Menu
Busca quinta, 29 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
FUTEBOL

Comitê de Ética da Fifa suspende Marco Polo Del Nero por 90 dias

15 dezembro 2017 - 10h26Por G 1

O Comitê de Ética Independente da Fifa anunciou nesta sexta-feira, dia 15 de dezembro, a suspensão do presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Marco Polo del Nero, por 90 dias. Neste período, o dirigente ficará impedido de realizar qualquer atividade ligada ao futebol - e a punição pode ser estendida por mais 45 dias. Segundo o comunicado divulgado pela Fifa, "a decisão foi tomada diante do pedido do presidente da câmara de investigação, levando em conta a investigação formal sobre o senhor Polo Del Nero".

A Fifa reabriu a investigação sobre Del Nero após documentos e depoimentos serem revelados durante o julgamento de José Maria Marin nos Estados Unidos. Na última quarta-feira, promotores do "Caso Fifa" afirmaram que Del Nero recebeu US$ 6,5 milhões em subornos para beneficiar empresas de marketing esportivo em contratos relacionados a Copa América, Copa Libertadores e Copa do Brasil. O presidente da CBF nega todas as acusações e afirma ser inocente.

Desde maio de 2015 o presidente da CBF não sai do Brasil, país que não extradita seus cidadãos, e por isso não foi julgado nos EUA junto com Marin, Juan Angel Napout e Manuel Burga. No Brasil, Del Nero não é acusado de nenhum crime. Mas as dezenas de menções a seu nome em depoimentos, planilhas, gravações e outros documentos tornados públicos pela investigação americana levaram a Fifa a destravar um processo interno aberto há dois anos.

Em dezembro de 2015, imediatamente após Del Nero ter sido indiciado pelo departamento de Justiça dos EUA por sete crimes (três de fraude, três de lavagem de dinheiro e mais um por integrar uma organização criminosa), o Comitê de Ética da Fifa abriu uma investigação interna, que pouco ou nada avançava. Até o julgamento em Nova York começar. Todas as citações a Del Nero foram enviadas a Zurique.

Procurado para falar especificamente sobre a investigação do Comitê de Ética da Fifa, Marco Polo Del Nero, informou que não poderia comentar, por se tratar de caso em andamento. Segundo o GloboEsporte.com apurou com pessoas que conhecem o caso, todos os documentos solicitados pela investigação foram enviados pela CBF.

Em todas as suas manifestações anteriores sobre o "Caso Fifa", Del Nero afirmou que "nunca participou, direta ou indiretamente, de qualquer irregularidade ao longo de todas atividades de representação que exerce ou tenha exercido". O presidente da CBF também declarou que "jamais foi membro do Comitê Executivo da Conmebol". Algo desmentido por documentos da própria Conmebol.

Assim que foi indiciado, Del Nero chegou a se licenciar da presidência da CBF por alguns meses. Quando recebeu um sinal verde da Fifa, reassumiu a chefia do futebol brasileiro. Mas nunca voltou a sair do Brasil.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRÂNSITO
PRF intensifica fiscalização nas BR's de MS no feriadão de Finados
LEGISLATIVO DE MS
Deputados aprovam cinema adaptado para autistas em MS
REGIÃO
Cocaína avaliada em R$ 1,2 mi é apreendida durante abordagem na BR-376
POLÍTICA
Senador Nelsinho Trad acredita que caso de brasileiro preso na Rússia será solucionado
CRIME AMBIENTAL
PMA prende cinco pescadores no rio Paraguai e multas atingem R$ 35 mil
MS
Operação contra pedofilia tem quatro presos, entre eles professor de Direito
CAMPO GRANDE
Aluno que passou mal após ingerir merenda estragada será indenizado
MATO GROSSO DO SUL
Lei obriga Detran a notificar motorista sobre o vencimento da CNH
APÓS DECRETO
“Jamais esteve sob análise privatizar o SUS”, diz Guedes
ICTIOFAUNA
Ação conjunta inicia hoje operação para coibir atividades ilegais no rio Paraná

Mais Lidas

DOURADOS
Enquanto filma chuva, interno mostra ‘plantação’ de maconha em cela da PED
BR-463
Homem para carro em bloqueio, desce atirando e morre em confronto com a polícia
PANDEMIA
Menino de 5 anos é a primeira criança a morrer de coronavírus em MS
PROCURADO
Acusado pela morte de ator falsificou documento e disse ter nascido em MS