Menu
Busca quarta, 12 de agosto de 2020
(67) 99659-5905
BRASIL

Embrapa coleta bactérias e fungos com potencial econômico na Amazônia

12 julho 2020 - 19h20Por Agência Brasil

Bactérias e fungos encontrados em rios da Amazônia podem apresentar potencial econômico e ser utilizados em setores como o agrícola, químico e até têxtil, é o que apontam pesquisas realizadas por cientistas da Embrapa em Manaus (AM). De acordo com a empresa, esses microorganismos, coletados em sedimentos dos rios, têm potencial biotecnológico com aplicações em processos industriais.

Este é o primeiro estudo em larga escala utilizando microrganismos cultiváveis e não cultiváveis presentes nos sedimentos da Bacia Amazônica. Para realizar a pesquisa, os pesquisadores percorreram aproximadamente 6.850 quilômetros (km) de rios amazônicos. A coleta foi feita a cada 50 km, em quatro rios da região: Madeira, Purus, Solimões e Juruá.

Após a coleta, o material é analisado no laboratório, onde passa por um processo de isolamento dos microrganismos cultiváveis e as extrações de DNA para estudos de metataxonomia e metagenômia funcional. De acordo com a Embrapa, a estimativa é que apenas 5% dos microrganismos sejam cultiváveis.

Em 2019, foi realizado o sequenciamento de nove genomas completos de fungos isolados da Amazônia com potencial biotecnológico, dos quais cinco são novas espécies. A meta para este ano é obter o genoma completo de mais de 60 bactérias já selecionadas.

“Esses genomas estão em análise para identificação das vias metabólicas relacionadas à produção de moléculas de interesse, principalmente de ação antimicrobiana, antiparasitária e anticâncer”, informou a Embrapa.

Entre as aplicações, estão o uso desses microorganismos ou de moléculas deles, em atividade antimicrobiana contra fitopatógenos de interesse agrícola. Eles estão sendo usados no controle de fitopatógenos para as culturas do guaranazeiro, fruteiras amazônicas (cupuaçu, cacau) e hortaliças, reduzindo o uso de agrotóxicos.

Também foram selecionados microrganismos que agem na produção de enzimas que têm aplicação em diversas indústrias, como no amaciamento de fibras de jeans e para a indústria de celulose e também para uso no bioetanol. Outras podem ser usadas na na produção de detergentes, indústria do couro e flavorizantes para alimentos.

“A futura aplicação desses resultados servirá ao desenvolvimento de bioprodutos com base na microbiota amazônica. Além disso, o trabalho tem importância científica, permitindo avanços nas áreas de biologia molecular, química e genômica aplicadas à microbiologia”, disse a Embrapa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Indústria de alimentos e bebidas cresce 0,8% no primeiro semestre
DOURADOS
Duplicação da MS-156 vai trazer segurança aos moradores do Guaicurus
MATO GROSSO DO SUL
Programa beneficia Agricultura Familiar e assegura comida para famílias carentes
PANDEMIA
Governador de São Paulo testa positivo para o novo coronavírus
DESCAMINHO
Veículos com mais de R$ 160 mil em contrabando são apreendidos
DOURADOS
Promotora esperava melhorias na saúde com nomeação de secretário, agora no 2º sucessor
ECONOMIA
Vendas no comércio varejista crescem 8% de maio para junho, diz IBGE
LEGISLATIVO DE MS
Aprovado mais um pedido de calamidade pública em MS
AQUIDAUANA
Empresa de alarmes é condenada por vender produtos usados como novos
PANDEMIA
Com mais 31 confirmações de coronavírus, Dourados tem 450 casos ativos

Mais Lidas

DOURADOS
Suspeito de atropelar motociclista durante racha na BR-163 se apresenta à polícia
DOURADOS
Amigos vão procurar homem e encontram corpo em avançado estado de decomposição
DOURADOS
Motociclista é atingido por veículo que praticava "racha' e tem fratura exposta
CORGUINHO
Jovem morre após sofrer acidente durante passeio de moto com amigos