Menu
Busca sexta, 24 de setembro de 2021
(67) 99257-3397
LOGÍSTICA

Secretário destaca avanços da Nova Ferroeste e ações de MS e do PR para viabilização do projeto

15 setembro 2021 - 15h34Por Da Redação

O secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), representou o governador Reinaldo Azambuja na manhã desta quarta-feira (15) em evento de apresentação do potencial de movimentação de cargas nos Portos do Paraná, e destacou a importância do projeto da Nova Ferroeste e da parceria dos governos de Mato Grosso do Sul e do Paraná junto ao Governo Federal no processo de concretização do traçado logístico ferroviário, que vai ampliar  o escoamento e dar mais competitividade à produção do agronegócio sul-mato-grossense por meio dos portos paranaenses.

O evento foi promovido pela Fiep (Federação das Indústrias do Estado do Paraná) e, além de apresentar a atual situação dos Portos do Paraná, também abordou de que forma o projeto da Nova Ferroeste deverá impactar na capacidade de escoamento da produção para os terminais portuários. Assista na íntegra aqui.

“O Governo do Estado já incluiu a Nova Ferroeste como projeto estruturante para o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul. Junto com o governo do Paraná, temos trabalhado na consolidação de um ambiente favorável, com segurança jurídica para a atração de investidores nesse projeto. Caminhamos agora, para a finalização do projeto da Nova Ferroeste. Tivemos um salto importante com a aprovação da MP 1065, o que nos permitiu a conexão com a Malha Oeste, ligando Maracaju a Dourados e tratamos muito da questão do escoamento por meio de contêineres, pois teremos o transporte de produtos com valor agregado, principalmente proteínas”, comentou o secretário Jaime Verruck.

O titular da Semagro lembrou que Mato Grosso do Sul está em processo de expansão de sua produção agrícola. “Já fizemos a incorporação de mais de 1 milhão de hectares à nossa área de lavoura e devemos incluir mais 2 milhões de hectares nos próximos anos, com forte agregação de valor por meio das agroindústrias. Daí a importância da Nova Ferroeste para o nosso Estado. É um projeto sustentado, sólido, consistente, inserido numa lógica nacional de desenvolvimento e nos eixos logísticos nacionais, que vai reduzir o frete e gerar competitividade ao produtos sul-mato-grossenses, pois mais de 40% da nossa produção é escoada pelo Porto de Paranaguá”, finalizou.

Projeto da Nova Ferroeste

A Nova Ferroeste será um investimento privado ligando a cidade paranaense de Cascavel a Maracaju. Os trilhos dessa nova malha ferroviária deverão ser, em princípio, de bitola mista (estreita e larga) e vão entrar em Mato Grosso do Sul pelo município de Mundo Novo e seguirão pelo Estado passando por Eldorado, Iguatemi, Amambai, Caarapó, Dourados e Itaporã, até chegarem a Maracaju. No Paraná, o projeto ainda engloba um novo traçado entre Guarapuava e Paranaguá; um ramal multimodal ligando Cascavel e Foz do Iguaçu; além da revitalização do atual trecho da Ferroeste, entre Cascavel e Guarapuava.

A previsão é de que essa nova ferrovia tenha um impacto de 3% no PIB brasileiro e beneficie uma população de 9 milhões de pessoas. O escoamento da produção de Mato Grosso do Sul terá o maior percentual de economia, com uma redução de custos de 32% no transporte até o Porto de Paranaguá. No total, o “Custo Brasil” de exportação/importação de carga deverá ter uma queda de R$ 2,4 bilhões no Ano Zero (início de operações) dessa ferrovia.

O projeto da Nova Ferroste foi concebido para ser um empreendimento com o menor nível de impacto ambiental possível, contribuindo, ainda, na diminuição do número de acidentes rodoviários e na redução na emissão dos gases de efeito-estufa, pois um trem com 100 vagões graneleiro (transportando 100 toneladas de carga cada um), equivale à retirada de 357 caminhões das estradas.

Dessa forma, os estudos já realizados apontam a ferrovia como elegível para a emissão de Green Bonds, ou “Títulos Verdes”, similares aos títulos de dívida comuns, com a diferença de que só podem ser usados para financiar investimentos considerados sustentáveis. A expectativa dos governos do Paraná e de Mato Grosso do Sul é de que essa característica seja um atrativo para auxiliar no financiamento do projeto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Vacinação continua nesta sexta com D1 para maiores de 18 anos no CCI 
REPESCAGEM
Vacinação continua nesta sexta com D1 para maiores de 18 anos no CCI 
Tereza Cristina testa positivo para a Covid e cancela agenda em MS
PANDEMIA
Tereza Cristina testa positivo para a Covid e cancela agenda em MS
FUTEBOL
Tite convoca a Seleção nesta sexta-feira para rodada tripla
AJUDA
Caixa paga 6ª parcela do auxílio emergencial a nascidos em abril
REGIÃO
Lei cria programa de fomento à alfabetização no ensino público
TV DOURADOS NEWS
Sergio Nogueira fala sobre a situação dos venezuelanos e haitianos em Dourados
EDUCAÇÃO
Instituto Federal abre novo curso de pós-graduação em Nova Andradina
SÃO GABRIEL
Adolescente de 17 anos é apreendida com mais de 20 quilos de maconha
CNJ
Comitê Estadual de Saúde reúne-se hoje com transmissão pelo YouTube
ECONOMIA
Governador sanciona lei que reduz ICMS da energia elétrica

Mais Lidas

PEDRO JUAN CABALLERO
Adolescentes desaparecidas na fronteira são localizadas
FRONTEIRA
Adolescentes brasileiras estão desaparecidas desde o último sábado
TRAGÉDIA 
Motociclista morre na BR-163 em Dourados após bater em uma capivara 
CRONOGRAMA
Questões técnicas atrasam obras e aeroporto de Dourados não abrirá esse ano