Menu
Busca segunda, 20 de setembro de 2021
(67) 99257-3397
ECONOMIA

Indústria: utilização da capacidade instalada diminui, diz CNI

05 agosto 2014 - 13h30

A utilização da capacidade instalada na indústria (UCI) ficou em 80,1% em junho, ante 80,6 % registrado em maio. Os dados foram divulgados hoje (5) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). De acordo com Fábio Guerra, economista da CNI, a utilização da capacidade instalada teve em junho o menor percentual desde abril de 2009, logo após o início da crise. O faturamento real da indústria caiu 5,7% e as horas trabalhadas na produção tiveram queda de 3% em junho na comparação com maio, na série livre de influências sazonais.

Para a CNI, “os resultados de junho apontam a quarta queda consecutiva da atividade industrial, com intensificação do movimento de baixa". O economista Flávio Castelo Branco, da CNI, acredita, inclusive, que as incertezas da economia, como a elevação de juros, contribuíram para a queda nos investimentos.

O emprego diminuiu 0,5% e a massa salarial, 0,8%. Os dois intens registraram retração pelo quarto mês consecutivo, o que para CNI representa baixa atividade e começa a ter impacto sobre o mercado de trabalho. Na avaliação da Confederação, a Copa do Mundo teve papel importante pois agravou o quadro com as interrupções de jornada e a queda nas vendas. Para Fábio Guerra, a massa salarial real é uma variável que mostra a retração do mercado de trabalho da indústria. Segundo ele, é preciso aguardar os próximos meses para ver se os resultados vão se repetir e o efeito Copa se confirmar.

“Antecipo, o que aparentemente é um paradoxo, mas com o emprego caindo, a massa salarial caindo e rendimento estável ou com leve crescimento, chamo a atenção à interpretação que, no momento de ajuste do quadro de trabalho, dado à fraca atividade da indústria, provavelmente, os primeiro postos de trabalho, os primeiros desligamentos, serão dos colaboradores com os salários mais baixos”, avalia Guerra. A indústria geralmente tem uma mão de obra mais qualificada e, portanto, é preciso aguardar os próximos meses.

No primeiro semestre, o faturamento real caiu 1% e as horas trabalhadas na produção tiveram queda de 2,2%, ante o mesmo período do ano passado. Na mesma base de comparação, o emprego acumula alta de 0,9% e a massa real de salários 3,8%.

Para a CNI, a retração no primeiro semestre confirma que a situação da indústria continua preocupante. O economista Flávio Castelo Branco acredita, inclusive, que as incertezas da economia, como a elevação de juros, contribuíram para a queda nos investimentos. Ele acredita que o que vai mesmo reverter o quadro é quando o investimento reagir e mostrar trajetória de crescimento e que alguns fatores podem melhor este cenário, como a política monetária, neste semestre.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Dois são presos furtando combustível em posto na MS-276
BATAYPORÃ
Dois são presos furtando combustível em posto na MS-276
Venda de imóveis da União em Dourados não tem interessados
PARQUE ALVORADA
Venda de imóveis da União em Dourados não tem interessados
Jovem tem casa furtada no Jardim Santa Herminia
DOURADOS
Jovem tem casa furtada no Jardim Santa Herminia
TRÁFICO
Casal é preso com droga que levaria para São Paulo
Mato Grosso do Sul recebe mais 277.330 doses de vacina contra a Covid-19
PANDEMIA
Mato Grosso do Sul recebe mais 277.330 doses de vacina contra a Covid-19
DOURADOS
Jovem denuncia assalto e polícia apreende moto usada no crime
BR-267
Polícia apreende mais de R$ 4 milhões em cocaína pura durante abordagem
IMUNIZAÇÃO
Douradenses com duas doses de vacina contra Covid-19 somam quase 100 mil
POLÍCIA
Homem tem casa furtada no Jardim Guaicurus
FUTEBOL
Cuiabá e Fluminense encerram a 21ª rodada do Brasileirão hoje

Mais Lidas

'AMIGÃO'
Bêbado bate carro e deixa amigo ferido em canteiro
EVENTO CLANDESTINO
PM encerra festa com pelo menos 2 mil pessoas em Dourados
POLO INDUSTRIAL
Expansão industrial impulsiona investimentos logísticos em Dourados
LOTERIA
Douradense fatura R$ 31 mil ao acertar na quina