento com as modalidades. Tenho certeza que ficará gravado para sempre na memória de todos os atletas, vão levar muito aprendizado e resultados para a vida”, revelou.

Conforme ela, mais do que ensinar uma modalidade desportiva ou desenvolver um atleta, o objetivo dos Jogos Desportivos do programa do Ministério da Defesa é formar seres humanos exemplares a cada edição. “Temos percebido mudanças. Os estudantes levam os conceitos passados nos Jogos para dentro da sala de aula e para casa. O esporte educa e também cria grandes cidadãos, que vão levar esses princípios por onde passarem e também disseminarão ao próximo”.

A escola amambaiense é atendida pelo Programa Escolar de Formação e Desenvolvimento Esportivo de Mato Grosso do Sul, da Fundesporte. Na edição deste ano dos Jogos Escolares da Juventude, etapa estadual, o handebol masculino, de 12 a 14 anos, terminou na terceira colocação da segunda divisão. Segundo Léa Patrícia, a boa campanha motivou outros alunos a praticarem atividades esportivas.

“Agora, a escola inteira quer treinar, porque estamos trazendo resultados. Se o trabalho é bem feito, dedicado, tem responsabilidade e comprometimento, o resultado aparece. Sinto muito orgulho de levar o nome da escola, do município e do Estado por onde passamos. O trabalho feito pela Fundesporte, em levar o esporte a escolas de todo o Estado, é exemplar, valorizando tantos os profissionais de educação física, quanto os estudantes”, encerrou. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA
Apenas quatro cidades de MS ainda não registraram casos de Covid-19
EDUCAÇÃO
Prouni disponibilizará 167.789 bolsas em 1.061 instituições privadas
CAMPO GRANDE
Mais de 12 toneladas de peixe passam por fiscalização na Capital
EDUCAÇÃO
Sisu tem 814,47 mil candidatos inscritos em todo Brasil
CRIME AMBIENTAL
Denúncia termina com a prisão de caçador com rifles e munições
CASSILÂNDIA
Justiça aumenta pena-base de condenado por estelionato
BRASIL
Covid-19: voo com carga de máscaras de cirúrgicas chega ao Brasil
PANDEMIA
MS tem mais sete mortes e se aproxima de 13 mil casos de coronavírus
DETRAN-MS
Para evitar aglomeração, mais de mil pessoas já agendaram atendimento nas agências de Dourados
DOURADOS
Aced solicita prorrogação de alvarás e aguarda aprovação da Câmara de Vereadores

Mais Lidas

ACIDENTE DE TRABALHO
Douradense morre após ser atingido na cabeça por peça de elevador de 20kg
PANDEMIA
Pneumologista é o terceiro médico a morrer por covid-19 em Dourados
DOURADOS
“Ele não conseguiu terminar o último plantão”, diz esposa de médico vítima da Covid
DOURADOS
Decreto é alterado e agora autoriza delivery e drive-thru para bares e conveniências