domingo, 05 de dezembro de 2021
Dourados
36°max
23°min
Campo Grande
33°max
23°min
Três Lagoas
38°max
23°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
CONTAS

Guedes reafirma flexibilização do teto de gastos e cobra reformas

24 outubro 2021 - 18h20Por G 1

O ministro da Economia, Paulo Guedes, reafirmou neste domingo, dia 24 de outubro, a flexibilização do teto de gastos do governo e cobrou do presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (MG), a aprovação de reformas na casa legislativa, como as mudanças nas regras do Imposto de Renda.

Guedes deu a declaração pela manhã, junto do presidente Jair Bolsonaro, durante visita dos dois a uma feira de criadores de passarinhos no Parque de Exposições da Granja do Torto, em Brasília.

De pé, ao lado de Bolsonaro e cercado de apoiadores do governo, Guedes defendeu a reformulação da regras do teto de gastos como forma de implementar o programa social Auxílio Brasil, sucessor do Bolsa Família. Segundo ele, é preciso "flexibilizar um pouco para atender aos brasileiros mais frágeis".

"As pessoas falam: ‘Você não é defensor do teto?' Eu sou defensor do teto. Eu vou continuar defendendo o teto. Eu defendo as privatizações. Agora, o presidente tem que tomar uma decisão política muito difícil: se ele respeita o teto ou deixa 17 milhões de famílias passando fome. Então, ele tem que pedir. Ele tem que pedir uma ação social que proteja a população. E eu tenho que calibrar essa ajuda", disse.

Na última sexta-feira, diante da reação negativa do mercado, dos pedidos de demissão de quatro secretários do ministério em razão da decisão do governo de "furar" o teto de gastos e de rumores de que o próprio Guedes poderia sair, o ministro recebeu a visita do presidente Jair Bolsonaro, que declarou ter "confiança absoluta" no auxiliar. Na ocasião, disse que não pediu demissão, que a crise era "barulho" e "falta de comunicação" e minimizou como "natural" a saída dos secretários.

Neste domingo, Guedes cobrou do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, a tramitação de reformas, entre as quais a do imposto de renda, já aprovada pela Câmara.

Ele disse que Bolsonaro estava pressionado pela "política", precisava de R$ 30 bilhões para implementar o Auxílio Brasil, e o Senado não aprovou a reforma do imposto de renda, que prevê a tributação em 15% de lucros e dividendos distribuídos pelas empresas. Segundo afirmou, essa seria a "fonte" para financiar o programa.

"Se a gente avançar com o imposto de renda, por exemplo, que tira justamente, tributa justamente quem ganha R$ 300 bilhões com juros e dividendos, nós podemos ajudar os mais frágeis. Então, nós conseguimos ajudar os mais frágeis fazendo o que nós sempre fizemos – fazendo as reformas", declarou.

E cobrou de Pacheco a aprovação dessas reformas:

“Ele precisa avançar com a reforma, ele precisa nos ajudar a fazer as reformas. Ele não pode fazer militância também. E eu tenho certeza que não vai fazer. Nós conversamos na semana passada, e ele falou: ‘Olha, nós temos que acelerar os precatórios, a aprovação, nós temos que avançar com as reformas’. Ele sabe que nós estamos no caminho certo. O presidente do Senado sabe que nós estamos no caminho certo”, afirmou o ministro.

Pacheco já afirmou que a proposta que muda o imposto de renda está "amadurecendo" no Senado, mas entende que não é "condição única" para a concessão do Auxílio Brasil.

‘Sairemos juntos’
 

Durante a entrevista, um apoiador pediu a Guedes que aproveitasse a oportunidade para dizer se continuaria no governo.

Bolsonaro se adiantou e respondeu:

“A gente vai sair junto, fica tranquilo. Está bem? Bem lá na frente, a gente vai sair junto”, afirmou Bolsonaro.

Combustíveis e Petrobras

Bolsonaro afirmou que, prevendo aumento do preço dos combustíveis, o governo dará um auxílio de R$ 400 por mês aos caminhoneiros autônomos, anunciado na semana passada.

"Infelizmente, pelos números do preço do petróleo lá fora e do dólar aqui dentro nos próximos dias, a partir de amanhã, infelizmente teremos reajuste do combustível. Prevendo isso, se antevendo a isso, nós discutimos bastante um auxílio ao caminhoneiro. Sabemos que é pouco, R$ 400 por mês, sabemos que é pouco. Mas estamos fazendo isso tudo no limite da responsabilidade fiscal", disse Bolsonaro.

O presidente afirmou que discute com Paulo Guedes o que o governo federal sugerirá para o "futuro" da Petrobras.

Questionado se há possibilidade de vender a participação na empresa petrolífera, Bolsonaro passou a resposta para Guedes:

"Isso o Paulo Guedes responde para você. Privatizar não é botar na prateleira e tudo bem, tá? É complicada essa ação. Teríamos privatizado muito mais coisas se não tivesse essa burocracia toda", respondeu.

Guedes evitou comentar diretamente a venda de ações da companhia. Disse que a "Petrobras é um veneno que pode virar vacina" caso a empresa consiga ter um regime de governança como o que, segundo ele, está sendo implementado na Eletrobras.

"Só o BNDES tem uma fortuna, são bilhões e bilhões em ações da Petrobras. Se nós formos para o novo mercado, nós criamos entre R$ 100 bilhões e R$ 150 bilhões de riqueza para os brasileiros. Vamos pegar esse dinheiro e vamos ajudar os mais fracos. Vamos acelerar os programas de transferência de renda, fazer os programas sociais. Então, nós temos ferramentas. O importante é que a gente prossiga com as reformas", disse o ministro.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Júri da Kiss: julgamento segue no domingo com depoimento de sócio da boate e mais um sobrevivente
JUSTIÇA

Júri da Kiss: julgamento segue no domingo com depoimento de sócio da boate e mais um sobrevivente

Covid-19: país tem 22,1 milhões de casos e 615,5 mil mortes
PANDEMIA

Covid-19: país tem 22,1 milhões de casos e 615,5 mil mortes

DEPUTADOS

Audiência na Câmara discutirá implementação da Política Nacional de Defesa

DEZEMBRO VERMELHO

Após 40 anos do primeiro caso, epidemia de HIV/aids ainda mata brasileiros

Ministério oferece mais de 21,5 mil vagas para Médicos pelo Brasil
SAÚDE PÚBLICA

Ministério oferece mais de 21,5 mil vagas para Médicos pelo Brasil

REGIÃO

Polícia prende homem por descumprimento de medida protetiva em Ponta Porã

ILUMINAÇÃO ROXA

Congresso chama atenção para violência contra mulheres com deficiência

INTERNACIONAL

Especialista diz que infecções são leves em crianças sul-africanas

TRÊS LAGOAS

Acusado de tentativa de furto cai de telhado de 4 metros ao tentar fuga

TRAGÉDIA

Homem morre afogado em córrego em área rural de Campo Grande

Mais Lidas

DOURADOS

Vídeo mostra jovem deitando em rua antes de acidente

DOURADOS

Homem morre atropelado no Jardim Piratininga e motorista foge do local

DOURADOS

Jovem estava deitado na rua e motorista de caminhão disse que não percebeu atropelamento

TRAGÉDIA

Trabalhador morre após queda de laje em Dourados