Menu
Busca quinta, 28 de maio de 2020
(67) 99659-5905

Empregada aparece morta em casa de embaixador em Viena

29 dezembro 2009 - 14h24

Uma mulher de nacionalidade filipina foi achada morta no porão da residência do embaixador do Líbano em Viena, Ishaya El Jury, informou a polícia austríaca, nesta terça-feira. A mulher, de 30 anos, trabalhava na casa como empregada doméstica e, conforme a polícia, apresenta marcas de facadas por todo o corpo.

O embaixador libanês não está na Áustria há vários dias, pois está de férias, ainda segundo a polícia.

Segundo o Ministério de Relações Exteriores da Áustria, o alerta do aparente assassinato foi dado pelas próprias autoridades libaneses, que autorizaram a polícia austríaca a adentrar na residência, que goza do estatuto de extraterritorialidade por ser sede diplomática. O corpo teria sido encontrado pela cozinheira da casa.

Uma investigação do crime está em andamento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BR-463
Carreta com mais de 4t de maconha é apreendida entre Dourados e Ponta Porã
OPERAÇÃO NEPSIS
Após comando da PM, operação mira pagamento de propina a policiais civis em MS
MATO GROSSO DO SUL
Deputados devem votar cinco projetos na sessão desta quinta-feira
TRÁFICO
Adolescente de 15 anos é apreendido com 23 quilos de maconha
ECONOMIA
Mais de 100 veículos estão disponíveis no segundo leilão de sucata
DOURADOS
Ministro do STJ nega pedido de Braz para suspender decisão que pode custar mandato
TRÁFICO DE DROGAS
Homem é preso transportando toneladas de maconha na BR-463
UFGD
Universitários podem se inscrever em competição de esportes on-line
LOTERIA
Mega-Sena acumula mais uma vez e prêmio vai a R$ 38 milhões
CAPITAL
Golpista clona WhatsApp de vereador e pede dinheiro a pelo menos 30 pessoas

Mais Lidas

DOURADOS
Paciente com suspeita de coronavírus afasta mais de 20 profissionais da saúde no HV e UPA
PANDEMIA
Dourados é "campeã" de casos de coronavírus em MS pelo 3º dia consecutivo
PANDEMIA
Dourados investiga morte com suspeita do novo coronavírus
DOURADOS
Empresários cobram de Délia prova científica para justificar toque de recolher