Menu
Busca quarta, 28 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
EXPANSÃO

Novo voo internacional ligará MS a nove países até 40% mais barato

17 dezembro 2017 - 10h21Por Da Redação

Operado pela companhia Amaszonas, o voo que liga Campo Grande a Assunção foi inaugurado nessa semana com opção de conectar Mato Grosso do Sul a nove países do mundo. O passageiro que optar sair de viagem pela nova rota vai pagar até 40% mais barato nas passagens, na comparação com voos que saem de São Paulo. A informação foi divulgada pelo governador Reinaldo Azambuja, que recebeu comitiva paraguaia no voo inaugural da empresa.

“Essa rota é extremamente positiva para nós, uma oportunidade para o Mato Grosso do Sul e o Centro-Oeste acessarem, com conexão via Assunção, as Américas do Sul, Central e do Norte, além da Europa. Através de um voo regular três vezes por semana, de Assunção a Campo Grande, ganhamos uma opção mais competitiva, mais rápida e com um custo menor”, afirmou.

A nova rota que liga Campo Grande à capital paraguaia, com possibilidade de conexão para cidades da Argentina, Bolívia, Canadá, Chile, Espanha, Estados Unidos, Panamá, Paraguai e Uruguai, começa a operar regularmente nesta segunda-feira (18.12).

Inicialmente, os voos serão realizados três vezes por semana, às segundas, quartas e sextas-feiras. Nos três primeiros meses, as passagens serão vendidas a preço promocional de US$ 300 (já é possível encontrar bilhetes à venda no site da companhia). O avião tem capacidade para 50 passageiros.

“É mais fácil sair de Campo Grande do que por São Paulo, é melhor na questão financeira e do tempo”, disse o vice-presidente executivo do Grupo Amaszonas, Luís Vera. Segundo ele, o tempo estimado de conexão para outros países da América do Sul, de voos saindo da capital de Mato Grosso do Sul, será de quatro horas. No prazo de um ano, a companhia aérea pretende implantar voos diários entre Campo Grande e Assunção.

Para o secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, a nova rota intensifica também a relação comercial entre Mato Grosso do Sul e Paraguai. “Estamos focando nos passageiros empresários, que são investidores que têm no Paraguai, e nos passageiros de turismo, uma vez que nós sul-mato-grossenses, agora, podemos ir a Assunção e de Assunção para Miami, para Santiago, Montevidéu e outras capitais”, falou.

Expansão

Com sede no Paraguai, Argentina e Uruguai, o Grupo Amaszonas está expandindo as linhas de voos no Brasil e em diversos outros países. Nesta quarta-feira foi inaugurado os trechos Campo Grande/Assunção, Curitiba/Assunção e Porto Alegre/Assunção.

Há dois anos a companhia aérea faz o trecho Assunção/Florianópolis na alta temporada, de dezembro a fevereiro. Em janeiro de 2018 outras duas rotas serão abertas: Assunção/Campinas e Assunção/Rio de Janeiro. “Até 2020 queremos fazer Assunção/Bonito e Campo Grande/Cidade do Leste”, completou o vice-presidente executivo do Grupo Amaszonas.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORUMBÁ
Enteado ameaça idoso e diz “vou sair da cadeia rapidinho e te matar”
RIO DE JANEIRO
Fogo em hospital mata 2 pacientes com Covid; 200 são transferidos
CHAPADÃO DO SUL
Homem que ameaçou arrancar cabeça da esposa esfaqueia amiga dela
FUTEBOL
Coutinho é cortado, e Tite convoca Lucas Paquetá para as Eliminatórias
AQUIDAUANA
Polícia evita suicídio de jovem que se jogaria da ponte de rio
SEGURANÇA
Eleições: TSE aprova envio de forças federais para Mato Grosso do Sul
POLÍCIA
Mulher que obrigava filha a se prostituir responderá por dois crimes
JUDICIÁRIO
Justiça adia decisão sobre afastamento de Ricardo Salles de ministério
CAARAPÓ
Polícia Civil prende ladrão em flagrante logo após o crime
JUSTIÇA
Universidade que descumpriu parcelamento deve indenizar estudante

Mais Lidas

DOURADOS
Enquanto filma chuva, interno mostra ‘plantação’ de maconha em cela da PED
GRANDE DOURADOS
Cobertura de barracão de cerealista ‘voa’ com o vento; veja vídeo
BR-463
Homem para carro em bloqueio, desce atirando e morre em confronto com a polícia
DOURADOS
Délia decreta emergência por causa de danos provocados pela tempestade