Menu
Busca segunda, 19 de abril de 2021
(67) 99257-3397

Equipes da Michelin oferecem corrida extra nos EUA

02 julho 2005 - 15h18

As sete escuderias que correm com pneus Michelin na Fórmula 1 se ofereceram para disputar uma corrida extra-oficial no circuito de Indianápolis, ao final da temporada, na tentativa de compensar o fiasco que foi o Grande Prêmio dos Estados Unidos, há duas semanas.Neste sábado, em Magny-Cours, onde a categoria disputa o GP da França, Ron Dennis, chefe da McLaren, declarou que a idéia veio de Bernie Ecclestone, responsável pelas relações comerciais da categoria. Foi ele também quem apresentou a proposta para o diretor do autódromo de Indianápolis, Tony George."Nós dissemos que faríamos essa corrida se fosse algo que realmente ajudaria o pacote que a Michelin vem colocando em prática. Podemos apenas tentar e demonstrar por nossas ações e propostas nossa aceitação. Apesar de inocentes, fazemos parte do problema", afirmou o dirigente da McLaren.A temporada da F-1 termina com o GP da China, no dia 16 de outubro. Uma prova em Indianápolis após essa data aconteceria em condições de temperaturas baixas, o que deve ajudar os pneus.Além da McLaren, Williams, Renault, Toyota, Sauber, Red Bull e BAR também correm com a borracha da Michelin. Para Frank Williams, chefe da escuderia de mesmo nome, a idéia de fazer uma prova extra-oficial é boa."Certamente é uma possibilidade. Eu ficaria surpreso se as equipes da Bridgestone viessem junto, mas tenho certeza que seriam bem vindas", declarou Williams se referindo à Ferrari, Jordan e Minardi.Apesar da boa aceitação dos chefes de equipe, uma corrida extra em um continente que não a Europa seria um gasto muito alto. Segundo Williams, o total chegaria a US$ 534 mil. Seu diretor técnico, Patrick Head, levanta ainda outra questão. "É importante descobrir se os torcedores estariam interessados nesta corrida antes de fazer qualquer coisa."GP dos EUAA prova norte-americana viu somente seis carros correrem, todos com pneus Bridgestone. A Michelin aconselhou seus times a não andarem por motivos de segurança. Segundo ela, os pneus levados a Indianápolis não agüentariam mais de dez voltas de prova.Os torcedores dos EUA, que já não são muito fãs da F-1, se revoltaram com a corrida fracassada e pediram reembolso de seus ingressos. A Michelin já anunciou que se responsabilizará por ressarci-los e ainda pagará pelos primeiros 20 mil ingressos para a corrida do ano que vem.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

REGIÃO
TCE-MS pede explicações sobre irregularidades de R$ 2,2 milhões em licitação de prefeitura
INTERNACIONAL
Ataques a tiros em dois estados deixam 6 mortos nos EUA
PRF prende dois e apreende cocaína avaliada em R$ 8 milhões na BR-163
POLÍCIA
PRF prende dois e apreende cocaína avaliada em R$ 8 milhões na BR-163
POLÍCIA
Adolescentes estouram janela de alojamento e fogem de Unei
PMA resgata macaca domesticada que foi abandonada por tutores
POLÍCIA
PMA resgata macaca domesticada que foi abandonada por tutores
POLÍCIA
MPE-MS alerta gestores sobre prática de novo golpe no WhatsApp
REGIÃO
Após comprometimento de 98% do pulmão, prefeito se recupera da Covid-19
POLÍCIA
Após desentendimento, menina de 10 anos sai de casa e fica sete horas desaparecida
POLÍCIA
Homem é morto com vários golpes de faca e assassino é preso horas depois
PANDEMIA
Dourados segue com 100% das UTIs Covid ocupadas e com fila de espera por leitos

Mais Lidas

ASSALTO
Mulher tem carro roubado ao parar no semáforo em Dourados
POLÍCIA
Irmãos morrem após serem atropelados por caminhonete em rodovia
DOURADOS
Interno morre após briga com companheiro de cela da PED
PED
Arma de fabricação caseira é encontra em cela de interno morto