Menu
Busca quinta, 24 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
REAJUSTE

Governo federal anuncia aumento do piso salarial dos professores

17 janeiro 2020 - 06h46Por Da Redação

O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciaram por meio de live (transmissão ao vivo) em rede social o aumento de 12,84% do piso salarial previsto no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Segundo Weintraub, o reajuste anunciado “é o maior aumento em reais desde 2009.”

O ajuste, acima da inflação de 2019 (4,31%), corresponde às expectativas da Confederação Nacional de Municípios (CNM) que já havia previsto o valor mínimo do magistério passaria de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,24. Há expectativa entre gestores municipais que uma nova lei sobre o Fundeb seja criada este ano. A lei atual só prevê a manutenção do fundo até este ano. O Ministério da Educação prepara proposta com novas regras.

Anunciamos hoje na live com o Presidente @jairbolsonaro o reajuste de 12,84% no piso salarial dos professores da educação básica. Isso passa a valer imediatamente, com o valor subindo de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,24. É o maior aumento registrado em termos reais desde 2009.

Durante a live o presidente também anunciou, ao lado do secretário de Cultura Roberto Alvim, o lançamento do Prêmio Nacional das Artes que irá destinar mais de R$ 20 milhões para produção artística nas cinco grandes regiões brasileiras.

O prêmio terá sete categorias, eruditas e populares, e prevê a seleção de cinco óperas, 25 espetáculos teatrais, 25 exposições individuais de pintura e 25 exposição de escultura, 25 contos inéditos, 25 CDs musicais originais e até 15 propostas de histórias em quadrinhos.

O edital será publicado na próxima semana no Diário Oficial da União e no site da Secretaria Especial da Cultura. O repasse de recursos entre as regiões será dividido de forma igual.

Durante a transmissão, o presidente também comentou a queda histórica dos juros básico da economia, Taxa Selic a 4,5% ao ano e a esperada redução da dívida pública com a baixa dos juros. O presidente salientou a redução dos custos de empréstimos da Caixa Econômica Federal e a diminuição de pessoas inadimplentes. Bolsonaro salientou que a queda de juros ocorre “sem canetada” e “sem interferência”, mas por causa do ambiente de recuperação econômica.

O presidente comemorou a prioridade anunciada pelo governo dos Estados Unidos para que o Brasil se torne membro da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e lembrou a edição de nova medida provisória que ajusta o salário mínimo dos atuais R$ 1.039 para R$ 1.045.

Além do ministro da Educação e do secretário de Cultura, participou da transmissão o secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Junior.

Deixe seu Comentário

Leia Também

RESSOCIALIZAÇÃO
Projeto Reintegra atende reeducandos por meio da telemedicina
LIBERTADORES
Líder do Grupo G, Santos enfrenta o Delfín no Equador
MATO GROSSO DO SUL
Marçal destina R$ 1,1 milhão em emendas para saúde de 10 cidades de MS
IMUNIZAÇÃO
Dourados terá três campanhas de vacinação em outubro
DOURADOS
Prefeitura prorroga vínculo com escritório contratado para auxiliar em licitações já anuladas
COMER BEM
Açaí Mr. Fit: sabor para todos os gostos
MAIS CARO
Preço do pão francês acumula alta de quase 8% no ano em MS
LEGISLATIVO DE MS
Assembleia mantém sessões remotas até 30 de outubro
BOA AÇÃO
Banda douradense faz live para ajudar criança com doença rara e degenerativa
SAÚDE & BEM - ESTAR
Exame oftalmológico é só com o médico oftalmologista!

Mais Lidas

DOURADOS
Carro carregado com calhas capota após colisão e mulher fica ferida
PARANÁ
Traficante Elias Maluco é encontrado morto em presídio federal
PEDRO JUAN
Terror na fronteira: três veículos de luxo são incendiados em pontos distintos
PANDEMIA
Prefeitura e MPE entram em acordo para retorno das aulas presenciais na rede privada