Menu
Busca terça, 19 de janeiro de 2021
(67) 99257-3397
ECONOMIA

Papel tem reajuste de 24%, mas indústria gráfica de MS opta por absorver aumento

29 fevereiro 2016 - 16h35

O preço do papel, principal insumo da indústria gráfica, teve um reajuste de 24% neste mês de fevereiro, mas o consumidor final sul-mato-grossense pode ficar tranquilo, pois as empresas do segmento no Estado decidiram absorver o aumento para evitar retração ainda maior nas vendas. A informação é do presidente do Sindigraf/MS (Sindicato das Indústrias Gráficas de Mato Grosso do Sul), Julião Gaúna, completando que, no ano passado, essa matéria-prima já registrou uma alta de 12%.

“Com uma administração mais enxuta nós acreditamos que é possível atravessar esse momento que o Brasil está passando. Isso se deve muito mais pela gestão pública federal do que por conta da questão econômica. Assim, nós devemos buscar todas as alternativas de mercado para vencer essa guerra”, declarou.

Ainda de acordo com o empresário, o aumento de 24% com certeza teria impacto nos preços dos livros, cadernos, papel sulfite, entre outros produtos. “Com o reajuste, os principais prejudicados seriam os consumidores e a sociedade, pois o impacto seria direto nos preços de itens fundamentais, como livros, revistas e embalagens de papel-cartão, amplamente utilizadas em medicamentos e alimentos. Porém, pelo menos nos produtos fabricados no Estado, essa majoração não será repassada, amenizando um pouco para o consumidor final”, observou.

No entanto, o presidente do Sindigraf/MS acrescenta que, assim, torna-se demasiadamente oneroso o custo produtivo da indústria gráfica em um momento de recessão econômica e retração dos mercados. “Precisamos considerar que o Governo Federal mantém o imposto de importação e que o dólar elevado dificulta as compras externas do insumo. Nesse contexto, as gráficas ficam sem muitas alternativas para buscar matéria-prima a preços capazes de impedir o reajuste dos impressos, em prejuízo da sociedade”, concluiu.

Julião Gaúna, que também preside a Abigraf/MS e o Conselho Diretivo da Abigraf Nacional, reforça que a entidade já encaminhou aos fabricantes nacionais de papel e distribuidores de matéria-prima um ofício para demonstrar a insatisfação com o aumento médio de 24% no preço do papel e solicitar uma reavaliação do reajuste proposto. “Nossas indústrias vêm enfrentando situações de extrema dificuldade e não possuem condições de assimilar um aumento de custos dessa monta, especialmente, porque, no atual cenário, é impossível repassá-los aos nossos clientes”, afirmou.

Ele recorda que as indústrias gráficas já fecharam 2015 com números negativos e, muitas delas, chegaram a encerrar as atividades, contabilizando um déficit nos postos de trabalho. “Esses números estão dificultando a manutenção das empresas em 2016 e o aumento do preço do papel vai comprometer ainda mais nossas empresas”, enfatizou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UNIVERSIDADE
Laboratório de universidade federal analisa mais de 4 mil testes de Covid-19 em 2020
LEGISLATIVO
Deputados entregam a candidatos à Presidência da Câmara carta com prioridades para a educação
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Projeto prevê punição para o repasse indevido de salário de funcionários de agentes políticos
BRASIL
Anac divulga aéreas que podem transportar cilindros de oxigênio
OPINIÃO
Como as alterações nos benefícios previdenciários podem te impactar
PANDEMIA
Mato Grosso do Sul realiza primeira vacinação contra o coronavírus
SISTEMA DE SAÚDE
Governo foi informado dia 8 sobre escassez de oxigênio em Manaus
TRAGÉDIA
Criança de seis anos morre em acidente entre Bonito e Bodoquena
CLÁSSICO
Palmeiras goleia Corinthians e segue sonhando com título brasileiro
REGIÃO
Bombeiros são acionados para buscas após populares verem corpo boiando em rio

Mais Lidas

DOURADOS
Morto por descarga elétrica pode ter tentado consertar portão
ACIDENTE
Homem morre após sofrer descarga elétrica em Dourados
DOURADOS
Comitê alerta para crescente da Covid e prefeito expede decreto com novas regras
DOURADOS
Em ação conjunta, polícia deflagra operação para investigar crimes