Menu
Busca domingo, 01 de agosto de 2021
(67) 99257-3397

Escritor de 25 anos ganha prêmio Interallié de literatura

16 novembro 2004 - 15h15

O escritor Florian Zeller, de 25 anos, recebeu nesta terça-feira o prêmio Interallié 2004 com seu romance "La fascination du pire", anunciou o júri, que quis premiar "a juventude" com este autor "promissor". As deliberações foram intensas, pois Florian Zeller só conseguiu o prêmio na décima primeira rodada de votações, por seis votos contra os quatro para Eric Fottorino, autor de "Korsakov" Na categoria editora, a vencedora foi Flammarion, em detrimento da Grasset, que competia com "Dans la Marche du Temps", de Daniel Rondeau; e da Gallimard, que além de "Korsakov" publicou outro dos quatro romances finalistas, "Bartabas", de Jérome Garcin. A obra premiada conta a experiência de um jovem escritor e grande leitor de Flaubert, convidado pela embaixada da França no Cairo para dar uma palestra, o que o faz crer que vai descobrir o Oriente da mesma forma que seu autor favorito descreveu em sua carta de 1847, mas, ao contrário, conhece o crescente auge do fundamentalismo. Florian Zeller, professor de literatura na Escola de Ciências Políticas de Paris, também é o autor de outros dois romances, "Les Amants du n"importe quoi" e "Neiges artificielles", os dois publicados pela Flammarion, e de uma obra de teatro, "L"autre", que estreou em setembroo no teatro des Mathurins de Paris. Diferentemente de seus dois primeiros romances, escritos "com o desejo de que não pudessem se resumir em um assunto", Florian Zeller disse que quis "unir a ficção com o mundo das idéias" em "La Fascination du pire". "Não se escreve sobre um tema. Há a construção de um romance a partir de constatações... Depois a ficção se instala. É o tecido do livro, ou, então, se faz jornalismo", explicou. "A viagem ao Egito já é a narração. Não faz parte da gênese da escrita. Na verdade, eu não sei nada e não sei se quero saber de onde vêm as coisas", acrescentou em uma recente entrevista. O Interallié não é o primeiro prêmio de Florian Zeller, pois em 2003 ele recebeu a bolsa de estudos da Découverte - Prêmio Découverte Príncipe Pierre de Mônaco, e em 2002 o prêmio da Fundação Hachette, por "Neiges artificielles".

Deixe seu Comentário

Leia Também

Comissão Temporária Covid-19 ouve ministro das Comunicações
POLÍTICA
Comissão Temporária Covid-19 ouve ministro das Comunicações
EDUCAÇÃO
Cursos gratuitos capacitarão mulheres em situação de vulnerabilidade
Fóssil de dinossauro é encontrado no interior de SP
GERAL
Fóssil de dinossauro é encontrado no interior de SP
Mais um é autuado em três dias por maus tratos ao deixar gado sem alimento
POLÍCIA
Mais um é autuado em três dias por maus tratos ao deixar gado sem alimento
GERAL
Manifestações pelo voto auditável reúnem pessoas e várias capitais
ESPORTE
Em jogo frio, Caxias e Joinville não saem do zero pela Série D
INVESTIGAÇÃO
Exame de corpo de delito no marido de Joice Hasselmann não aponta lesões
POLÍCIA
Polícia Civil cumpre mandado de prisão por pensão alimentícia
OLIMPÍADAS
Com 2ª medalha garantida, boxe brasileiro vive expectativa de recorde
DOURADOS
Agosto inicia com baixas temperaturas e frio deve seguir por toda a semana

Mais Lidas

PONTA PORÃ
Bilhete ao lado de corpo esquartejado indica próximos "alvos" de criminosos
PARAGUAI
Militares executados na fronteira eram sargentos da FTC
PANDEMIA
Dourados vai liberar acesso a estabelecimentos apenas para pessoas vacinadas
PANDEMIA
Homem e mulher são mais recentes vítimas da Covid-19 em Dourados