Menu
Busca sexta, 03 de julho de 2020
(67) 99659-5905
LEILÃO

Petrobras arremata bloco de MS para explorar gás e petróleo e abre espaço para novas perspectivas

Petrobras arremata bloco de MS para explorar gás e petróleo e abre espaço para novas perspectivas

27 setembro 2017 - 18h15Por Da Redação

A Petrobras arrematou um bloco da Bacia do Paraná, em Mato Grosso do Sul, para exploração de petróleo e gás natural. A estatal pagou R$ 1,69 milhão no leilão realizado hoje pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), e se comprometeu a investir pelo menos R$ 20,5 milhões.

Essa é a primeira vez que áreas no Estado poderão ser perfuradas para exploração de combustíveis, o que gera uma nova perspectiva de desenvolvimento para Mato Grosso do Sul. De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, o interesse da Petrobras desperta expectativas positivas.

“Se nós tivermos possibilidade de produção de gás natural em Mato Grosso do Sul, nós teríamos mais uma fonte energética, teríamos opção de royalties a esses municípios e teria possibilidade de diversificação da nossa base econômica. Então nós somos cautelosos, mas seria extremamente positivo para a economia do estado”, afirmou Verruck.

estudo feito pela ANP estabeleceu 11 áreas da Bacia do Paraguai que podem ser exploradas, mas apenas uma despertou interesse de investidores, no caso o lote 175 arrematado pela Petrobras.

O secretário Jaime Verruck explica que ainda não temos uma dimensão efetiva de qual é o potencial para combustíveis e o edital é justamente para identificar isso. “O que existe hoje, dado aos estudos geológicos e as características é de que há a possibilidade de encontrar gás natural e petróleo na região lindeira ao rio Paraná”.

Porém, por ser exploração terrestre a expectativa é de que os volumes sejam bem menores que no mar, mas devido as condições de subsolo, é normal que tenha mais gás natural do que Petróleo.

Ainda de acordo com o secretário, no ano passado a ANP solicitou ao Governo do Estado informações sobre essas áreas com potencial para exploração. “Eles queriam saber se essas áreas eram de baixo impacto ambiental e se não estavam em áreas de conservação, mas o Imasul informou que não”.

Conforme o ritual, depois que assumir a concessão, a empresa terá que entrar com um pedido de licenciamento ambiental específico para aquele tipo de exploração e ai vai ser avaliado dentro da legislação.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COTAÇÃO
Dólar recua nesta sexta e fecha a R$ 5,31
TRAGÉDIA
Policial mata cinco da própria família e comete suicídio no Paraguai
BRASIL
IBGE mostra 83,5 milhões de ocupados na segunda semana de junho
PANDEMIA
Mulher morre de covid-19 logo após dar à luz em Dourados
PÓS-GRADUAÇÃO
CAPES incentiva cursos emergentes e em consolidação nos estados
JAPORÃ
Dois são presos por supeita de série de roubos no Sul de MS
NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS
Aprenda como identificar imóveis no perfil do cliente e aumentar as vendas
INVESTIGAÇÃO
Ex-namorado de 56 anos é suspeito de matar mulher em Campo Grande
DOURADOS
MPE faz recomendações à Prefeitura e Câmara sobre programas sociais em ano de eleição
CAMPO GRANDE
Negado recurso para condenar pai e dois filhos por furto em fazenda

Mais Lidas

DOURADOS
Decretos sobre aglomerações, igrejas e comércio terão mais 10 dias de vigência
PANDEMIA
Dourados tem quatro mortes por Covid em 24 horas, uma das vítimas médico
DOURADOS
Comerciante encontra homem morto ao chegar para abrir estabelecimento
20 VEÍCULOS
"Bonde do contrabando" é apreendido abarrotado de produtos do Paraguai