Menu
Busca sexta, 18 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
ESTADO

Em MS, crianças aprendem a fazer boneca símbolo da resistência negra

01 dezembro 2019 - 09h45Por Redação

Entre dobras e nós, as técnicas da Subsecretaria de Políticas Públicas para a Igualdade Racial transformam retalhos em boneca símbolo da resistência do povo afro-brasileiro.

Segundo relatos, as bonecas Abayomi eram confeccionadas nos porões dos navios que transportavam o povo africano para o Brasil na época da escravidão. Em um ato de afetividade para acalentar seus filhos durante as viagens, as mães africanas rasgavam retalhos de suas roupas e a partir deles criavam pequenas bonecas, feitas de tranças ou nós, que serviam como amuleto de proteção.

De acordo com a técnica da Subsecretaria de Políticas Públicas para a Igualdade Racial, Angela Epifanio, a oficina tem como objetivo proporcionar aos participantes o contato direto com uma das heranças cultural africana no Brasil, fomentando a discussão da história, da origem e do significado cultural ancestral da Abayomi”.

A oficina faz parte das atividades desenvolvidas pela Subsecretaria durante a campanha “Novembro Negro”, que tem como objetivo desenvolver ações de fortalecimento das Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial, com conteúdo e ênfase para a população negra, visando a garantia de direitos e integrando ações de cidadania.

“A palavra Abayomi tem origem no dialeto yourubá, que significa encontro precioso (Abay – encontro e Omi – precioso), o sentido da boneca é a ancestralidade, sem costura, sem marcação de boca, de olhos e de nariz, para o reconhecimento das diversas etnias africanas”, relata Ana José Alves, subsecretária Estadual de Políticas Públicas para Igualdade Racial.

A atividade abre espaço para a troca de conhecimento estimulando as relações sociais, o respeito e o processo criativo. “Iniciamos com uma breve narrativa sobre a história da Abayomi e a necessidade de uma nova construção de sentido de superação para o povo negro brasileiro e as perspectivas que dela se constroem. Posteriormente é iniciada a confecção das bonecas a partir de técnicas de amarrações, laços e nós, ao final da oficina cada criança pode levar a boneca confeccionada para casa”, relata Amirtes Carvalho, técnica da Subsecretaria de Políticas Públicas para a Igualdade Racial. (Com informações do Governo de Mato Grosso do Sul)

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Covid-19 tem mais de 30 milhões de vítimas em todo o mundo
DOURADOS
Homem é preso após descumprir medida protetiva e ameaçar irmã
DOURADOS
Ministro do STF cita ‘coação de testemunhas’ e mantém ex-secretário em prisão domiciliar
COMEMORAÇÃO
Semana Nacional de Trânsito começa nesta sexta-feira em todo o país
SAÚDE & BEM - ESTAR
Unimed Cliente é o novo App da Unimed Dourados
ROUBO
Motorista é contratado na Capital e cai em golpe do falso frete em Dourados
INFORME PUBLICITÁRIO
Você já conhece o Meridian Residence & Resort?
NEGÓCIOS & CIA II
Como Fica Sua Conta de Energia Depois da Energia Solar?
CLIMA
Dourados tem alívio na umidade do ar após quase um mês de alertas por riscos à saúde
CAMPO GRANDE
Motorista é obrigado a dirigir camionete para bandidos e depois abandonado

Mais Lidas

PERIGO POTENCIAL
Vendaval pode atingir Dourados e outras 35 cidades de MS, segundo alerta do Inmet
BNH III PLANO
Ladrões tentam invadir residência de juiz em Dourados
REGIÃO
Empresário é sequestrado e morto quando visitava túmulo do filho
ELEIÇÕES 2020
Convenções chegam ao fim e sete nomes são lançados à prefeitura de Dourados