Menu
Busca sexta, 10 de julho de 2020
(67) 99659-5905
PANDEMIA

Em tempos de isolamento social, cuidados com crianças e adolescentes precisam ser redobrados

06 junho 2020 - 14h00Por Governo de MS

Elas estão mais tempo em casa, algumas não conseguem assimilar o que de fato está acontecendo, outras sentem muita falta dos avós, dos professores e dos colegas e amigos. Nessa nova rotina, ou melhor dizendo, quebra de rotina, as crianças, e também os adolescentes, precisam ter uma atenção redobrada quando o assunto é saúde mental.

É o que dizem os especialistas, ainda mais considerando que, com o avanço do coronavírus, a tensão e a incerteza aumentam, principalmente para os que estão em fase de desenvolvimento.

Para a psicóloga e especialista em cuidados paliativos (com experiência em saúde mental), Gabriela Silva Molento, essa mudança brusca pode gerar uma desorganização diária e, neste sentido, os pais devem ficar atentos. “A rotina que é responsável por organizar e condicionar o corpo e a mente. A escola ajuda a criança e o adolescente a se desenvolver, principalmente no quesito responsabilidade, que a vida adulta irá exigir deles”.

A orientação é que se busque estruturar uma rotina, com novas responsabilidades que estão ao alcance da realidade atual. “Para as crianças, os pais devem adotar uma comunicação mais lúdica, fazendo analogias, assim fica mais fácil da criança entender o que está acontecendo”, explica Gabriela.

Para Raquel, as brincadeiras podem ajudar. “As famílias, pessoas que agora estão debaixo do mesmo teto por muito mais tempo, precisam tomar ciência de que as crianças precisam de permissão para brincar, de forma assistida, porque elas têm curiosidade, criatividade e necessidades para seu desenvolvimento pleno. O movimento é extremadamente importante. Essa é a missão: cuidar de seus filhos em tempo integral”.

Com os adolescentes, a dica para os pais é paciência. “Esses jovens já passam por período de transição, uma fase complicada, os hormônios a flor da pele, com muita energia para gastar, para desenvolver. Os pais precisam encontrar equilíbrio entre a serenidade e a firmeza em lidar com eles. É preciso dialogar. É um período diferenciado”, salienta Gabriela.

Na avaliação da psicóloga, especializada em stress e mestre em psicologia, Raquel Icassati Almirão, lições podem ser tiradas do atual momento em que ficar em casa pode salvar vidas. “Não dá para negar que muitas crianças ficaram felizes de poder estar com seus pais”.

A serenidade, a calma, o acesso a informação oficial e correta são caminhos para que esse período passe de forma mais tranquila para as crianças e adolescentes. “Os filhos têm no seu pai o espelho e a referência”, acrescenta Raquel.

Gabriela aposta no diálogo para melhorar comportamentos. “A forma de minimizar esses impactos é a maior abertura do diálogo, é se colocar numa postura de solidariedade, de se posicionar no lugar do outro, desenvolver essa empatia mais forte através da intimidade, melhorando a comunicação. Isso fortalece o vínculo familiar”.

Se precisar, procure ajuda, mas sem sair de casa

Para o Conselho Regional de Psicologia, frente a situações como o coronavírus ficamos vulneráveis e para amenizar esse impacto criamos novas formas de enfrentamento a esses conflitos. A orientação, nesse sentido, é clara: pesquisar por notícias sempre de fontes legítimas e confiáveis como os órgãos de governo e a Organização Mundial de Saúde.

Assim que possível, é sempre importante buscar acompanhamento de um profissional, seja nos serviços públicos ou na rede privada de saúde. Hoje, o Conselho Federal de Psicologia já regulamenta o atendimento on-line, que pode ser uma saída para as pessoas acessarem serviços psicológicos em tempos de isolamento social. Acesse: https://e-psi.cfp.org.br/psicologas-cadastradas/

Aulas na Rede Estadual

O Governo do Estado tornou público, no Diário Oficial do Estado (DOE) do dia 15 de maio, o decreto que prorroga a suspensão das atividades presenciais na Rede Estadual de ensino (REE) até o dia 30 de junho. Com isso, os 210 mil estudantes matriculados nas 345 unidades escolares da REE seguirão com as aulas remotas.

No dia 25 de maio, iniciaram as transmissões das aulas pelo sinal digital da Televisão Aberta no dia 25 de maio de 2020. A iniciativa visou a ampliação do atendimento aos estudantes da Rede Estadual de Ensino (REE) na execução das atividades remotas, adotadas desde o dia 23 de março de 2020 e contou com a parceria do projeto Vamos Aprender. Veja como funciona, acesse: sed.ms.gov.br/aulas-na-tv-aberta/

Deixe seu Comentário

Leia Também

FUTEBOL
Paulistão tem data de inscrição ampliada e rebaixamento mantido
DESCAMINHO
Veículos são apreendidos com produtos contrabandeados
MATO GROSSO DO SUL
No dia do Oncologista, médico diz que é um grande compromisso trabalhar nesta especialidade
BRASIL
Bolsonaro apresenta boas condições de saúde, diz Planalto
PANDEMIA
Pedidos e calamidade pública chega a mais da metade de cidades em MS
CRIME AMBIENTAL
Douradense é multado por armazenar combustível de forma ilegal
ECONOMIA
Caixa ultrapassa R$ 5 bi em crédito a micro e pequenas empresas
ECONOMIA
Dólar fecha em queda com investidores monitorando a pandemia
JARDIM MÁRCIA
Homem é preso por violação de domicílio e tentativa de furto em Dourados
DOURADOS
DOF prende dois passageiros de ônibus com tabletes de maconha

Mais Lidas

DOURADOS
Decreto vai mandar fechar bares e academias por 10 dias
DOURADOS
Publicado, decreto que fecha bares e academias por 10 dias poderá ser prorrogado
PANDEMIA
Pneumologista é o terceiro médico a morrer por covid-19 em Dourados
DOURADOS
Decreto é alterado e agora autoriza delivery e drive-thru para bares e conveniências