Menu
Busca terça, 26 de maio de 2020
(67) 99659-5905

Espanhola é condenada por se recusar a devolver filha ao pai

24 dezembro 2009 - 12h53

Uma espanhola foi condenada a 14 anos de prisão em Nova Jersey, nos Estados Unidos, por ocultar a filha na Espanha para não entregar a criança ao ex-marido norte-americano.

A advogada Maria José Carrascosa, 44 anos, foi condenada por interferência na guarda concedida ao pai da criança e por desobedecer uma ordem judicial para devolver a filha a ele.

A advogada foi casada com Peter Innes, nos Estados Unidos, entre 1999 e 2004. Ela levou a filha, Victoria, hoje com 9 anos, para Valencia, alegando que o ex-marido era violento.

A disputa pela custódia da menina, que vem seguindo uma trajetória complicada nos tribunais, já dura vários anos.

O pai de Victoria levou o caso para a Justiça norte-americana e também para Justiça espanhola e conseguiu a guarda da filha nos Estados Unidos. Carrascosa só procurou a Justiça na Espanha e, quando voltou aos Estados Unidos em 2006, foi intimada a entregar a filha ao pai em dez dias. Não o fez e acabou presa.

"Peça de xadrez"
Enquanto Carrascosa cumpre pena na prisão em Nova Jersey, a menina permanece sob os cuidados dos avós maternos. Ela não vê os pais desde 2005. A Justiça espanhola decidiu que a menina não pode deixar o país até que cumpra 18 anos.

Nos Estados Unidos, o juiz Donald Venezia disse que a ré "tratou a filha como uma mera propriedade, uma peça de xadrez". "E o jogo acabou", declarou, acrescentando que este é "um caso de ódio e vingança" e que Carrascosa havia "criado ela mesma" essa situação.

De acordo com o jornal espanhol El Pais, o juiz norte-americano admitiu que pode rever a condenação caso a menina seja trazida para os Estados Unidos.

A família de Carrascosa chegou a propor que o juiz Baltasar Garzón fosse o mediador entre as Justiças da Espanha e dos Estados Unidos para se chegar a uma solução para o caso, mas as autoridades judiciárias espanholas rejeitaram tal pedido, diz o El Pais.

Garzón é famoso por ter conseguido a prisão do ex-presidente chileno, general Augusto Pinochet, em Londres, em 1998, alegando violação de direitos humanos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BANDEIRA TARIFÁRIA
Conta de luz não terá cobrança extra até o fim do ano, informa Aneel
BR-262
Veículo furtado na Bahia é recuperado durante barreira sanitária
LADÁRIO
Liminar derruba decreto que previa orações e jejum na pandemia
ESTRELA DO SUL
Adolescente planta maconha no quintal da avó e acaba apreendido
SENTENÇA
Justiça determina que morador cumpra regras de construção de condomínio
COVID-19
Senado aprova requisição obrigatória de leitos privados pelo SUS
AGRESSÕES
Após ordem judicial, “Pedreiro Assassino” é transferido para Instituto Penal
AVANÇO DA PANDEMIA
Brasil registra 1.039 mortes por Covid-19 em 24 horas e total chega a 24,512
JUSTIÇA
Consumidor será indenizado por protesto de débito já quitado
SAÚDE
Sul-Mato-Grossense Aracy Balabanian é internada com insuficiência respiratória

Mais Lidas

DOURADOS
Prefeitura estende toque de recolher em 2h em Dourados
PANDEMIA
Dourados tem mais de 150 casos de Covid-19 e secretário diz ser assustadora a crescente na região
PANDEMIA
Dois meses após decreto de emergência, Dourados confirmou 127 casos de Covid-19
PANDEMIA
Número de pacientes internados por coronavírus em Dourados sobe 50% em 24h