Menu
Busca terça, 21 de setembro de 2021
(67) 99257-3397
ECONOMIA

Jovens têm piora na educação financeira em 2014

07 agosto 2014 - 11h21

Os jovens com idade entre 16 e 24 anos, além de terem o nível mais baixo de educação financeira, tiveram piora em relação ao ano passado. Esta foi uma das conclusões da segunda edição do Indicador de Educação Financeira (IndEF) 2014, elaborado pela Serasa Experian, e IBOPE Inteligência, apresentado hoje, 07 agosto, na sede da Serasa Experian. Com o indicador, o Brasil passa a ser o único país do mundo a ter uma metodologia que permite conhecer e acompanhar o nível de educação financeira da população.

“Nosso objetivo é mostrar anualmente o nível de educação financeira do brasileiro para apoiar a medição de resultados em empresas, na sociedade civil organizada e junto aos governos, que encaram o grande desafio de educar financeiramente nossos consumidores”, afirma o presidente da Serasa Experian, José Luiz Rossi.

O IndEF 2014, que trabalha em uma escala de 0 a 10, deu média 6 aos brasileiros, a mesma nota de 2013. Quanto maior o índice, maior o nível de educação financeira. Este ano, no entanto, os jovens tiveram o pior desempenho. O grupo de 16 a 17 anos apresentou queda em relação à nota do ano passado: de 5,9 para 5,5. Os brasileiros que têm entre 18 e 24 também caíram na comparação com 2013, de 5,9 para 5,8.

Para a criação do IndEF foram entrevistadas – no primeiro trimestre de 2014 – 2.002 pessoas maiores de 16 anos de idade, em 140 cidades de todos os Estados brasileiros e do Distrito Federal, incluindo capitais, periferia e interior.

O Indicador é composto por três subíndices referentes a finanças pessoais e familiares dos brasileiros: o Conhecimento, a Atitude e o Comportamento, tendo cada um deles um peso diferente: Atitude (24%), Conhecimento (26%) e Comportamento (50%).

O subíndice Conhecimento avalia o entendimento de conceitos financeiros, o subíndice Atitude avalia como o entrevistado enxerga a sua relação com o dinheiro e, por fim, o subíndice Comportamento, que mede as ações do entrevistado no seu dia a dia (como, por exemplo, se ele gasta mais do que ganha, se guarda dinheiro e se planeja o futuro).

No IndEF 2014, como em 2013, o subíndice Conhecimento é o que atinge valores mais altos, seguido do Atitude e, por fim, a dimensão Comportamento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

INCLUSÃO
Dourados realiza "I Semana Municipal da Pessoa Surda: Cultura e Diversidade"
"Opera MS" deve começar em outubro com R$ 140 milhões para exames e cirurgias eletivas
FIM DA FILA
"Opera MS" deve começar em outubro com R$ 140 milhões para exames e cirurgias eletivas
Companhia aérea terá três voos diretos saindo de MS com destino ao Nordeste
TURISMO
Companhia aérea terá três voos diretos saindo de MS com destino ao Nordeste
Duas viaturas e quatro motos são entregues para a PM em Dourados
SOLENIDADE
Duas viaturas e quatro motos são entregues para a PM em Dourados
Blitz usa cultura e entretenimento para falar sobre educação no trânsito 
DOURADOS 
Blitz usa cultura e entretenimento para falar sobre educação no trânsito 
DOURADOS
Motivo de reclamações, parquímetro vira alvo de investigação pelo Ministério Público
NOVA ANDRADINA
Homem toca festa de aniversário, incomoda vizinhança e vai parar na delegacia
FOMENTO
Governo reabre inscrições do Programa "Incentiva+MS Turismo"
MATO GROSSO DO SUL
Saúde vai propor mutirão de sete dias para aplicar 275 mil doses contra Covid
ORDEM DO DIA
Abril Azul de conscientização sobre espectro autista segue à sanção

Mais Lidas

DOURADOS
'Buguinha' é presa e diz que matou caseiro por legítima defesa
EVENTO CLANDESTINO
PM encerra festa com pelo menos 2 mil pessoas em Dourados
DOURADOS
Envolvida em execução de detetive é presa novamente em Dourados
LOTERIA
Douradense fatura R$ 31 mil ao acertar na quina