Menu
Busca terça, 15 de junho de 2021
(67) 99257-3397

Governo libera R$ 2,61 bilhões para as universidades federais

14 maio 2021 - 20h50Por Agência Brasil

Após meses de aperto no caixa, as universidades federais terão alívio temporário nos seus orçamentos. O Ministério da Economia anunciou nesta sexta-feira, dia 14 de maio, a liberação de R$ 2,61 bilhões para essas instituições de ensino. Os recursos ajudarão a recompor o orçamento de gastos discricionários.

Embora sejam definidos como não obrigatórios, os gastos discricionários englobam despesas essenciais para o funcionamento de serviços públicos, como contas de luz, telefone, internet, água, material de escritório, combustíveis, manutenção de prédios e de equipamentos. No caso das universidades, o pagamento de bolsas também é considerado despesa discricionária.

O dinheiro vem do remanejamento de programas que seriam custeados com emissões de títulos da dívida pública a serem autorizadas pela regra de ouro. 

A regra de ouro proíbe o Executivo de se endividar para pagar as despesas correntes – como são chamados os gastos da administração pública para manter seus serviços em funcionamento.

Ontem (13), o Diário Oficial da União publicou crédito suplementar de R$ 18,7 bilhões que aliviará os cofres de diversos órgãos e ministérios afetados pelo contingenciamento (bloqueio temporário) de recursos, anunciado no fim de abril. 

Logo após a sanção do Orçamento de 2021, o governo anunciou o contingenciamento de R$ 9,2 bilhões e o veto de R$ 19,8 bilhões em gastos. Os cortes foram necessários para garantir a execução de despesas obrigatórias que haviam sido remanejadas para emendas parlamentares.

Nesse processo, o Ministério da Educação teve cerca de R$ 3,5 bilhões cortados: R$ 2,73 bilhões bloqueados temporariamente e R$ 1,2 bilhão vetados. Quase a totalidade dos cortes, na ocasião, referiam-se a verbas para o ensino superior, com a alegação de que as universidades não estavam funcionando presencialmente durante a pandemia de covid-19.

Instituída pelo Artigo 167 da Constituição, a regra de ouro estabelece que o governo só pode emitir dívida pública para rolar (renovar) a própria dívida ou para cobrir despesas de capital, como investimentos em obras públicas e amortizações. Para cobrir gastos correntes, como os citados anteriormente, o governo precisa pedir autorização do Congresso.

O Orçamento de 2021 prevê insuficiência de R$ 434,8 bilhões para cumprir a regra de ouro, mas a quantia pode ser reduzida para R$ 125,7 bilhões com o uso de parte dos lucros do Banco Central nos últimos anos, devoluções do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ao Tesouro e pagamentos de dividendos de estatais.

Para evitar a paralisação de serviços públicos, o governo precisará pedir autorização ao Congresso Nacional nesse montante (R$ 125,7 bilhões) para custear determinados programas com títulos da dívida pública. Com a publicação da portaria, o governo antecipou a liberação dos recursos antes da votação pelo Congresso.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Campêlo diz que pediu apoio de Pazuello para oxigênio, mas 'não houve resposta'
EDUCAÇÃO
Pesquisa mostra desigualdade no acesso a internet entre alunos
Juventude AG briga até o fim, mas perde para ACBF na Liga Nacional Futsal
NO RIO GRANDE DO SUL
Juventude AG briga até o fim, mas perde para ACBF na Liga Nacional Futsal
Brasil derrota Eslovênia na Liga Mundial de vôlei
ESPORTE
Brasil derrota Eslovênia na Liga Mundial de vôlei
Dourados tem nove moradores locais e 10 de outras cidades na fila por UTI Covid
SISTEMA DE SAÚDE
Dourados tem nove moradores locais e 10 de outras cidades na fila por UTI Covid
POLÍCIA
Homem é preso suspeito de disparos de arma de fogo
PMA intensifica combate a caça ilegal e quatro pessoas acabam presas
PANDEMIA
Dois pacientes de Dourados com Covid estão em estado gravíssimo em Rondônia
DEPUTADOS
Câmara aprova urgência para revisão da Lei de Improbidade Administrativa
DOURADOS
Pelo menos 30 estabelecimentos foram notificados no primeiro dia útil pós-lockdown

Mais Lidas

DOURADOS
Adolescente morre atropelado na BR-163 e condutor foge do local
REGIÃO
Homem é executado a tiros na rodoviária de Nova Alvorada do Sul
DOURADOS
Jovem é encontrado caído em via na área central e estado de saúde é grave
DOURADOS
Homem tem carro furtado depois de ir com quatro pessoas para motel na BR-463